sábado, 20 de abril de 2024

Romeo Akbar Walter

 


Romeo Akbar Walter (Romeo Akbar Walter, Índia, 2019) – Nota 6
Direção – Robbie Grewal
Elenco – John Abraham, Mouni Roy, Jackie Shroff, Sikandar Kher, Raghudir Yadav, Suchitra Krishnamoorthi.

Durante o conflito entre a Índia e o Paquistão em 1971, o serviço secreto indiano recruta o jovem Romeo (John Abraham) para ser espião. Filho de um oficial falecido em serviço, Romeo é enviado ao Paquistão para se aproximar de um traficante de armas que está fornecendo munição ao governo paquistanês. 

Com uma ótima produção e uma trama bastante complexa, este thriller indiano tinha tudo para render um grande filme, porém o diretor errou em algumas escolhas. O roteiro perde tempo com a relação do protagonista como uma namorada e também com sua mãe, além de não entregar praticamente nada de ação, com exceção da sequência do interrogatório. 

É uma pena, por mais que a trama seja interessante, o resultado ficou frio e até monótono em alguns momentos.

sexta-feira, 19 de abril de 2024

Uma Virada do Destino, Garota da Vitrine & Um Dia de Louco

 


Uma Virada do Destino (A Simple Twist of Fate, EUA, 1994) – Nota 7
Direção – Gillies MacKinnon
Elenco – Steve Martin, Gabriel Byrne, Catherine O’Hara, Stephen Baldwin, Laura Linney, Alana Austin

Michael (Steve Martin) é um sujeiro solitário e mal humorado que tem sua vida virada de ponta cabeça quando alguém deixa uma bebê na varanda de sua casa. Ele termina adotando a criança, sem saber porque ela foi deixada em sua porta. 

Este sensível drama toca na questão de como a paternidade, mesmo sendo uma adoção, pode mudar a forma que uma pessoa encara o mundo. Este filme foi umas poucas tentativas do astro da comédia Steve Martin em se aventurar no drama.

Garota da Vitrine (Shopgirl, EUA, 2005) – Nota 6,5
Direção – Anand Tucker
Elenco – Steve Martin, Claire Danes, Jason Schwartzman, Bridgette Wilson Sampras, Sam Bottoms, Francis Conroy, Rebecca Pidgeon, Clyde Kusatsu.
 
Mirabelle (Claire Danes) é um jovem que trabalha como vendedora em uma loja em Manhattan. Ray (Steve Martin) é um empresário bem sucedido e egoísta que se sente atraído pela garota. Jeremy (Jason Schwartzman) é um jovem sem rumo na vida que também deseja se aproximar de Mirabelle. 

Este curioso longa é muito mais um drama sobre relacionamentos com algumas situações constrangedoras do que uma comédia. O triângulo amoroso entre personagens com vidas bem diferentes entre si é explorado de uma forma sóbria a até fria em vários momentos. 

O ponto principal fica na indecisão da protagonista entre o jovem sem rumo ou homem mais velho, rico, porém frio e que não deseja se comprometer. Como informação, a história é baseada em um roteiro escrito pelo ator Steve Martin, que interpreta aqui um papel bem diferente da maioria dos sujeitos atrapalhados que viveu por quase toda a carreira.

Um Dia de Louco (Mixed Nuts, EUA, 1994) – Nota 5,5
Direção – Nora Ephron
Elenco – Steve Martin, Madeline Kahn, Anthony LaPaglia, Juliette Lewis, Rob Reiner, Rita Wilson, Adam Sandler, Robert Klein, Liev Schreiber, Parker Posey, Garry Shandling, Steven Wright, Brian Markinson.

Na véspera de Natal, Philip (Steve Martin) precisa resolver uma série de problemas no escritório em que administra um serviço telefônico de apoio a pessoas que precisam de ajuda. Entre os vários problemas estão os funcionários complicados e as pessoas desesperadas que procuram o serviço. 

Esta estranha comédia escrita e dirigida por Nora Ephron tinha o objetivo de fazer graça com situações incomuns e personagens caricatos, o que não funcionou. O elenco cheio de nomes conhecidos não consegue ajudar, tendo como maior destaque o sempre ótimo Steve Martin.

quinta-feira, 18 de abril de 2024

Legião do Mal

 


Legião do Mal (La Horde, França, 2009) – Nota 7
Direção – Yannick Dahan & Benjamin Rocher
Elenco – Jean Pierre Martins, Eriq Ebouaney, Claude Perron, Doudou Masta, Jo Prestia, Antoine Oppenheim, Aurelien Recoing.

Para vingar a morte de um colega, quatro policiais invadem um prédio decadente na periferia de Paris em busca de uma quadrilha. Ao mesmo tempo em que eles iniciam um conflito, explode na cidade um apocalipse zumbi. Policiais e criminosos precisarão se unir para lutar pela sobrevivência. 

Esta produção francesa de baixo orçamento vai direto ao ponto, começando com o tiroteio entre os inimigos e seguindo com sequências extremamente violentas entre humanos e zumbis. 

A curiosidade é que este longa foi produzido um ano antes do lançamento de “The Walking Dead”, ou seja, não foi uma tentativa de lucrar no rastro do sucesso da série. 

As sequências de violência lembram mais o anterior “Extermínio” e os filmes de George A. Romero, com sua ambientação suja e personagens marginais. 

O final é típico dos filmes B, fugindo do lugar comum.

quarta-feira, 17 de abril de 2024

Jornada para o Inferno

 


Jornada para o Inferno (Butcher’s Crossing, EUA, 2022) – Nota 6
Direção – Gabe Polsky
Elenco – Nicolas Cage, Fred Hechinger, Jeremy Bobb, Xander Berkeley, Paul Raci.

Kansas, 1854. O jovem Will (Fred Hechinger) abandonou os estudos em Harvard para conhecer o oeste selvagem. Ele se junta a Miller (Nicolas Cage) e outros dois sujeitos (Jeremy Bobb e Xander Berkeley) para uma caçada de búfalos que tem previsão de demorar algumas semanas. Conforme o tempo passa, cresce a obsessão de Miller em matar búfalos para vender as peles, o que leva o grupo a enfrentar uma interminável jornada. 

Este curioso longa é muito mais um drama sobre obsessão e sobrevivência do que um western. São diversas sequências de búfalos sendo dissecados, de discussões entre os personagens e uma bela fotografia das paisagens naturais do Colorado em todas as estações. 

O filme perde pontos pela narrativa irregular que resulta em algumas sequências cansativas e na falta de emoção ou aventura, mesmo com alguma violência e um final com uma certa surpresa. Destaque para mais uma interpretação perturbada de Nicolas Cage.

terça-feira, 16 de abril de 2024

The Mountain

 


The Mountain (Dag, Turquia, 2012) – Nota 7
Direção – Alper Caglar
Elenco – Caglar Ertugrul, Ufuk Bayraktar, Firat Dogruloglu, Mesut Akusta, Gozde Mutluer, Cengiz Coskun.

Quatro soldados do exército turco ficam cercados por rebeldes em uma montanha gelada, local para onde seguiram com o objetivo de consertar uma antena. Enquanto esperam o resgate, eles lutam para sobreviver ao ataque dos inimigos. 

Este interessante longa turco divide a narrativa entre a tensão do conflito na montanha, com flashbacks que mostram a vida de dois soldados de origens distintas antes de entrarem para o exército. Este desenvolvimento dos personagens cria uma narrativa em que o fator humano se mostra tão importante na trama quanto a luta contra os inimigos. As sequências de tensão são bem construídas e também violentas, aproveitando as locações na bela montanha gelada.

segunda-feira, 15 de abril de 2024

Implacável & Capturado

 


Implacável (Avengement, Inglaterra, 2019) – Nota 7,5
Direção – Jesse V. Johnson
Elenco – Scott Adkins, Craig Fairbrass, Thomas Turgoose, Nick Moran, Kierston Wareing, Mark Strange.

O prisioneiro Cain (Scott Adkins) escapa ao ser liberado para visitar a mãe no hospital, que morre antes dele chegar ao local. O objetivo de Cain é se vingar de seu irmão (Craig Faibrass) e de seus capangas que ele considera os responsáveis por sua prisão. 

Este é o sexto trabalho em parceria entre o diretor Jesse V. Johnson e o astro de filmes B de ação Scott Adkins e por curiosidade também o mais violento. A narrativa intercala as sequências da vingança no bar, com violentíssimas brigas em flashback mostrando a vida do protagonista na cadeia, onde ele estava jurado de morte. 

A história não tem surpresas, tendo como ponto principal a porradaria ininterrupta. Se tivesse nascido dez anos antes, o inglês Scott Adkins teria sido astro do primeiro escalão do cinema de ação.

Capturado (Seized, EUA, 2020) – Nota 5,5
Direção – Isaac Florentine
Elenco – Scott Adkins, Mario Van Peebles, Steven Elder, Karlee Leiliani Perez, James P. Bennett, Mauricio Mendoza, Matthew Garbacz.

Nero (Scott Adkins) é um ex-agente de operações especiais que vive no México com nova identidade. Quando seu filho adolescente é sequestrado por um chefão do crime (Mario Van Peebeles), Nero é obrigado a destruir dois cartéis de traficantes rivais do criminoso para salvar o garoto. 

Por mais que o longa tenha algumas boas sequências de lutas e outras de tiroteios, a trama e os vilões são fracos. Nem mesmo Mario Van Peebles consegue se destacar. Ele cria o clássico vilão sarcástico, mas que tem um final bem diferente do que ocorre normalmente neste tipo de filme. A sessão vale apenas para quem curte os filmes de Scott Adkins.

domingo, 14 de abril de 2024

50 Para 1

 


50 Para 1 (50 to 1, EUA, 2014) – Nota 6,5
Direção – Jim Wilson
Elenco – Skeet Ulrich, Christian Kane, William Devane, Madelyn Deutch, Todd Lowe, David Atkinson, Calvin Borel.

Em 2009, o fracassado treinador de cavalos Chip Wolley (Skeet Ulrich) reencontra o amigo Mark Allen (Christian Kane) que é dono de vários cavalos de corrida. Chip é contratado por Mark e termina indicando a compra de um cavalo chamado “Mine That Bird”. O destino os leva a disputar o famoso Derby de Kentucky. 

Este agradável longa é baseado em uma inusitada história real. Por mais que o filme seja previsível, mesmo para quem não conhece a história real, a narrativa agradável, as pitadas de comédia e os divertidos diálogos resultam numa descompromissada sessão da tarde. 

O filme tem duas curiosidades. O importante papel do veteraníssimo William Devane, que ainda está na ativa e a direção de Jim Wilson. Hoje praticamente um desconhecido, por muitos anos Jim Wilson foi um produtor parceiro do astro Kevin Costner, com quem ganhou o Oscar de Melhor Filme por “Dança com Lobos”.

sábado, 13 de abril de 2024

Zona de Risco

 


Zona de Risco (Land of Bad, EUA, 2024) – Nota 7
Direção – William Eubank
Elenco – Liam Hemsworth, Russell Crowe, Luke Hemsworth, Milo Ventimiglia, Ricky Whittle, Chika Ikogwe, Daniel McPherson.

Uma equipe de operações especiais é enviada para as florestas das Filipinas com o objetivo de resgatar um agente da CIA que foi capturado por um grupo terrorista. A complicada missão é monitorada por oficiais que comandam drones, porém várias surpresas desagradáveis colocarão a vida dos soldados em risco. 

Este competente filme de ação explora ao mesmo tempo o estilo clássico do gênero com sequências pesadas de tiroteios, brigas, mortes e tortura, com as guerras atuais em que a tecnologia transforma locais a quilômetros de distância em alvos a serem atacados com precisão e rapidez. 

Outro acerto é o desenvolvimento da dupla principal. Liam Hemsworth interpreta o soldado inexperiente que é obrigado a ativar seu lado selvagem para sobreviver, enquanto Russell Crowe entrega um oficial veterano, cínico e detalhista que mesmo a distância faz tudo para tentar salvar os companheiros que ele conhece somente pelos apelidos de guerra. 

Para quem gosta de filmes de ação que vão direto ao ponto, sem perder tempo com temas paralelos, este longa é uma boa opção.

sexta-feira, 12 de abril de 2024

O Primeiro Dia da Minha Vida

 


O Primeiro Dia da Minha Vida (Il Primo Giorno Della Mia Vita, Itália, 2023) – Nota 7
Direção – Paolo Genovese
Elenco – Toni Servillo, Valerio Mastandrea, Margherita Buy, Sara Serraiocco, Gabriele Cristini, Vittoria Puccini.

Em uma noite chuvosa, um desconhecido (Toni Servillo) consegue reunir quatro pessoas que estão prestes a cometer suicídio. Ele passará uma semana com estas pessoas, mostrando a elas como seria o mundo de seus amigos e familiares após sua morte e também tentando fazer com que eles encarem a vida de uma outra forma. 

Essa interessante mistura de drama e fantasia explora o tema pesado do suicídio de uma forma sóbria e até leve em alguns momentos. Uma pitada da premissa busca uma longínqua inspiração no clássico “A Felicidade Não Se Compra”, porém de uma forma mais dolorosa e com bem menos emoção. 

Todo o elenco está bem, com cada um deles desenvolvendo personagens fortes, inclusive o garoto Gabriele Cristiani que encara muito bem os colegas mais famosos. É sempre bom ver o ótimo Toni Servillo, ator que ficou famoso já com mais de quarenta anos de idade ao protagonizar vários filmes do diretor Paolo Sorrentino.

quinta-feira, 11 de abril de 2024

Laranja Mecânica & Se...

 


Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, EUA / Inglaterra, 1971) – Nota 7
Direção – Stanley Kubrick
Elenco – Malcolm McDowell, Patrick Magee, Michael Bates, Adrienne Corri, Warren Clarke, John Clive.

Em um futuro distópico, Alex (Malcolm McDowell) é o líder de uma gangue que comete atrocidades de todos os tipos. Ao ser preso, ele aceita participar de um experimento visando diminuir sua violência, porém as consequências são tão complicadas quanto sua personalidade. 

Considerado por muitos como uma obra-prima, eu vejo este longa como uma viagem maluca que tenta justificar um mundo violento em que vivemos através da própria violência e dos absurdos que encaramos no dia a dia. 

Mesmo com diferença grande no visual e no estilo da narrativa, a ideia de Kubrick até certo ponto foi “atualizada” em Assassinos por Natureza” de Oliver Stone em 1994. São filmes que visam criticar a sociedade atirando para todos os lados de uma forma surreal.

Se... (If..., Inglaterra, 1968) – Nota 6,5
Direção – Lindsay Anderson
Elenco – Malcolm McDowell, David Wood, Richard Warwick, Christine Noonan.

Em um colégio interno para garotos, o jovem Mick (Malcolm McDowell) lidera alguns alunos em uma revolta contras as regras rígidas do local e contra os veteranos que agem como uma elite apoiada pela direção. 

Este longa sobre revolta adolescente contra o sistema é claramente inspirado nos movimentos estudantis da época e nos protestos contra a hierarquia, como uma espécie de versão britânica da contracultura. Os conflitos entre os alunos hoje são clichês e a revolta final é violenta e surreal.

quarta-feira, 10 de abril de 2024

Deep Dark Canyon

 


Deep Dark Canyon (Deep Dark Canyon, EUA, 2013) – Nota 6,5
Direção – Abe Levy & Silver Tree
Elenco – Spencer Treat Clark, Nick Eversman, Ted Levine, Martin Starr, Michael Bowen, Matthew Lillard, Justine Bateman, Abraham Benrubi, Valentina de Angelis.

Dois irmãos (Spencer Treat Clark e Nick Eversman) matam em um acidente de caça o prefeito da pequena cidade em que vivem. Enquanto o pai dos garotos é o xerife (Ted Levine), a família do prefeito é enorme e domina a cidade. A tragédia dá um início a uma violenta caçada.

O roteiro deste interessante e desconhecido filme explora a questão dos conflitos que afloram em pequenas cidades americanas, onde a convivência de pessoas brutas esperam somente uma fagulha para transformar suas frustrações em violência. 

O filme tem sequências de perseguição bem filmadas aproveitando as locações na floresta ao redor da cidade. A tensão crescente leva a um final que foge do lugar comum.

terça-feira, 9 de abril de 2024

Freelance

 


Freelance (Freelance, EUA / Inglaterra, 2023) – Nota 6
Direção – Pierre Morel
Elenco – John Cena. Alison Brie, Juan Pablo Raba, Christian Slater, Alice Eve, Marton Csokas.

Mason (John Cena) é um ex-agente de operações especiais que após sofrer um acidente voltou a trabalhar como advogado. Precisando de dinheiro e de adrenalina na vida, ele aceita o convite de um antigo companheiro (Christian Slater) para fazer a segurança de uma jornalista (Alison Brie) que entrevistará um ditador da América Latina (Juan Pablo Raba). Quando explode um golpe de Estado, Mason terá de proteger a repórter. 

O diretor francês Pierre Morel é especialista em filmes de ação, normalmente com tramas sérias. Aqui a ação divide espaço com pitadas de comédia em um roteiro absurdo, repleto de furos e ideias políticas bizarras. 

Para se divertir, o espectador precisa deixar de lado os absurdos, focar nas sequências de ação e na engraçada atuação de Juan Pablo Raba como o ditador.

segunda-feira, 8 de abril de 2024

Aconteceu em Los Angeles

 


Aconteceu em Los Angeles (L.A. Takedown, EUA, 1989) – Nota 6,5
Direção – Michael Mann
Elenco – Scott Plank, Alex McArthur, Michael Rooker, Ely Pouget, Vincent Guastaferro, Richard Chaves. Victor Rivers, Laura Harrington, Daniel Baldwin, Clarence Gilyard Jr., R.D. Call, Peter Dobson, John Santucci, Xander Berkeley, Juan Fernandez, Sam J. Jones, Cary Hiroyuki Tagawa.

Uma quadrilha comete um violento assalto a um carro-forte que termina com três seguranças mortos. O esquadrão de investigação de homicídios entra em ação na busca pelos criminosos. 

Este curioso longa é uma versão para a tv da mesma história do hoje clássico “Fogo Contra Fogo”, escrito e dirigido pelo mesmo Michael Mann. 

O filme segue o estilo de seu trabalho anterior também produzido para a tv chamado “Caçador de Assassinos”, que pela primeira vez levou o personagem do psicopata Hannibal Lecter para as telas. 

A narrativa é permeada por rocks da época, com algumas competentes sequências de tiroteios e outras com casais que claramente lembram os videoclipes da época. 

No elenco recheado de rostos conhecidos de filmes B dos anos oitenta e noventa, o destaque fica para o confronto entre o chefe da quadrilha vivido por Alex McArthur e o líder dos investigadores de Scott Plank, com direito inclusive a sequência da discussão no café semelhante a clássica cena entre Al Pacino e Robert DeNiro em “Fogo Contra Fogo”.

domingo, 7 de abril de 2024

A Nova Vida de Toby

 


A Nova Vida de Toby (Fleishman Is in Trouble, EUA, 2022) – Nota 8
Direção – Shari Springer Bergman & Robert Pulcini, Jonathan Dayton, Valerie Faris & Alice Wu
Elenco – Jesse Eisenberg, Claire Danes, Lizzy Caplan, Adam Brody, Josh Radnor, Christian Slater, Meara Mahoney Gross, Maxim Swinton, Josh Stamberg, Frances Li, Michael Gaston.

Aos quarenta e um anos de idade, o médico Toby (Jesse Eisenberg) se divorciou de Rachel (Claire Danes) após quinze anos de casamento. Tentando aproveitar a nova vida de solteiro, Toby reata o contato com Libby (Lizzy Caplan) e Seth (Adam Brody), seus amigos de juventude de quem ele se afastou após casar. Tudo volta a ficar ainda mais confuso quando Rachel desaparece deixando o casal de filhos pré-adolescentes com ele. 

Esta minissérie em oito episódios detalha os vários lados e problemas nos relacionamentos, seja de casal ou amigos, foca nas frustrações da meia-idade e na saudade da juventude, de uma vida que jamais voltará. 

A trama é narrada pela personagem de Lizzy Caplan, que na teoria tem uma vida perfeita com marido e filhos, mas que se sente vazia após abandonar o emprego e não conseguir colocar no papel o projeto de seu livro. Ela detalha os problemas de Toby e Rachel através das duas versões, que são semelhantes, porém que afetam cada um deles de uma maneira diferente. 

Mesmo com algumas escorregadas ideológicas, a minissérie é extremamente sensível ao focar nas dores psicológicas do ser humano e nos problemas do dia a dia.

sábado, 6 de abril de 2024

Feriado Sangrento

 


Feriado Sangrento (Thanksgiving, EUA / Canadá / Austrália, 2023) – Nota 6,5
Direção – Eli Roth
Elenco – Patrick Dempsey, Nell Verlaque, Jalen Thomas Brooks, Ty Olsson, Gina Gershon, Rick Hoffman, Katherine Trowell, Tomaso Sanelli.

Na cidade histórica de Plymouth, uma tragédia em uma loja de departamentos durante a Black Friday termina com alguns mortos e vários feridos. Um ano depois na mesma data, um psicopata vestido de peregrino começa a assassinar de forma cruel os envolvidos no tumulto. 

O diretor Eli Roth, especialista em gore, recicla a clássica premissa da vingança semelhante a filmes como os das franquias “Pânico” e “Sexta-Feira 13”, porém inserindo sangue de forma mais explícita. 

A ideia de utilizar as promoções de Black Friday como estopim é uma crítica ao desespero para consumir que toma conta de muitas pessoas na época. Lógico que tudo isso é explorado com os exageros dos filmes de terror. 

É um longa que funciona para quem procura terror sangrento, como diz o título nacional.

sexta-feira, 5 de abril de 2024

Filha do Prisioneiro

 


Filha do Prisioneiro (Prisoner’s Daughter, EUA, 2022) – Nota 7
Direção – Catherine Hardwicke
Elenco – Brian Cox, Kate Beckinsale, Christopher Convery, Tyson Ritter.

Max (Brian Cox) está preso e descobre sofrer de um câncer terminal. O diretor do presídio oferece a opção de Max terminar seus dias em casa, desde que sua filha Maxine (Kate Beckinsale) o aceite. Vivendo sozinha com o filho adolescente Ezra (Christopher Convery) e precisando de dinheiro, ela aceita a proposta, que também será a chance de superar as desavenças do passado. 

Este drama sobre conflitos familiares e busca por redenção ganha pontos pela interpretação do sempre competente Brian Cox e pelo final em que uma decisão incomum vem à tona. Os diálogos entre Cox, Kate Beckinsale e o garoto Christopher Convery são racionais e também emotivos na medida certa. É um filme pequeno que resulta em um bom drama.

quinta-feira, 4 de abril de 2024

Better Luck Tomorrow

 


Better Luck Tomorrow (Better Luck Tomorrow, EUA, 2002) – Nota 7,5
Direção – Justin Lin
Elenco – Parry Shen, Jason Tobin, Sung Kang, Roger Fun, Karin Anna Cheung, John Cho.

Ben (Parry Shen) é um jovem estudante de origem asiática muito inteligente que se prepara para entrar na universidade. Enquanto isso, ele se une a três amigos que praticam pequenos crimes e que ganham fama dentro do colégio. Em paralelo, Ben tem atração por uma amiga (Karin Anna Cheung), que namora um rapaz mais velho e rico (John Cho). 

Hoje famoso pelos vários filmes que comandou da franquia “Velozes e Furiosos”, na época o diretor Justin Lin era um novato que entregou uma obra bastante interessante. O roteiro desenvolve uma história sobre quando os exageros da juventude atravessam um limite perigoso, misturando isso com os conflitos desta época de vida. 

O diretor já mostrava aqui seu estilo de narrativa com sequências com cortes rápidos, música agitada e ângulos inusitados de câmera. É um filme que merece ser redescoberto.

quarta-feira, 3 de abril de 2024

American Star

 


American Star (American Star, EUA, 2024) – Nota 7
Direção – Gonzalo Lopez Gallego
Elenco – Ian McShane, Nora Arnezeder, Adam Nagaitis, Fanny Ardant, Thomas Kretschmann, Andrés Gertrudix, Oscar Coleman.

Um veterano assassino profissional (Ian McShane) chega a uma cidade litorânea nas Ilhas Canárias na Espanha para um serviço. Como seu alvo chegará no local somente depois de alguns dias, ele decide esperar e termina conhecendo a jovem Gloria (Nora Arnezeder), com quem cria um inusitado laço de amizade, sem contar a verdade sobre sua vida. 

Alguns pequenos filmes se mostram muito melhores do que parecem na sinopse ou em um primeiro olhar. É o caso deste longa que mesmo focando na violência, tem um roteiro que coloca os personagens acima da história. 

Conforme o espectador vai conhecendo o protagonista, fica claro que por trás do assassino existe um sujeito solitário que carrega um enorme peso. Seu interior se abre ao conhecer a jovem e também na amizade com um garotinho (Oscar Coleman) que está hospedado com os pais ausentes no mesmo hotel que ele. 

É um filme sobre crimes, assassinatos e também sobre solidão e carência.

terça-feira, 2 de abril de 2024

The Featherweight

 


The Featherweight (The Featherweight, EUA, 2023) – Nota 6
Direção – Robert Kolodny
Elenco – James Madio, Ruby Wolf, Keir Gilchrist, Stephen Lang, Ron Livingston, Lawrence Gilliard Jr., Shari Albert.

Em 1964, aos quarenta e dois anos de idade, o ex-campeão mundial dos pesos-penas Willie Pep (James Madio), considerado uma lenda do boxe, deseja voltar aos ringues mesmo com as opiniões contrárias de seu treinador e seu empresário. 

Este longa que cobre um curto período na vida do pugilista, foi filmado em estilo de documentário. Muitas sequências com câmera na mão, cores desbotadas e até cenas reais de arquivo. 

O roteiro tem alguns pontos interessantes, como sua relação com a esposa (Ruby Wolf) que era mais jovem, com seu filho (Keir Gilchrist) e com um rival que seu tornou seu amigo (Lawrence Gilliard Jr.) e que sofria com problemas neurológicos causados pelas pancadas que tomou na cabeça durante a carreira. 

A narrativa é correta, mas não chega a empolgar em momento algum e as sequências de drama também são poucas. É uma história parecida com outras de boxeadores, porém com resultado no máximo razoável.

segunda-feira, 1 de abril de 2024

Loop Track

 


Loop Track (Loop Track, Nova Zelândia, 2023) – Nota 7
Direção – Thomas Sainsbury
Elenco – Thomas Sainsbury, Hayden J. Weal, Tawanda Manyimo, Kate Simmonds, Noa Campbell, Bianca Seinafo.

Um sujeito angustiado e inseguro (Thomas Sainsbury) estaciona seu carro na entrada de uma trilha em meio a uma floresta na Nova Zelândia. Ele adentra a floresta, segue a trilha e tenta se esconder de outros mochileiros, o que acaba não conseguindo. Enquanto é obrigado a caminhar com desconhecidos, o homem tem a sensação de que está sendo vigiado. 

Esta inusitada produção neozelandesa escrita, dirigida e protagonizada por Thomas Sainsbury é uma interessante surpresa para quem gosta de longas que fogem do lugar comum. O roteiro e a narrativa trabalham com a dúvida durante dois terços da história. 

O que o protagonista esconde, se ele é um assassino ou um maluco com mania de perseguição, se algum outro mochileiro é um psicopata e se existe algo de sobrenatural na floresta. 

A surpresa na parte final é criativa, mesmo não deixando claro algumas respostas. Até mesmo o final deixa uma pequena porta em aberto. Se fosse uma produção americana, a chance de uma sequência seria maior.

domingo, 31 de março de 2024

O Que Acontece Depois

 


O Que Acontece Depois (What Happens Later, EUA, 2023) – Nota 5,5
Direção – Meg Ryan
Elenco – Meg Ryan, David Duchovny.

O destino e também uma nevasca levam os antigos namorados Willa (Meg Ryan) e Bill (David Duchovny) a se reencontrarem mais de vinte depois em um aeroporto. Enquanto esperam a liberação dos voos, eles conversam sobre o passado, o presente e colocam em pratos limpos as pendências afetivas que carregaram por todo esse tempo. 

A ideia de um drama romântico com personagens maduros é bem interessante, assim como os primeiros quarenta minutos que mesmo com excesso de diálogos, deixam o espectador entretido. Quando a narrativa se volta para escolhas surreais, como a voz do aeroporto sendo utilizada como uma espécie de Deus e a sequência da dança, o filme desanda. 

A sessão vale pelo carisma do casal, que mesmo com o auge da carreira tendo ficado no passado, ainda demonstram talento.

sábado, 30 de março de 2024

A Tempestade do Século

 


A Tempestade do Século (Storm of the Century, EUA, 1999) – Nota 6,5
Direção – Craig R. Baxley
Elenco – Tim Daly, Colm Feore, Debrah Farentino, Casey Siemaszko, Jeffrey DeMunn, Julianne Nicholson, Becky Ann Baker, Spencer Breslin, Steve Rankin, Adam LeFevre, Kathleen Chalfant.

Uma cidade em uma ilha no litoral no Maine está prestes a enfrentar uma fortíssima tempestade de inverno quando um estranho (Colm Feore) chega o local, mata uma idosa e ao ser preso diz que “precisa receber algo para ir embora”. Além disso, o sujeito conhece todas as falhas de cada cidadão da ilha, utilizando isso para criar intrigas que levam a novas mortes. 

Esta minissérie em três episódios escrita por Stephen King tem os defeitos e as virtudes das obras do autor. A trama que coloca diversos personagens em meio a algo sobrenatural, despertando o medo através de situações que parecem banais são comuns em suas histórias. 

Os pontos positivos são o clima de suspense na cidade gelada e as dúvidas nos dois primeiros episódios sobre o que realmente o estranho deseja, quem é ele e o porquê do seu poder. Por outro lado, o ritmo irregular com muitas situações que poderiam ser cortadas e o arrastado episódio final que mesmo angustiante é cansativo, resultam em uma obra no máximo razoável.

sexta-feira, 29 de março de 2024

O Clube dos Milagres

 


O Clube dos Milagres (The Miracle Club, Irlanda / Inglaterra, 2023) – Nota 6
Direção – Thaddeus O’Sullivan
Elenco – Laura Linney, Maggie Smith, Kathy Bates, Agnes O’Casey, Stephen Rea, Mark O’Halloran.

Interior da Irlanda, 1967. Algumas pessoas conseguem passagens para uma excursão comandada pelo padre local com destino a cidade sagrada de Lourdes na França. A viagem é a chance destas mulheres resolverem pendências pessoais. 

Esta mistura de drama e comédia explora a peregrinação que milhares de pessoas fazem à cidade de Lourdes todos os anos em busca de milagres ou pelo menos de conforto para enfrentarem seus problemas, muitas vezes relacionados a saúde. 

Se as pequenas histórias são clichês, elas ganham um pouco mais de força pelas interpretações do ótimo trio principal de atrizes de gerações diversas. A veteraníssima Maggie Smith está com noventa anos, Kathy Bates com setenta e seis e a bela Laura Linney está com sessenta parecendo ter pelos menos uns dez anos a menos.

quinta-feira, 28 de março de 2024

Manodrome

 


Manodrome (Manodrome, Inglaterra / EUA, 2023) – Nota 4,5
Direção – John Trengove
Elenco – Jesse Eisenberg, Adrien Brody, Odessa Young, Philip Ettinger, Sallieu Sesay, Evan Jonigkeit, Ethan Suplee, Caleb Eberhardt, Lamar Johnson, Gheorghe Muresan, Brian Anthony Wilson.

Ralphie (Jesse Eisenberg) é um motorista de aplicativo frustrado que perdeu um emprego melhor e que vive com a namorada Sal (Odessa Young). Preocupado com a falta de dinheiro para cuidar do filho que está prestes a nascer, Ralphie se deixa levar por um amigo (Philip Ettinger), que o leva a conhece um estranho culto liderado por Dan (Adrien Brody). 

O roteiro escrito pelo diretor sul-africano John Trengove aparentemente tem o objetivo de criticar os homens e a família, porém termina por acertar o contrário. O que vemos é um casal de protagonistas que mostra o pior lado da geração atual. O culto ao corpo nas sequências da academia, a relação vazia, a falta de estrutura para enfrentar a vida e o trauma que na realidade é algo comum que comprova a fragilidade do protagonista. 

É um dos vários filmes atuais com teor ideológico produzidos para tentar fazer sucesso através da polêmica. O único ponto positivo é o estranho clima de tragédia que permeia toda a narrativa.

quarta-feira, 27 de março de 2024

Meu Pai, o Assassino do Zodíaco

 


Meu Pai, o Assassino do Zodíaco (The Most Dangerous Animal of All, EUA, 2020) – Nota 6,5
Direção – Kief Davidson & Ross M. Dinerstein
Documentário

Com quase quarenta anos de idade, Gary L. Stewart recebeu uma carta de sua mãe biológica que o abandonou ainda bebê. Mesmo tendo bom relacionamento com os pais adotivos, Gary decidiu conhecer a mãe e também saber quem era seu pai. 

Ao descobrir que seu pai se chamava Earl Van Best Jr, ele iniciou uma busca pelo paradeiro do sujeito. Aos poucos, Gary vai desenrolando uma complexa história que o leva a acreditar que seu pai era o famoso “Assassino do Zodíaco”. 

Esta minissérie documental em quatro episódios detalha a busca de Gary por provas sobre a culpa de seu pai, utilizando também o livro escrito por ele em parceria com uma investigadora particular. O problema é que após três episódios até certo ponto intrigantes por causa dos segredos da história que vem à tona, o capítulo final entrega uma reviravolta que tira muito do interesse no documentário. 

Para quem não sabe, o “Assassino do Zodíaco” ficou famoso por matar cinco pessoas, atacar várias outras e enviar cartas ameaçadoras para jornais de San Francisco no final dos anos sessenta. O longa “Zodíaco” que David Fincher dirigiu em 2007 é sensacional, sendo muito mais interessante que este doc.

terça-feira, 26 de março de 2024

A Máquina do Crime

 


A Máquina do Crime (The Machine, EUA, 2023) – Nota 6
Direção – Peter Atencio
Elenco – Bert Kreischer, Mark Hamill, Jimmy Tatro, Iva Babic, Robert Maaser, Stephanie Kurtzuba, Martyn Ford, Jess Gabor, Nikola Djuricko, Oleg Taktarov.

Bert (Bert Kreischer) é um comediante de stand up famoso que termina reconhecido por um chefão da Máfia Russa, que envia seus capangas para sequestrá-lo, Quando jovem, Bert fez uma viagem a antiga União Soviética e participou de um assalto a um trem, fato que ele transformou em material para seu show. 

Esta divertida e exagerada comédia de ação explora uma história bizarra para criar sequências criativas de violência. Os coadjuvantes estranhos, os diálogos absurdos e Mark Hamill interpretando o pai do protagonista são impagáveis. É um filme para o espectador abraçar a ideia absurda e se divertir com os exageros.

segunda-feira, 25 de março de 2024

O Cadillac Azul, De Volta Pra Casa & Quatro por Quatro

 

O Cadillac Azul (Coupe de Ville, EUA, 1990) – Nota 7
Direção – Joe Roth
Elenco – Patrick Dempsey, Arye Gross, Daniel Stern, Alan Arkin, Rita Taggart, Annabeth Gish, Joseph Bologna, James Gammon.

Michigan, 1963. Três irmãos de temperamentos diferentes (Patrick Dempsey, Arye Gross e Daniel Stern) são obrigados pelo pai (Alan Arkin) a levarem um belíssimo cadillac azul até a Flórida para ser entregue como presente de aniversário da mãe deles. A viagem também é uma forma encontrada pelo pai para tentar unir os irmãos que brigam entre si por qualquer motivo. 

Este road movie mistura comédia e drama familiar de uma forma divertida e também sensível em alguns momentos. Quem tem irmãos vai se ver em algumas das várias discussões entre o trio principal. Durante a viagem eles cruzam com outros personagens e com situações que mostram a importância da família e da amizade. O destaque do elenco fica para a participação do sempre carismático Alan Arkin, que infelizmente faleceu em 2023.

De Volta Pra Casa (Dutch, EUA, 1991) – Nota 6,5
Direção – Peter Fairman
Elenco – Ed O'Neill, Ethan Embry, Jobeth Williams, Christopher McDonald, Ari Meyers, Elizabeth Daily.

Doyle (Ethan Embry) é um garoto mimado que estuda em um colégio interno e que está revoltado com a separação dos pais. Quando sua mãe (Jobeth Williams) inicia um namoro com o falastrão Dutch (Ed O’Neill) e este fica encarregado de buscar o garoto para o Dia de Ação de Graças, Doyle decide transformar a viagem com o provável futuro padrasto em um inferno. 

Este filme com premissa de sessão da tarde entrega mais do que promete. A trama tem semelhanças com o superior “Antes Só do que Mal Acompanhado”, em que os dois protagonista aos poucos criam uma relação de amizade, mesmo com um deles odiando o outro a princípio. 

O filme tem algumas curiosidades. O ator Ed O’Neill estava no auge da fama com o sucesso da sitcom “Um Amor de Família (Married with Children)” e tentava emplacar uma carreira no cinema, o que não aconteceu. Doze anos depois em 2003, Ed O’Neill protagonizou um remake da famosa série policial dos anos sessenta chamada “Dragnet”, tendo um agora adulto Ethan Embry como seu parceiro novato. A série que era bem produzida e com boas histórias, mas infelizmente foi cancelada no meio da segunda temporada.

Quatro por Quatro (Tail Lights Fade, EUA, 1999) – Nota 5,5
Direção – Malcolm Ingram
Elenco – Breckin Meyer, Jake Busey, Tanya Allen, Denise Richards, Elizabeth Berkley, Jaimz Woolvett, Lisa Marie, Tyle Labine. 

Angie (Tanya Allen), seu namorado Cole (Breckin Meyer) e outro casal (Jake Busey e Denise Richards) precisam chegar ao Canadá o mais rápido possível para tirar pacotes de drogas que estão escondidas na casa do irmão dela, que foi preso. A polícia e também traficantes estão em busca da mercadoria. 

Este é um road movie que mistura comédia, ação e algumas pitadas de drama em meio a situações engraçadas e outras patéticos. É uma diversão descartável e nada mais.

domingo, 24 de março de 2024

Beekeeper: Rede de Vingança

 

Beekeeper: Rede de Vingança (The Beekeeper, EUA / Inglaterra, 2024) – Nota 6
Direção – David Ayer
Elenco – Jason Statham, Emmy Raver Lampman, Bobby Naderi, Josh Hutcherson, Jeremy Irons, David Witts, Michael Epp, Phylicia Rashad, Enzo Clienti, Minnie Driver, Jemma Redgrave, Taylor James.

Um apicultor (Jason Statham) busca vingança contra uma quadrilha de golpes digitais que roubou todas as economias de sua vizinha. A situação é mais complexa porque o sujeito é na verdade um ex-agente de um projeto secreto e seus alvos estão ligados ao alto escalão do governo. 

Este longa pode ser analisado de duas formas. O ritmo ágil com ótimas sequências de ação e violência contrastam como o péssimo roteiro repleto de furos, situações mal explicadas e uma facilidade absurda de como o protagonista chega em seus alvos. 

Os coadjuvantes ruins também não ajudam, inclusive o patético personagem do ótimo ator Jeremy Irons. Não existe muito mais o que analisar, a escolha é aproveitar a diversão na ação e deixar de lado os absurdos do roteiro.

sábado, 23 de março de 2024

Vidas Passadas

 


Vidas Passadas (Past Lives, EUA / Coreia do Sul, 2023) – Nota 7,5
Direção – Celine Song
Elenco – Greta Lee, Teo Yoo, John Magaro.

Aos doze anos de idade, Hae Sung e Nora vivem um amor infantil e são separados quando a família dela decide sair da Coreia do Sul para morar nos EUA. Hae Sung (Teo Yoo) e Nora (Greta Lee) se reencontram após doze anos da separação e novamente após vinte e quatro anos, tentando encontrar um caminho que parece nunca se acertar. 

Este sensível longa é inspirado numa história real vivida pela diretora e roteirista Celine Song. A história pode ser analisada por alguns ângulos. A força do primeiro amor, principalmente quando ele jamais foi consumado e se torna uma lembrança de algo que poderia ter sido ótimo. 

As mudanças pessoais que acontecem com o passar da idade, com os aprendizados e o foco em novos objetivos. E o ponto que me parece o mais forte aqui é a questão das tradições culturais, que faz com a protagonista escolha manter distância de suas raízes. A cena final deixa claro o peso das escolhas pessoais.

Como ponto negativo, a narrativa extremamente lenta, com muitos diálogos e situações que parecem alongadas além do ideal, fazendo o filme passar do contemplativo para o cansativo em alguns momentos.

sexta-feira, 22 de março de 2024

Marinheiro de Guerra


Marinheiro de Guerra (Krigsseileren, Noruega / Alemanha / Malta, 2022) – Nota 8
Direção – Gunnar Vikenne
Elenco – Kristoffer Joner, Pal Sverre Hagen, Ine Marie Wilmann, Alexandra Gjerpen, Arthur Hakalahti.

Noruega, 1939. Em uma cidade litorânea, os amigos Alfred (Kristoffer Joner) e Sigbjorn (Pal Sverre Hagen) conseguem trabalho como marinheiros em um navio mercante que viajará pelo mundo durante dezoito meses. 

Precisando do dinheiro, Alfred convence a esposa Cecilia (Ine Marie Wilmann) que fica cuidando dos três filhos pequenos do casal. Acreditando que a guerra iria durar pouco, os amigos são surpreendidos quando seu país é invadido pelos nazistas e eles ficam impedidos de retornar para casa. 

Essa ótima minissérie em três episódios detalha uma dolorosa saga de sofrimento e aventura que afetará para sempre a vida da dupla de amigos. O roteiro segue uma ordem cronológica, porém focando em fatos importantes durante pequenos períodos, para até o final detalhar uma história de muitos anos. 

As sequências de suspense e ação intercaladas com o drama são competentes e prendem a atenção do espectador que gosta de histórias sobre guerra. O roteiro foca também nas consequências psicológicas do pós-guerra e nas relações pessoais. Destaque para a atuação da dupla principal, a caprichada parte técnica e a ótima história.

quinta-feira, 21 de março de 2024

A Princesa e o Plebeu

 


A Princesa e o Plebeu (Roman Holiday, EUA / Itália, 1953) – Nota 8
Direção – William Wyler
Elenco – Gregory Peck, Audrey Hepburn, Eddie Albert, Harcourt Williams.

Ann (Audrey Hepburn) é a princesa de um país indefinido do leste europeu que viaja pelas capitais do continente como uma espécie de embaixadora para melhorar as relações comerciais. Em visita a Roma, Ann se mostra cansada da vida repleta de compromissos formais e regras. 

Em uma noite ela decide fugir para conhecer a verdadeira cidade e termina cruzando caminho do jornalista americano Joe Bradley (Gregory Peck), com quem cria um inusitado laço. 

Este drama romântico é um clássico que fez um imenso sucesso na época, catapultando a então quase adolescente Audrey Hepburn ao estrelado com sua beleza e seu sorriso ingênuo. A ótima química com o astro Gregory Peck, os divertidos diálogos e as locações em Roma são o destaque. 

Este é apenas um entre os vários grandes filmes dirigidos por William Wyler.

quarta-feira, 20 de março de 2024

Lolita & Miller's Girl

 


Lolita (Lolita, EUA, 1997) – Nota 7
Direção – Adrian Lyne
Elenco – Jeremy Irons, Melanie Griffith, Frank Langella, Dominique Swain, Suzanne Shepherd.

New England, 1947. O professor Humbert (Jeremy Irons) aluga um quarto na casa da viúva Charlotte (Melanie Griffith). Mesmo não gostando da mulher, Humbert decide casar com a solitária viúva para ficar próximo de sua filha adolescente Lolita (Dominique Swain), por quem ele sente atração que é retribuída pela garota. 

Esta versão da obra de Vladimir Nabokov é muito mais ousada do que o longa de Stanley Kubrick produzido em 1962. Aqui a relação é mais forte, com uma tensão sexual crescente e rendendo uma polêmica muito maior. 

Destaque para as atuações de Jeremy Irons e da garota Dominique Swain, que mesmo ainda na ativa, não conseguiu se firmar na carreira.

Miller’s Girl (Miller’s Girl, EUA, 2024) – Nota 5
Direção – Jade Hadley Bartlett
Elenco – Martin Freeman, Jenna Ortega, Bashir Salahuddin, Gideon Adlon, Dagmara Dominczyk, Christine Adams.

Cairo (Jenna Ortega) é uma colegial que ao participar das aulas de redação do professor Miller (Martin Freeman), aos poucos tenta seduzi-lo. O sujeito que desejava ser escritor, mas está preso ao colégio como professor, sente a pressão conforme a habilidade da garota com as palavras vem à tona. 

Este drama foi vendido como uma espécie de thriller erótico por causa de uma suposta cena em que praticamente nada acontece. Criar esta polêmica foi provavelmente uma escolha para tentar alavancar um filme arrastado que parece não ir a lugar algum. 

A narração da protagonista e o texto de seu conto são apenas detalhes em meio a uma história que busca inspiração no clássico “Lolita”, mas que jamais se sustenta.

terça-feira, 19 de março de 2024

Viagem Entre Estranhos

 


Viagem Entre Estranhos (Con Quién Viajas, Espanha, 2021) – Nota 6,5
Direção – Martin Cuervo
Elenco – Salva Reina, Ana Polvorosa, Andrea Duro, Pol Monen.

Quatro desconhecidos marcam por um aplicativo uma viagem de carro entre Madrid e Múrcia na Espanha. O motorista demonstra uma certa ansiedade e fala demais, entre algumas aparentes contradições. Aos poucos, as duas mulheres e o homem que viajam juntos começam a se preocupar com as atitudes do sujeito. 

Esta comédia com pitadas de drama e suspense se passa praticamente toda dentro do veículo durante a viagem, focando em conversas que variam de futilidades a discussões, com um roteiro deixando no ar a dúvida sobre a personalidade do motorista. 

É um daqueles filmes em que vários diálogos resultam em situações patéticas e constrangedoras. A pequena reviravolta no final deixa uma interrogação na cabeça do espectador.

segunda-feira, 18 de março de 2024

A Mão do Eurico

 


A Mão do Eurico (Brasil, 2023) – Nota 8
Direção – Rafael Pirrho
Documentário

Eurico Miranda foi um dirigente de futebol que atuou durante quase quarenta anos no Vasco da Gama. Sua longa trajetória rendeu títulos ao clube e também administrações nebulosas que levaram o Vasco a uma crise gigantesca que até hoje resulta em consequências financeiras e esportivas. 

Seu jeito explosivo e egocêntrico o transformou no dirigente mais odiado pelas torcidas de futebol, rendendo ainda uma legião de inimigos dentro do esporte. 

Esta série documental em cinco episódios detalha a carreira e a vida de Eurico de uma forma cronológica, mostrando os fatos mais importantes em que foi protagonista sendo comentados por sua esposa, seus filhos, jogadores e diversos jornalistas, alguns deles desafetos. 

É muito interessante analisar a complexa personalidade do protagonista, que por ser polêmico acabou sua vida com o rótulo de vilão, fazendo com que seus acertos tenham sido minimizados por causa dos erros. É o preço pago pela personalidade controversa. 

domingo, 17 de março de 2024

Longa Jornada Noite Adentro

 


Longa Jornada Noite Adentro (Long Day's Journey Into Night, EUA, 1962) – Nota 7,5
Direção – Sidney Lumet
Elenco – Katharine Hepburn, Ralph Richardson, Jason Robards, Dean Stockwell, Jeanne Barr.

Os membros de uma família de classe média alta em New England destila suas frustrações durante um dia e uma noite verão. O pai (Ralph Richardson) é um ator preso a um papel, a mãe (Katharine Hepburn) sofre com problemas psicológicos e o vício em morfina. O filho mais velho (Jason Robards) é um ator fracassado e o mais novo (Dean Stockwell) deseja se torna escritor, porém descobre estar com uma séria doença. 

Baseado em uma famosa peça de Eugene O’Neill, este longa dirigido pelo grande diretor Sidney Lumet explora o estilo teatral do material, inclusive nas ótimas interpretações. O diferencial está nas locações, com várias delas ao redor da bela casa de verão. 

O filme peca apenas pela longa duração. São quase três horas de filme repleto de diálogos, dramas e tensão familiar, o que termina cansando um pouco, mesmo para quem gosta do estilo.

sábado, 16 de março de 2024

Que Horas Eu Te Pego?

 


Que Horas Eu Te Pego? (No Hard Feelings, EUA, 2023) – Nota 6
Direção – Gene Stupnitsky
Elenco – Jennifer Lawrence, Andrew Barth Feldman, Matthew Broderick, Laura Benanti, Natalie Morales, Scott McArthur, Zahn McClarnon, Ebon Moss Bachrach, Kyle Mooney.

Maddie (Jennifer Lawrence) vive em uma cidade de veraneio no litoral de Nova York e está prestes a perder sua casa por causa de uma dívida com o governo. Precisando de dinheiro, ela aceita a proposta de um rico casal (Matthew Broderick e Laura Benanti) para se passar por namorada do filho deles, o tímido Percy (Andrew Barth Feldman). 

Esta comédia bebe na fonte dos clássicos do gênero dos anos oitenta e noventa, misturando piadas politicamente incorretas, sequência patéticas e sexo. Algumas coisas funcionam como a briga na praia, os diálogos com o casal de amigos vivido por Natalie Morales e Scott McArthur e a interpretação de Jennifer Lawrence, que se entrega ao besteirol ajudando o filme a ganhar pontos. 

Por outro lado, várias situações são forçadas, principalmente as sequências envolvendo o carro e a própria premissa que no fundo é totalmente piegas. O resultado é uma diversão passageira, descompromissada e esquecível.

sexta-feira, 15 de março de 2024

Ruby Cairo & Amor Perigoso

 


Ruby Cairo (Deception, EUA / Japão / Inglaterra / México, 1992) – Nota 5
Direção – Graeme Clifford
Elenco – Andie McDowell, Liam Neeson, Viggo Mortensen, Jack Thompson, Amy Van Nostrand, Jeff Corey, Alberto Estrella.

Bessie (Andie McDowell) recebe a notícia de que seu marido (Viggo Mortensen) morreu em um acidente com seu pequeno avião no México. Ela viaja para o país com o objetivo de confirmar a morte, porém cruza com pistas que levam a crer que o marido escondeu dinheiro e que pode estar vivo em algum lugar. 

Este suspense se perde em meio a uma trama que poderia ser complexa, mas que na verdade é confusa, com motivações sem sentido e personagens que parecem perdidos, como o médico vivido por Liam Neeson. No fundo, o roteiro tenta fazer uma crítica as falsas ONGs que movimentam grandes valores e aos vigaristas que as usam para lucrar. No final, nada disso funciona.

Amor Perigoso (Mike’s Murder, EUA, 1984) – Nota 5
Direção – James Bridges
Elenco – Debra Winger, Mark Keyloun, Darrell Larson, Paul Winfield

Após seu namorado que era traficante ser assassinado e a polícia não demonstrar grande interesse em resolver o caso, a jovem Betty (Debra Winger) decide investigar por conta própria. 

Esta mistura de policial, drama e romance foi uma tentativa fracassada da então atriz em ascensão Debra Winger carregar um filme como protagonista solo. Ela vinha dos sucessos de “Laços de Ternura” e “A Força do Destino” onde fez cenas quentes com o astro Richard Gere. Aqui, o diretor e roteirista James Bridges tentou repetir o estilo nas cenas em flashback com o inexpressivo Mark Keyloun. O resultado é um longa totalmente descartável.

quinta-feira, 14 de março de 2024

The Great Escaper

 


The Great Escaper (The Great Escaper, Inglaterra / Suécia, 2023) – Nota 8
Direção – Oliver Parker
Elenco – Michael Caine, Glenda Jackson, John Standing, Danuelle Vitallis, Laura Marcus, Will Fletcher.

Em junho do 2014, Bernard Jordan (Michael Caine) está com noventa anos morando com sua esposa Irene (Glenda Jackson) em uma casa de repouso. Mesmo doente, a esposa apoia a ideia de Bernard em viajar da Inglaterra até a França para a comemoração dos setenta anos do Dia D. 

Este drama baseado em uma história real é contado de forma extremamente sensível pelo diretor Oliver Parker, que na minha opinião resulta em seu melhor filme. O roteiro consegue ao mesmo dosar emoção, pitadas de comédia nos diálogos, reflexões sobre a terceira idade, sobre o fim da vida e os traumas que cada um carrega. 

As ótimas atuações de Michael Caine e Glenda Jackson são perfeitas para o que pede o roteiro. Eles repetem o papel de casal apaixonada que interpretaram em “A Inglesa Romântica” de 1975. São duas notas tristes sobre o filme. 

Michael Caine que hoje dia catorze de março completa noventa e um anos, deu uma entrevista dizendo que vai se aposentar. Outra notícia ainda mais triste é que a atriz Glenda Jackson faleceu aos oitenta e sete anos antes do lançamento do filme. Ela que havia se afastado das telas no início dos anos noventa para se envolver com a política, tendo sido eleita deputada. 

Para quem gosta de dramas sobre a vida real, este longa é uma ótima opção.

quarta-feira, 13 de março de 2024

O Desaparecimento de Lucie Blackman

 


O Desaparecimento de Lucie Blackman (Missing: The Lucie Blackman Case ou Keishichô Sôsaikka Rûshî Burakku Man Jiken, EUA / Japão / Singapura, 2023) – Nota 6,5
Direção – Hyoe Yamamoto
Documentário

Em julho de 2000, a jovem inglesa Lucie Blackman desapareceu em Tóquio. Ela trabalhava como hostess em um bar noturno, como se fosse uma espécie de acompanhante de homens que frequentavam o local para beber. Seu pai é avisado sobre o desaparecimento e segue para o Japão, dando início ao lado da polícia a uma busca para descobrir o paradeiro da garota. 

Este doc detalha uma história real que chamou a atenção do país inteiro, tanto pelo barulho que o pai da jovem fez na imprensa, quanto no desfecho que levou a uma situação incomum no Japão. 

O doc intercala depoimentos atuais com filmagens e entrevistas da época, além é claro de mostrar o passo a passo da investigação através das pequenas pistas que foram surgindo. Mesmo longe de ser um grande doc, ele vai agradar aos curiosos por investigações e bastidores de crimes verdadeiros.

terça-feira, 12 de março de 2024

Fandango, Uma Amor e Uma 45 & Viajantes Sem Rumo

 


Fandango (Fandango, EUA, 1985) – Nota 7
Direção – Kevin Reynolds
Elenco – Kevin Costner, Judd Nelson, Sam Robards, Chuck Bush, Brian Cesak, Suzy Amis, Glenne Headly, Pepe Serna.

EUA, 1971. Após a formatura na universidade, cinco amigos decidem aproveitar os últimos momentos da juventude antes de enfrentar os verdadeiros problemas da vida adulta. Eles participam de festas e resolvem fazer uma viagem de carro pelo país. 

Este sensível e esquecido drama sobre jovens fracassou no lançamento, mas ganhou uma segunda chance quando Kevin Costner se tornou astro com o sucesso de “Os Intocáveis” dois anos depois. O filme é uma jornada de descoberta e de despedida. Cada um dos personagens terá um desafio pela frente. Um foi abandonado pela noiva, outro foi convocado para o Vietnã e um deles enfrenta algo ainda mais complicado. 

A curiosidade é que este foi o primeiro de alguns trabalhos que Kevin Costner e o diretor Kevin Reynolds fizeram juntos, até eles brigarem durante a produção fracassada de “Waterworld: O Segredo das Águas”. Eles voltaram a trabalhar juntos somente dezessete anos depois na ótima minissérie “Hatfields & McCoys”.

Um Amor e Uma 45 (Love and a .45, EUA, 1994) – Nota 7
Direção – C.M. Talkington
Elenco – Gil Bellows, Renee Zellweger, Rory Cochrane, Jeffrey Combs, Jace Alexander, Ann Wedgeworth, Peter Fonda, Charlotte Ross, Michael Bowen.

Após um assalto que deu errado e terminou em morte, os pequenos criminosos Watty (Gil Bellows) e Billy Mack (Riry Cochrane) decidem fugir para o México levando a noiva do primeiro (Renée Zellweger). O trio inicia uma complicada viagem sendo perseguidos pela polícia e também por bandidos. 

Este interessante filme independente mistura road movie, policial, romance, comédia e até humor negro de uma forma que prende a atenção do espectador. Os personagens bizarros como o criminoso vivido por Jeffrey Combs e o hippie de Peter Fonda ajudam a dar uma pitada de comédia em meio a violência. 

O filme tem duas curiosidades. Foi um dos primeiros trabalhos da atriz Renée Zellweger, que ficaria famosa pouco tempo depois. E apesar do longa ter tido uma espécie de sucesso cult nas locadoras e o diretor e roteirista estreante C.M. Talkington ter sido elogiado, ele não conseguiu construir uma carreira.

Viajantes Sem Rumo (Made in U.S.A., EUA, 1987) – Nota 5,5
Direção – Ken Friedman
Elenco – Adrian Pasdar, Christopher Penn, Lori Singer, Judyth Baldwin.

Os jovens Dar (Adrian Pasdar) e Tucker (Christopher Penn) decidem sair da pequena cidade em que vivem e atravessar o país a caminho da Califórnia. Utilizando um carro roubado e cometendo pequenos delitos, a dupla cruza o caminho da bela e também rebelde Annie (Lori Singer), que se junta a viagem. 

Este longa explora o clássico tema dos jovens que buscam liberdade sem se preocupar com seus atos ou suas consequências. A trama é bastante irregular, com os habituais conflitos entre personagens e motivações sem grande profundidade. É um filme que vale apenas como curiosidade para quem curte obras independentes dos anos oitenta.

segunda-feira, 11 de março de 2024

Ferrari

 


Ferrari (Ferrari, EUA / Inglaterra / Itália / China, 2023) – Nota 7
Direção – Michael Mann
Elenco – Adam Driver, Penélope Cruz, Shailene Woodley, Gabriel Leone, Patrick Dempsey, Jack O’Connell, Giuseppe Bonifati, Giuseppe Attanasio.

Em 1957, o empresário Enzo Ferrari (Adam Driver) enfrenta dificuldades financeiras em sua empresa e uma crise no casamento com Laura (Penélope Cruz), além de um ter um filho com uma amante (Shailene Woodley). Ferrari mira uma vitória de seus pilotos na famosa corrida Mille Miglia como a chance de recolocar sua empresa no caminho do sucesso. 

Este longa dirigido por Michael Mann explora o estilo atual de focar apenas em parte da biografia de alguma figura famosa. Mesmo com alguns flashbacks e detalhes de acontecimentos passados, o roteiro explora somente no ano de 1957 que se mostrou crucial na vida pessoal e profissional do empresário e ex-piloto de automóvel. 

A atuação de Adam Driver é estranha ao intercalar poucos momentos de alegria e outros em que demonstrava amargura principalmente em relação a sua vida pessoal. Está longe de ser um grande filme, mas vale como curiosidade para conhecer um pouco mais a respeito do famoso Enzo Ferrari.

domingo, 10 de março de 2024

Overdose

 


Overdose (Overdose, França, 2022) – Nota 7
Direção – Olivier Marchal
Elenco – Sofia Essaidi, Assaad Bouab, Alberto Ammann, Nicolas Cazalé, Nassim Lyes, Francis Remaud, Kool Shen, Pierre Laplace, Simon Abkarian, Carlos Bardem.

O transporte de uma grande carga de drogas entre a Catalunha na Espanha e Toulouse na França é monitorado pela polícia francesa que pretende desmantelar as duas quadrilhas envolvidas. 

Este longa policial é mais um bom trabalho do competente diretor Olivier Marchal. Especialista no gênero, ele consegue balancear a narrativa com sequências de violência e outras dramáticas, sempre em tramas complexas envolvendo diversos personagens. 

As locações na Catalunha, em Tolulouse e Paris são destaque, assim como as atuações da bela Sofia Essaidi e do argentino Alberto Ammann como um traficante psicopata. Para quem gosta do gênero, as obras de Olivier Marchal são sempre uma boa opção.

sábado, 9 de março de 2024

O Exorcista: O Devoto

 


O Exorcista: O Devoto (The Exorcist: Believer, EUA, 2023) – Nota 5,5
Direção – David Gordon Green
Elenco – Leslie Odom Jr., Lidya Jewett. Anne Dowd, Danny McCarthy, Norbert Leo Butz, Jennifer Nettles, Olivia O ‘Neill, Tracey Graves, Raphael Sbarge, Okwui Okpokwasili, E.J. Bonilla, Ellen Burstyn, Linda Blair.

Em um prólogo na África, Victor (Leslie Odom Jr.) vê sua esposa grávida morrer durante um terremoto. Os médicos conseguem salvar o bebê. Treze anos depois, a garota Angela (Lidya Jewett) e sua amiga Katherine (Olivia O’Neill) decidem passar algumas horas em um bosque para fazer um ritual tentando despertar o espírito de sua falecida mãe. Algo dá errado e elas desaparecem. 

Este longa que busca conseguir público explorando o clássico “O Exorcista”, na verdade se revela um terror genérico sobre possessão como tantos outros que foram produzidos nos últimos cinquenta anos. 

O roteiro insere a participação das personagens de Ellen Burstyn e Linda Blair. A primeira em um contexto um pouco forçado e a segunda em uma cena rápida. A melhor sacada do roteiro é criar uma espécie de time para enfrentar o demônio. 

Infelizmente é um filme totalmente esquecível, que deveria ter sido produzido sem ligação com o maior clássico de terror da história do cinema.

sexta-feira, 8 de março de 2024

57 Segundos & Muti: Crime e Poder

 


57 Segundos (57 Seconds, EUA, 2023) – Nota 5,5
Direção – Rusty Cundieff
Elenco – Josh Hutcherson, Morgan Freeman, Greg Germann, Lovie Simone, Bevin Bru, Sammi Rotibi, Maark Jacobson.

Durante uma confusão na palestra de um guru (Morgan Freeman) que mistura tecnologia e saúde, o blogueiro Franklin (Josh Hutcherson) fica com um estranho anel. O artefato tem o poder de fazer a pessoa voltar 57 segundos no tempo e assim alterar os acontecimentos naquele período. 

Por mais que viagem no tempo seja um tema comum no cinema, a premissa aqui é bastante interessante ao focar em um período extremamente curto, o que leva o protagonista a ser criativo para moldar os fatos de acordo com sua vontade. 

O grande problema é que o desenvolvimento da história é ruim, tentando misturar crítica as corporações, ganância e vingança na mesma panela junto com a tecnologia, tudo de uma forma rasa. A sequência do clímax também é absurda, ao estilo de um filme B.

Muti: Crime e Poder (The Ritual Killer, EUA, 2023) – Nota 4,5
Direção – George Gallo
Elenco – Morgan Freeman, Cole Hauser, Vernon Davis, Murielle Hilaire, Peter Stormare, Brian Kurlander, Giuseppe Zeno.

Um sujeito (Vernon Davis) mata alguns policiais em Roma durante uma fuga. Ele é um assassino especializado em rituais macabros. Pouco tempo depois ele continua seus crimes nos EUA, sendo perseguido por um detetive (Cole Hauser) que busca ajuda com um professor de estudos africanos (Morgan Freeman). 

Este longa policial tem uma premissa com bastante potencial e um clima que beira o terror em alguns momentos. O problema é que o roteiro e o desenvolvimento da história são péssimos. Fatos mal explicados, situações resolvidas de uma forma rápida e um roteiro muito confuso desperdiçam totalmente a intrigante premissa.

quinta-feira, 7 de março de 2024

Esculturas da Vida

 


Esculturas da Vida (Showing Up, EUA, 2023) – Nota 4
Direção – Kelly Reichardt
Elenco – Michelle Williams, Hong Chau, John Magaro, André Benjamin, Maryann Plunkett, Judd Hirsch, James Le Gros.

Lizzy (Michelle Williams) é uma escultora insegura que enquanto prepara suas peças para uma importante exposição, em paralelo precisar lidar com problemas do dia a dia com uma vizinha (Hong Chau), com a mãe (Maryann Plunkett), a preocupação com o pai (Judd Hirsch) e a volta do irmão problemático (John Magaro). 

Este é o terceiro longa da parceria entre a diretora Kelly Reichardt e a atriz Michelle Williams. Seus trabalhos anteriores foram o sensível “Wendy e Lucy” e o razoável “Certas Mulheres”. Com um estilo de narrativa lenta, quase contemplativa em alguns momentos, aqui a diretora entrega um filme que é um verdadeiro teste de paciência. As situações citadas anteriormente ocorrem sem emoção alguma, como se fossem apenas passagens em meio a um roteiro que não leva a lugar algum. 

O destaque fica apenas para o veteraníssimo Judd Hirsch, que hoje aos oitenta e nove anos continua atuando, tendo trabalhado inclusive no recente “Os Fabelmans” de Spielberg ao lado da mesma Michelle Williams.

quarta-feira, 6 de março de 2024

Os Rejeitados

 


Os Rejeitados (The Holdovers, EUA, 2023) – Nota 8
Direção – Alexander Payne
Elenco – Paul Giamatti, Dominic Sessa, Da’Vine Joy Randolph, Carrie Preston, Brady Hepner, Andrew Garman, Naheem Garcia, Ian Dolley, Jim Kaplan, Michael Provost.

New England, 1970, véspera de Natal. Em um colégio interno, alguns garotos são obrigados a ficar no local durante as duas semanas de férias de inverno por motivos diversos relacionados aos seus próprios pais. Para cuidar dos garotos, o diretor da escola escala o solitário e também rígido professor de História Paul Hunham (Paul Giamatti), que terá a companhia da cozinheira Mary (Da’Vine Joy Randolph). 

O cinema do diretor Alexander Payne normalmente foca em personagens que carregam traumas, nas falhas do ser humano e sentimentos como solidão, frustração e ambição. São filmes sóbrios com narrativas que pegam o espectador pelos diálogos e pelas situações que criam empatia com os personagens.

Neste longa a trama a princípio lembra uma versão do antigo clássico adolescente “Clube do Cinco” dirigido por John Hughes, porém este é apenas um pequeno pedaço das inspirações do diretor. Uma reviravolta lá pelos trinta minutos faz com que o trio do professor de Paul Giamatti, o aluno de Dominic Sessa e a cozinheira vivida por Da’Vine Joy Randolph tenham que dividir sentimentos, frustações e solidão, mesmo sendo totalmente diferentes entre si, em todos os sentidos. 

Uma das propostas de Payne aqui e em outros trabalhos é mostrar a dificuldade que temos em entender as atitudes das pessoas ao nosso redor. Normalmente não sabemos os problemas que elas enfrentaram e as levaram a ser o que são. Payne é craque em contar histórias que nos fazem pensar sobre a vida.

terça-feira, 5 de março de 2024

11 de Setembro: O Resgate

 


11 de Setembro: O Resgate (9/11, EUA, 2017) – Nota 6,5
Direção – Martin Guigui
Elenco – Charlie Sheen, Gina Gershon, Luís Guzman, Whoopi Goldberg, Wood Harris, Olga Fonda, Bruce Davison, Jacqueline Bisset.

Na trágica manhã de 11 de Setembro de 2001, cinco pessoas ficam presas em um elevador no World Trade Center durante os ataques terroristas. A princípio sem saber o que realmente ocorreu, aos poucos eles descobrem que a situação é mais terrível do que imaginam. 

Baseado em uma peça de teatro, este longa tem como ótima sacada focar na visão de pessoas que estavam dentro do edifício, presas e lutando pela sobrevivência. Um casal e três personagens aleatórios passam pelas fases da surpresa, do medo, do conhecimento, da solidariedade e do desespero. 

As críticas ruins não fazem jus a interessante abordagem sobre reações pessoais em meio a uma situação extrema. O filme tem ainda uma narrativa que não cansa e boas sequências de suspense.

segunda-feira, 4 de março de 2024

O Corujão e a Gatinha & Paper Lion

 


O Corujão e a Gatinha (The Owl and the Pussycat, EUA, 1970) – Nota 6,5
Direção – Herbert Ross
Elenco – Barbra Streisand, George Segal, Robert Klein, Allen Garfield

Doris (Barbra Streisand) é uma garota de programa que sonha se tornar atriz. Felix (George Segal) é um tímido aspirante a escritor que teve seus manuscritos rejeitados por várias editoras. Eles moram no mesmo edifício. As diferenças de vida e personalidade criam um conflito, que será resolvido em uma longa noite de discussão. 

Baseado em uma peça de teatro, este longa se ampara nos diálogos divertidos e picantes, que são muitos por sinal e nas atuações de Barbra Streisand e George Segal. Ela sem pudor e falando demais, enquanto ele tenta vencer sua timidez. 

É uma comédia romântica básica que explora as mudanças de costumes que ocorriam na época.

Paper Lion (Paper Lion EUA, 1968) – Nota 5
Direção – Alex March
Elenco – Alan Alda, Lauren Hutton, Alex Karras, Frank Gifford, Ann Turkel.

George Plimpton (Alan Alda) é um jornalista de uma revista de esportes que decide escrever um artigo através de uma experiência real. Ele consegue autorização para treinar como quarterback em uma equipe de futebol americano em Detroit, mesmo sabendo que pode sair ferido da aventura. 

Este esquecido longa baseado em uma história real envelheceu bastante no ritmo, na narrativa e perdeu até mesmo o interesse na própria história. Praticamente toda a narrativa se passa entre os treinamentos, a tentativa do protagonista em se enturmar com os colegas de time, até chegar a rápida sequência final da partida em que ele participa. 

Não é um filme de heroísmo ou superação, também fica longe de ser uma boa comédia. O resultado é o relato de uma experiência pessoal que pouco interessa ao espectador.

domingo, 3 de março de 2024

Corner Office

 


Corner Office (Corner Office, EUA, 2022) – Nota 6
Direção – Joachim Back
Elenco – Jon Hamm, Sarah Gadon, Danny Pudi, Christopher Heyerdahl, Alison Riley, Bill Marchant.

Orson (Jon Hamm) começa em um novo emprego com o objetivo de mostrar suas qualidades e crescer na carreira. A situação fica estranha quando ele descobre uma sala secreta no escritório, porém ninguém acredita na sua história. 

Este curioso longa com um estranho protagonista faz o espectador buscar explicações nas entrelinhas dos diálogos e na narração em off. Por sinal, a narração ajuda a entender a mentalidade incomum do protagonista, que parece viver em um mundo paralelo. 

Ao mesmo tempo em que se mostra observador e crítico em seus pensamentos, ele não consegue lidar com o mundo real. Pelo menos duas sequências entre ele e a secretária vivida por Sarah Gadon são patéticas e dolorosas. A sala secreta é na verdade uma forma encontrada pelo personagem para fugir de sua triste vida real.

sábado, 2 de março de 2024

Dias Perfeitos

 


Dias Perfeitos (Perfect Days, Japão / Alemanha, 2023) – Nota 8
Direção – Wim Wenders
Elenco – Koji Yakusho, Tokio Emoto, Arisa Nakano.

Hirayama (Koji Yakusho) é um homem solitário que trabalha limpando banheiros públicos em Tóquio. Ele encara o trabalho que seria odiado por quase todas as pessoas com uma dedicação exemplar, seguindo uma rotina diária que resulta em uma felicidade incomum. 

Quase quarenta anos depois de “Paris, Texas” e “Asas do Desejo”, que eu considero as melhores obras de sua carreira, o diretor alemão Wim Wenders entrega um longa que alcança ou pelo menos chega perto do mesmo nível. 

Com uma história que parece simples, mas que esconde camadas na personalidade do protagonista, uma narrativa quase contemplativa e belíssimas sequências abertas em Tóquio, este longa é uma ótima surpresa. 

O roteiro escrito pelo diretor em parceria com Takuma Takasaki não entrega respostas fáceis ou explicações, as motivações estão nas entrelinhas e em pequenos diálogos. O filme defende a liberdade de escolha, onde uma vida simples que para muitos pode parecer monótona, para o protagonista é um prazer e ao mesmo tempo uma espécie de terapia.