sábado, 4 de fevereiro de 2023

Cinco Dias no Hospital Memorial

 


Cinco Dias no Hospital Memorial (Five Days at Memorial, EUA, 2022) – Nota 7,5
Direção – John Ridley, Wendey Stanzler & Carlton Cuse
Elenco – Vera Farmiga, Cherry Jones, Michael Gaston, Cornelius Smith Jr., Robert Pine, Molly Hager, Adepero Oduye, Julie Ann Emery, W. Earl Brown.

Em agosto de 2005, o Furacão Katrina atingiu Nova Orleans deixando um rastro de destruição que foi ainda maior quando os diques da cidade se romperam no dia seguinte. Com a cidade totalmente alagada, o hospital memorial ficou isolado durante cinco dias lotado de funcionários, pacientes e pessoas que se refugiaram da água. 

Esta minissérie em oito episódios detalha estes cinco dias em que as pessoas no hospital passaram do medo para a esperança e no final ao desespero, inclusive tomando atitudes que levaram a uma investigação pouco tempo depois. 

O roteiro coloca em discussão as polêmicas tomadas de decisões, as reações de cada pessoa frente a uma situação extrema e a falta de preparo dos administradores do hospital para lidar com o problema, além é claro dos erros das autoridades. 

Os destaques do elenco ficam para a médica vivida por Vera Farmiga, o médico humanista interpretado pelo veteraníssimo Robert Pine e uma surpreendente atuação do eterno coadjuvante de séries Michael Gaston, que habitualmente vive personagens durões ou vilões e que aqui é o investigador da promotoria que demonstra uma enorme empatia com os sobreviventes e sofre por causa da tragédia.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

To Leslie

 


To Leslie (To Leslie, EUA, 2022) – Nota 7
Direção – Michael Morris
Elenco – Andrea Riseborough, Owen Teague, Marc Maron, Allison Janney, Stephen Root, Andre Royo, Matt Lauria, James Landry Hebert.

Alguns anos após ter ganhado na loteria, Leslie (Andrea Riseborough) perdeu todo o dinheiro, se tornou alcoólatra e ficou até mesmo sem ter onde morar. Ela tenta se reaproximar do filho James (Owen Teague), mas suas atitudes cada vez mais a levam para o fundo do poço. 

Este drama baseado em uma história real sobre vício em bebidas e problemas familiares ambientado em uma cidade do Texas não apresenta surpresas, mas ganha pontos pelo desenvolvimento dos personagens. 

A saga de sofrimento causado pela própria protagonista que demora para aceitar seus erros, o filho de bom coração que chega ao limite e o personagem vivido por Marc Maron que surge para mostrar uma nova vida a Leslie são os destaques. 

Mesmo com uma sequência final emotiva, a narrativa é sóbria, com situações tristes bem próximas da realidade na vida de um viciado.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2023

Lou

 

 
Lou (Lou, EUA, 2022) – Nota 6
Direção – Anna Foerster
Elenco – Allison Janney, Jurnee Smollett, Logan Marshall Green, Ridley Asha Bateman, Matt Craven, Greyston Holt.

Lou (Allison Janney) é uma mulher solitária que vive numa região rural. Quando o ex-marido de sua vizinha Hannah (Jurnee Smollett) surge e rapta a filhinha do casal, Lou inicia uma caçada ao sujeito, fazendo vir à tona segredos do seu passado. 

Este thriller entrega boas sequências de ação e violência ambientadas em uma floresta, com uma trama genérica que a princípio parece ser bem amarrada, mas que esconde alguns grandes furos no roteiro. 

A motivação do vilão para o rapto é sem sentido, quase uma desculpa do roteiro para tentar criar mais tensão, assim como a entrada em cena de agentes do governo que sabe-se lá como descobriram o que está acontecendo na floresta. 

O espectador também precisa comprar a ideia das habilidades da personagem de Allison Janney, atriz que jamais tinha participado de sequências de ação e que aqui claramente é substituída por dublês em várias delas. 

O resultado é um filme de ação genérico que prende a atenção, porém totalmente esquecível.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

A Lenda de Lizzie Borden

 


A Lenda de Lizzie Borden (The Legend of Lizzie Borden, EUA, 1975) – Nota 7
Direção – Paul Wendkos
Elenco – Elizabeth Montgomery, Fionnula Flanagan, Katherine Helmond, Ed Flanders, Don Porter, Fritz Weaver, Bonnie Bartlett, Helen Craig.

Massachusetts, 1893. Em um bairro do que hoje seria uma classe média, um casal é assassinado dentro de casa, local onde estão apenas a filha do homem Lizzie Borden (Elizabeth Montgomery) e a empregada Bridget (Fionnula Flanagan) que estaria no quintal. Lizzie rapidamente se torna a suspeita, dando início a um complexo processo judicial. 

Este longa produzido para a tv é baseado em uma história real que se transformou em uma espécie de lenda popular criminal. Grande parte do filme foca no julgamento, detalhando ponto a ponto o que deve ter acontecido, além dos vários depoimentos que em sua maioria apontam para a acusada. 

Além da história, o destaque fica para a atuação de Elizabeth Montgomery, então uma estrela de tv por conta da clássica série “A Feiticeira”, que cria uma Lizzie Borden fria e assustadora em alguns momentos. 

Em 2015 foi produzida um minissérie para tv protagonizada por Christina Ricci, em que aparentemente a história foi contada com maior cinismo, diferente da seriedade pesada deste longa dos anos setenta.

terça-feira, 31 de janeiro de 2023

Missing 411 - A Trilogia

 


Missing 411 (Missing 411, EUA, 2016) – Nota 6,5
Direção – Michael DeGrazier & Benjamin Paulides
Documentário

Baseado em um livro do ex-policial David Paulides, este é o primeiro documentário de uma trilogia sobre o tema do desaparecimento misterioso de pessoas em parques estaduais. 

O foco aqui é o desaparecimento de crianças, tendo como história principal a de um garoto de dois anos de idade que sumiu quando seus pais, o avô e um amigo da família acampavam em Idaho Falls. A forma como ocorreu o desaparecimento e a total falta de provas ou pistas é um mistério que aflige até hoje a família e as autoridades envolvidas no caso. 

O doc detalha também histórias semelhantes que aconteceram em outros parques, como se algumas crianças simplesmente sumissem da face da Terra. A narrativa é mediana e sem grandes surpresas ou revelações, fazendo com que o ponto principal sejam as próprias histórias de desaparecimentos sem solução.

Missing 411: The Hunted (Missing 411: The Hunted, EUA, 2019) – Nota 7
Direção – Michael DeGrazier
Documentário

Neste segundo longa sobre os casos de desaparecimento em parques estaduais analisados pelo escritor David Paulides, o foco são os misteriosos casos com caçadores. Paulides diz ter estudado em torno de mil e duzentos casos envolvendo todo o tipo de desaparecimentos em parques, selecionando alguns dentre muitos que não tem explicação lógica alguma. 

Aqui ele detalha através de depoimentos quatros casos em que caçadores experientes desapareceram sem deixar vestígios. Em dois destes casos os corpos foram encontrados, porém em locais e condições totalmente absurdas em relação ao desaparecimento. 

Ligando com um quinto caso diferente, em que algo inexplicável foi visto por vários pessoas, fica a ideia de que Paulides acredita que as respostas possam estar além de nossa racionalidade.

Missing 411: The U.F.O. Connection (Missing 411: The U.F.O. Connection, EUA, 2022) – Nota 7,5
Direção – David Paulides
Documentário

Fechando a trilogia sobre desaparecimentos em parque estaduais baseados em seus livros, o ex-policial e escritor David Paulides foca nos casos em que ocorreram a aparição de UFOs na mesma região. 

Novamente os casos abordados são de caçadores experientes que desapareceram, além de uma situação específica de um sujeito que alega ter sido abduzido em 1974 e que ainda está vivo para contar sua história. 

Paulides fez uma pesquisa minuciosa para agrupar casos semelhantes ocorridos em locais muito próximos, ou seja, coincidências difíceis de serem aceitas como algo normal. É interessante também a teoria criado pelo escritor que cita dez situações que estariam ligadas aos desaparecimentos, algumas delas repetidas em quase todas. 

Como exemplo, a pessoa que some sempre se desgarra do grupo de pessoas que estava na floresta com ela, as vezes desaparecendo numa questão de segundos. Outros pontos são que os locais sempre estão próximos da água, normalmente um rio, pouco tempo após o sumiço ocorre um evento climático que atrapalha as buscas e o mais curioso é que os cães farejadores não detectam cheiro algum, algo totalmente incomum. 

O tema é vasto, complexo e principalmente misterioso, rendendo esta interessante trilogia que faz pensar e que deixa enormes dúvidas sobre o que realmente aconteceu nestes casos.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2023

Entre Lobos

 


Entre Lobos (Brasil, 2022) – Nota 8
Direção – Silvio Medeiros
Documentário

Produzido pelo Brasil Paralelo, este é com certeza o documentário mais completo sobre o problema da segurança no Brasil. São três episódios que detalham através de informações e depoimentos como funciona a segurança pública, os problemas estruturais com a divisão da polícia em civil e militar, a falta de apoio aos policiais e o burocrático processo da justiça criminal que beneficia os acusados esquecendo completamente das vítimas. 

É uma realidade estarrecedora, daquelas que tiram completamente a esperança de vivermos em um país melhor e com mais segurança. É um documentário que deveria servir como ponto de partida para uma ampla reestruturação na justiça brasileira.

domingo, 29 de janeiro de 2023

Noites Brutais

 


Noites Brutais (Barbarian, EUA, 2022) – Nota 5
Direção – Zach Cregger
Elenco – Georgina Campbell, Bill Skarsgard, Justin Long, Richard Brake, Jaymes Butler.

Tess (Georgina Campbell) chega em Detroit para uma entrevista de emprego e descobre que a casa que alugou por um aplicativo está localizada em um bairro decadente. Para piorar, um rapaz (Bill Skarsgard) também está no local tendo alugado o imóvel por outro aplicativo. O que ela também não sabe é que existe um terrível segredo nos porões da casa. 

Este longa de terror e suspense começa até de uma forma intrigante, com um clima estranho e deixando em dúvida sobre qual seria a ameaça. Conforme a trama avança e com a entrada em cena do personagem de Justin Long tudo desanda. 

Além dos vários furos no roteiro e das péssimas decisões tomadas pelos personagens, a escolha do diretor e roteirista em demonizar a polícia em uma sequência rápida e principalmente transformar um personagem masculino em estereótipo ideológico jogam o filme na lata do lixo. O clímax então é de um absurdo total.

sábado, 28 de janeiro de 2023

Pearl

 


Pearl (Pearl, EUA / Canadá, 2022) – Nota 6
Direção – Ti West
Elenco – Mia Goth, David Corenswet, Tandi Wright, Matthew Sunderland, Emma Jenkins Purro, Alistair Sewell, Amelia Reid.

Texas, 1918. Em uma fazenda vive a jovem Pearl (Mia Goth) que sonha em se tornar dançarina, mas que convive com a mãe dominadora (Tandi Wright) e precisa do cuidar do pai catatônico (Matthew Sunderland). Conforme Pearl vai descobrindo a vida, também vem à tona o seu lado sombrio que desencadeará uma série de acontecimentos bizarros. 

Este longa é um prequel do interessante e superior na comparação “X” que o diretor e roteirista Ti West comandou também em 2022. Por mais que muitas pessoas estejam tratando este novo longa como uma espécie de cult, muito pela ótima e assustadora atuação de Mia Goth, por outro lado a estranheza acaba sendo maior que a qualidade, como na sequência do espantalho por exemplo. 

O roteiro basicamente detalha como uma jovem ingênua e sonhadora termina desenvolvendo uma personalidade perturbada e violenta, fatos que se encaixam com os acontecimentos do filme seguinte. A montagem e os créditos seguem os estilos dos filmes B dos anos setenta como “O Massacre da Serra Elétrica”. 

Por mais que o filme tenha qualidades, eu considero a narrativa cansativa e a história previsível para quem viu o longa anterior. Vamos ver como será o fechamento da trilogia com “MaXXine” que está sendo filmado.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2023

O Destruidor, Fúria Cega & O Vingador

 


O Destruidor (Split Second, Inglaterra, 1992) – Nota 6,5
Direção – Tony Maylam
Elenco – Rutger Hauer, Kim Cattrall, Neil Duncan, Michael J. Pollard, Pete Postlethwaite.

Em um futuro próximo, a cidade de Londres está infestada por ratos, doenças e parte dela alagada. Tudo fica ainda pior quando uma estranha criatura começa a atacar a pessoas, literalmente destroçando quem cruza seu caminho. Neste contexto, o policial rebelde Harley Stone (Rutger Hauer) inicia uma caçada com ajuda de um parceiro certinho (Neil Duncan) e de uma garota (Kim Cattall). 

Esta mistura de ficção e policial é um filme assumidamente B que copia elementos de outros longas do gênero da época, inclusive o clássico “Blade Runner” que também tinha Rutger Hauer. Os destaques são as violentas sequências de ação, o clima sinistro em uma Londres decadente e a cínica interpretação de Hauer. Seu personagem é o clichê ambulante do anti-herói, que diz ainda se alimentar somente de café e chocolate. 

É uma típica ficção B ao estilo dos anos oitenta e noventa.

Fúria Cega (Blind Fury, EUA, 1989) – Nota 6,5
Direção – Phillip Noyce
Elenco – Rutger Hauer, Terry O'Quinn, Brandon Call, Lisa Blount, Randall Tex Cobb, Meg Foster, Nick Cassavetes, Sho Kosugi, Rick Overton.

Nick Parker (Rutger Hauer) era um jovem soldado que perdeu a visão lutando no Vietnã. Ele foi acolhido por um mestre que o ajudou a se recuperar e o treinou para manejar uma espada (katana), além de desenvolver os demais sentidos. 

Vinte anos depois, Nick volta aos EUA com o objetivo de encontrar um ex-companheiro (Terry O’Quinn), porém descobre que o sujeito trabalha para um traficante. Nick termina por se envolver em um complicada trama quando o filho do amigo (Brandon Call) se torna alvo da quadrilha. 

Deixando os absurdos de lado ao aceitar a proposta do roteiro em que o protagonista enfrenta os vilões sem ver nada, o espectador que gosta de filmes de ação vai se divertir. A premissa de transformar um protagonista em tutor de um garoto perseguido é clichê, porém as boas sequências de ação e o carisma de Rutger Hauer seguram bem o filme. 

A trama é inspirada no clássico japonês “Zatoichi”.

O Vingador (Hobo with a Shotgun, Canadá, 2011) – Nota 5,5
Direção – Jason Eisener
Elenco – Rutger Hauer, Molly Dumsworth, Brian Downey, Nick Bateman, Gregory Smith.

Um viajante maltrapilho (Rutger Hauer) chega escondido em um trem de carga numa pequena cidade do interior dominada pela criminalidade. Ao defender uma prostituta, o estranho sem nome é agredido pelos filhos do chefão do crime na cidade. O sujeito sobrevive e decide comprar uma arma para se vingar. 

Assim como “Machete”, este longa B de ação nasceu de um trailer falso dirigido pelo mesmo Jason Eisener em 2007 lançado junto com “Grindhouse”, o filme duplo dirigido por Quentin Tarantino e Robert Rodriguez. 

A trama simples é apenas uma desculpa para uma série de sequências de violência e sangue explodindo para todos os lados. O grande Rutger Hauer parece se divertir descendo a porra e mandando chumbo nos bandidos que cruzam seu caminho. 

É praticamente um gore exagerado e absurdo, indicado para os fãs do gênero.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

A Raposa Cinzenta

 


A Raposa Cinzenta (The Grey Fox, EUA, 1982) – Nota 7
Direção – Philip Borsos
Elenco – Richard Farnsworth, Jackie Burroughs, Ken Pogue, Wayne Robson, Timothy Webber, Gary Reineke.

EUA, 1901. Após cumprir trinta e três anos de prisão, o outrora ladrão de diligências Bill Miner (Richard Farnsworth) ganha a liberdade. Encontrando um mundo completamente diferente do que conhecia, ele tenta recomeçar a vida com um emprego simples, porém aos poucos percebe que seu dom é mais forte do que a honestidade. Miner decide então assaltar um trem, retornando ao mundo do crime. 

Este simpático longa é ao mesmo tempo um western sobre o final de uma era e um drama com um protagonista incomum, uma espécie de ladrão honrado que existe somente no cinema. A reconstituição de época e a ótima atuação de Richard Farnsworth são os destaques. 

Por sinal, o então veterano ator que fez uma longa carreira na questão de tempo, mas sem tantos filmes quantos seus contemporâneos, teve dois grandes papéis de protagonista. Neste longa comento e em seu último trabalho em “Uma História Real” de 1999 dirigido por David Lynch, que inclusive lhe rendeu uma indicação os Oscar de Melhor Ator. Farnsworth faleceu em 2000.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2023

Cores no Escuro

 


Cores no Escuro (Satte Farben vor Schwarz, Alemanha, 2010) – Nota 6,5
Direção – Sophie Heldman
Elenco – Senta Berger, Bruno Ganz, Barnaby Metschurat, Carine Wiese, Leonie Benesch.

O longo casamento de Fred (Bruno Ganz) e Anita (Senta Berger) é abalado quando ele é diagnosticado com câncer de próstata, não aceita se tratar e decide comprar um apartamento para passar alguns momentos sozinhos, o que desagrada completamente a esposa. 

Este drama sobre os problemas na reta final da vida disseca os altos e baixos de um casamento, em que mesmo existindo o amor, os obstáculos e os erros de cada um foram muitos. 

O roteiro detalha ainda a relação com o casal de filhos adultos (Barnaby Metschurat e Carine Wiese) e com a neta adolescente (Leonie Benesch). 

Destaque para as ótimas atuações da belíssima Senta Berger e do falecido Bruno Ganz, além do final ousado.

terça-feira, 24 de janeiro de 2023

Operação Avalanche

 


Operação Avalanche (Operation Avalanche, EUA, 2016) - Nota 6
Direção – Matt Johnson
Elenco – Matt Johnson, Owen Williams, Andrew Appelle, Jared Raab, Josh Boles, Ray James.

Em 1967, dois jovens agentes da CIA (Matt Johnson e Owen Williams) são enviados para trabalhar na NASA disfarçados de documentaristas com o objetivo de descobrir a identidade de um espião soviético que estaria infiltrado no local. Rapidamente eles descobrem um segredo em relação ao trabalho da NASA e se voluntariam para participar de uma gigantesca farsa. 

Explorando o estilo de falso documentário, este longa tem uma premissa extremamente intrigante ao abordar uma possível conspiração que seria provavelmente a maior da história da humanidade. 

O grande problema é que o estilo de câmera na mão normalmente cansa o espectador por causa dos enquadramentos estranhos e da “agitação” na tela. Além disso, em momento algum o suspense decola e as atuações são fracas. 

O tema rendeu um filme um pouco melhor nos anos setenta chamado “Capricórnio Um”, mas mesmo assim merecia uma nova versão mais bem trabalhada.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2023

Dragões para Sempre & Detonando em Barcelona

 


Dragões para Sempre (Fei Lung Mang Jeung, Hong Kong, 1988) – Nota 7
Direção – Sammo Hung & Corey Yuen
Elenco – Jackie Chan, Sammo Hung, Yuen Biao, Pauline Yeung, Deanne Ip. Wah Yuen, Benny Urquidez.

Jackie (Jackie Chan) é o advogado de uma empresa que está sendo acusada de poluir as águas de uma região em Hong Kong. Ao se envolver com a advogada que faz a acusação, Jackie termina por mudar de opinião. Com a ajuda de dois amigos (Sammo Hung e Yuen Biao), eles farão de tudo para destruir a empresa corrupta. 

Jackie Chan, Sammo Hung e Yuen Biao tiveram a mesma formação artística e acrobática na Escola de Ópera de Pequim, local conhecido por uma dura disciplina. Trabalharam juntos em vários filmes, sempre mostrando todo o talento para as sequências de ação criativas misturando artes marciais e acrobacias com objetos. 

Este longa perde um pouco de tempo em dois romances ingênuos ao estilo do cinema de Hong Kong, para ganhar pontos nas ótimas sequências de luta, muitas delas entre os próprios protagonistas, criando assim uma pitada de comédia. 

É um filme indicado para os fãs do gênero e do estilo.

Detonando em Barcelona (Kuai Can Che, Hong Kong, 1984) – Nota 7
Direção – Sammo Hung
Elenco – Jackie Chan, Sammo Hung, Yuen Biao, Benny Urquidez, Keith Vitali, Herb Edelman.

Os primos Thomas (Jackie Chan) e David (Yuen Biao) são donos de um restaurante móvel (os atuais Food Trucks) em Barcelona. Quando uma jovem batedora de carteiras é perseguida por uma gangue, a dupla de amigos junto com um detetive particular (Sammo Hung) se envolve no conflito. 

O trio Jackie Chan, Sammo Hung e Yuen Biao levou seu talento para lutas e acrobacias até as ruas de Barcelona resultando numa filme extremamente divertido e agitado. 

Este foi um dos vários sucessos de Jackie Chan no mercado asiático, antes de Hollywood abrir as portas para seu talento.