Pular para o conteúdo principal

Postagens

Foxtrot

  Foxtrot (Foxtrot, Israel / Suíça / Alemanha / França, 2017) – Nota 7 Direção – Samuel Maoz Elenco – Lior Ashkenazi, Sarah Adler, Yonaton Shiray, Shira Hass, Eden Gamliel, Yehuda Almagor. O casal Michael (Lior Ashkenazi) e Daphna (Sarah Adler) fica em choque ao receber a notícia de que seu filho que era soldado do exército israelense morreu no interior do país. Outro fato inesperado potencializa ainda mais a crise resultando em reações exacerbadas do casal.  Este drama israelense se divide em duas narrativas bastante lentas, com sequências em que os personagens parecem se desligar do mundo. Por exemplo, o pai fica praticamente mudo por mais de dez minutos iniciais, sem saber como reagir com a notícia da morte do filho.  As duas narrativas paralelas não chegam a se cruzar, mas tem como objetivo mostrar como nossas decisões levam a situações inesperadas e também como o destino pode ser cruel.  Destaque para as atuações atormentadas de Lior Ashkenazi e Sarah Adler.
Postagens recentes

Os Lobos Nunca Choram, Viagem Clandestina & A Última Viagem da Arca de Noé

  Os Lobos Nunca Choram (Never Cry Wolf, EUA, 1983) – Nota 7,5 Direção – Carroll Ballard Elenco – Charles Martin Smith, Brian Dennehy, Zachary Ittimangnaq, Samson Jorah. Tyler (Charles Martin Smith) é um pesquisador que aceita um trabalho extremamente perigoso. Ele ficará durante seis meses isolado no Ártico para estudar lobos que podem ser o motivo da quase extinção de uma espécie de renas que vive na região. Com ajuda de dois esquimós que o encontram, Tyler aos poucos descobre que os lobos são bem diferentes do que ele imaginava.  Este simpático e sensível longa foi produzido pela Disney quando o estúdio ainda tinha foco principal em animações. A escolha do diretor Carroll Ballard para comandar o longa foi muito pelo seu trabalho em “O Corcel Negro”, outro filme que misturava aventura, amizade e natureza.  Aqui o conflito entre homem e natureza fica em segundo plano, dando espaço para a curiosa relação que se cria entre o protagonista e os lobos, além é claro das belíssimas locações.

Impulsividade

  Impulsividade (Thumbsucker, EUA, 2005) – Nota 7 Direção – Mike Mills Elenco – Lou Taylor Pucci, Tilda Swinton, Vincent D’Onofrio, Keanu Reeves, Vince Vaughn, Kelli Garner, Benjamin Bratt. Aos dezessete anos de idade e prestes a se formar no colégio, Justin (Lou Taylor Pucci) demonstra insegurança, principalmente pelo hábito de lamber o dedão da mão quando está sozinho, além de sofrer com pesadelos. A dificuldade em conversar com os pais (Tilda Swinton e Vincent D’Onofrio) é outro problema.  Quando a coordenadora da escola diz que ele poderia melhorar sua falta de atenção com medicamentos, Justin não pensa duas vezes em aceitar o conselho, acreditando que sua vida possa mudar.  Deixe de lado o título original e a premissa estranha. Este drama é muito mais profundo do que parece. O roteiro explora a complicada relação entre pais e filhos, que muitas vezes não sabem expressar seu sentimentos em palavras ou tem vergonha de assumir seus erros, a insegurança dos jovens e a questão da utili

A Casa Torta

  A Casa Torta (Crooked House, Inglaterra / EUA, 2017) – Nota 6,5 Direção – Gilles Paquet Brenner Elenco – Max Irons, Stefanie Martini, Glenn Close, Julian Sands, Terence Stamp, Christina Hendricks, Honor Kneafsey, Gillian Anderson, Christian McKay, Amanda Abbington, Preston Nyman, John Heffernan, Jenny Galloway. Em um enorme casarão vitoriano na Inglaterra, um milionário morre em seu quarto após receber um injeção que deveria ser de insulina.  A suspeita de que ele tenha sido assassinado leva sua neta Sophia (Stefanie Martini) a contratar seu antigo amante e também investigador particular Charles Hayward (Max Irons) para investigar o caso. Na mansão vivem filhos, noras, netos e empregados, todos com algum motivo para matar o velho.  Esta adaptação de um livro de Agatha Christie segue o estilo das histórias da autora, em que vários personagens são suspeitos de um crime. A reconstituição de época é ótima, assim como o final ousado que foge da habitual solução baseada nas provas e nos d

Best Seller: Revelações de Familia

  Best Seller: Revelações de Família (Peep World, EUA, 2010) – Nota 6 Direção – Barry W. Blaustein Elenco – Michael C. Hall, Jane Greer, Ben Schwartz, Rainn Wilson, Sarah Silverman, Kate Mara, Ron Rifkin, Lesley Ann Warren, Taraji P. Henson, Stephen Tobolowski, Alicia Witt. Nathan Meyerwitz (Ben Schwartz) ficou famoso ao escrever um livro contando detalhes da vida íntima de sua família, afetando todos os integrantes.  No dia em que eles se reúnem em um restaurante para o aniversário do patriarca, o famoso arquiteto Henry Meyerwitz (Ron Rifkin), as frustrações e desavenças vem à tona.  Este longa segue a linha habitual do gênero ao misturar comédia e drama tendo uma família complicada como protagonista.  Os personagens são clichês. Temos o irmão certinho que se sente frustrado (Michael C. Hall), a irmã vitimista sem talento (Sarah Silverman), o irmão irresponsável (Rainn Wilson) e o arrogante escritor, além é claro do pai que se sente superior aos filhos.  Os diálogos tem alguns momento

Poker Night

  Poker Night (Poker Night, Canadá / EUA, 2014) – Nota 7 Direção – Greg Francis Elenco – Beau Mirchoff, Titus Welliver, Ron Perlman, Ron Eldard, Giancarlo Esposito,Michael Eklund, Corey Large, Halston Sage, Lochlyn Munro. O jovem policial Stan Jeter (Beau Mirchoff) foi recentemente promovido a detetive e ganhou um lugar na mesa de pôquer de um grupo de veteranos policiais que gostam de contar histórias sobre suas carreiras.  Na mesma noite do jogo, Stan termina sequestrado ao atender um chamado. Ele precisará utilizar as táticas ensinadas pelos amigos para tentar se salvar.  A premissa e a narrativa são bastante interessantes. Os diálogos na mesa de pôquer são fortes e divertidos, com as histórias contadas pelos policiais sendo mostradas em flashbacks, intercalando com as sequências em que o protagonista tenta escapar do sequestrador.  O estilo lembra um pouco a franquia “Jogos Mortais”. A narração em off do protagonista também é outro acerto, mas infelizmente a atuação de Beau Mirchof

Os Fora da Lei & Tiros, Garotas e Trapaças

  Os Fora da Lei (The Baytown Outlaws, EUA, 2012) – Nota 6 Direção – Barry Battles Elenco – Clayne Crawford, Travis Fimmel, Daniel Cudmore, Thomas Brodie Sangster, Andre Braugher, Eva Longoria, Billy Bob Thornton, Paul Wesley, Michael Rapaport, Zoe Bell, Julio Oscar Mechoso. No Alabama, três irmãos fora da lei (Clayne Crawford, Travis Fimmel e Daniel Cudmore) são contratados por uma mulher (Eva Longoria), para resgatar um garoto que é refém de seu ex-amante (Billy Bob Thornton), que é chefe de uma perigosa quadrilha. Em paralelo, um agente do ATF (Paul Wesley), pressiona o xerife local (Andre Braugher) na busca pelos irmãos.  Esta aventura violenta e descerebrada lembra o estilo de Quentin Tarantino ao colocar no caminho do trio de protagonistas alguns grupos criminosos bizarros. Infelizmente, o diretor e roteirista Barry Battles está longe do talento de Tarantino para criar diálogos ou desenvolver a história. O foco principal aqui são as violentas sequências de ação e as mortes exager