quarta-feira, 26 de novembro de 2014

O Senhor dos Anéis - A Trilogia

O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel (The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring, Nova Zelândia / EUA, 2001) – Nota 10
Direção – Peter Jackson
Elenco – Elijah Wood, Ian McKellen, Viggo Mortensen, Sean Astin, Liv Tyler, Sean Bean, John Rhys Davies, Cate Blanchett, Orlando Bloom, Billy Boyd, Dominic Monaghan, Christopher Lee, Hugo Weaving, Ian Holm.

O Senhor dos Anéis – As Duas Torres (The Lord of the Rings: The Two Towers, Nova Zelândia / EUA, 2002) – Nota 10
Direção – Peter Jackson
Elenco – Elijah Wood, Ian McKellen, Viggo Mortensen, Sean Astin, Liv Tyler, John Rhys Davies, Bernard Hill, Orlando Bloom, Cate Blanchett, Christopher Lee, Dominic Monaghan, Billy Boyd, Hugo Weaving, Miranda Otto, David Wenham, Brad Dourif, Andy Serkis, Karl Urban, Craig Parker.

O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei (The Lord of the Rings: The Return of the King, Nova Zelândia / EUA, 2003) – Nota 10
Direção – Peter Jackson
Elenco – Elijah Wood, Ian McKellen, Viggo Mortensen, Liv Tyler, Sean Astin, Billy Boyd, Dominic Monaghan, Bernard Hill, Orlando Bloom, Cate Blanchett, Hugo Weaving, John Rhys Davies, Miranda Otto, Karl Urban, David Wenham, Ian Holm, Sean Bean, John Noble, Andy Serkis.

A adaptação da obra de J. R. R. Tolkien para o cinema era considerada quase uma missão impossível. Quando o diretor neozelandês Peter Jackson assumiu o projeto, o CGI já havia evoluído para dar condições de uma adaptação, mesmo que fosse um projeto extremamente arriscado. Jackson e a produtora New Line investiram uma fortuna para filmar os três livros de Tolkien divididos em três filmes de três horas de duração cada, tudo isto de forma simultânea. 

Poucas vezes um produtor correu este risco. Nos anos setenta, a família Salkind (Alexander, Ilya e Michael) produziu “Os Três Mosqueteiros” e “A Vingança de Milady”, que fizeram sucesso e tinham um elenco recheado de astros. A família repetiu a dose no sucesso de “Superman I e II”, também filmados de forma simultânea. 

No final dos anos oitenta, Robert Zemeckis e Steve Spielberg também investiram uma fortuna em “De Volta Para o Futuro II e III”, com a diferença de que estavam aproveitando o estrondoso sucesso do filme original, diferente da obra de Peter Jackson, que saía do zero, apostando tudo nos fãs dos livros e nos efeitos especiais de ponta. 

Como muitos dizem que para conseguir grandes resultado é necessário correr grandes riscos, a aposta de Jackson e da New Line resultou em três filmes fantásticos, que arrecadaram horrores pelo mundo e que alavancaram um novo gênero. A partir deste sucesso, o cinema embarcou em uma avalanche de adaptações de livros infanto-juvenis de aventura.

Comentar a trama desta magnifica trilogia é desnecessário, o que vale é apreciar as nove horas de imagens perfeitas, personagens carismáticos e cenas de ação de tirar o fôlego.

2 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Simplesmente antológica.

Hugo disse...

Gustavo - Com certeza.

Abraço