Pular para o conteúdo principal

O Concerto

 


O Concerto (Le Concert, França / Itália / Romênia / Bélgica, 2009) – Nota 7,5
Direção – Radu Mihaileanu
Elenco – Aleksey Guskov, Dimitriy Nazarov, Mélanie Laurent, François Berleand, Miou-Miou, Valeriy Barinov, Lionel Abelanski.

Andrey Filipov (Aleksey Guskov) é um maestro que foi afastado da orquestra Bolshoi por questões políticas. Trinta anos depois, ele trabalha como zelador no teatro onde a orquestra ensaia. 

Ao encontrar por acaso um fax de um agente francês querendo contratar uma apresentação, Andrey rouba o papel e decide reunir os antigos integrantes da orquestra que foram afastados junto com ele. Sua ideia é levar para o concerto seus amigos como se eles ainda fossem do Bolshoi. 

Este misto de drama e comédia de desencontros segue o mesmo estilo do sensacional “Trem da Vida” que o diretor romeno Radu Mihaileanu comandou em 1998. 

O roteiro vai além da farsa montada pelo protagonista, explorando também a redenção de pessoas que foram perseguidas pelo regime comunista e o acerto de pendências pessoais com o passado, muito disso ligado a personagem de Mélanie Laurent que interpreta a jovem que fará o solo na apresentação da orquestra. 

Algumas sequências de comédia rasgada não chegam a atrapalhar a sensibilidade da história, resultado é uma que merece ser conhecida.


Comentários

Pedrita disse…
eu gostei muito tb. gosto muito desse diretor. beijos, pedrita

comentei aqui https://mataharie007.blogspot.com/2012/10/o-concerto.html
Hugo disse…
Pedrita - As obras deste diretor são sensíveis e engraçadas, mesmo focando em temas mais fortes.

Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Departamento Q (3 Filmes)

Departamento Q: O Guardião das Causas Perdidas (Kvinden I Buret, Dinamarca / Alemanha / Suécia / Noruega, 2013) – Nota 7,5 Direção – Mikkel Norgaard Elenco – Nikolaj Lie Kaas, Fares Fares, Sonja Richter, Mike Boe Folsgaard, Soren Pilmark, Troels Lyby. Uma ação malsucedida da polícia resulta na morte de um informante e dois detetives baleados. Carl Morck (Nikolaj Lie Kass) sobrevive sem sequelas, enquanto seu parceiro (Troels Lyby) termina tetraplégico. Meses depois, ao retornar para o trabalho, Carl é designado para o Departamento Q que fica em uma sala no porão da delegacia. Seu trabalho será analisar e encerrar casos antigos que não foram solucionados. Para ajudá-lo, é enviado o detetive de origem libanesa Assad (Fares Fares). Os dois renegados cruzam com o caso de uma assessora política (Sonja Richter) que foi dada como morta, mas que jamais foi encontrado o corpo. Eles encontram várias falhas na investigação e reabrem o caso contra a vontade do próprio chefe (Soren Pil

Ela

Ela (Her, EUA, 2013) – Nota 8 Direção – Spike Jonze Elenco – Joaquin Phoenix, Amy Adams, Scarlett Johansson, Olivia Wilde, Matt Letscher, Rooney Mara, Chris Pratt. Num futuro próximo, Theodore (Joaquin Phoenix) trabalha em uma empresa escrevendo cartas para pessoas que não tem tempo ou criatividade para escrever mensagens para seus pares ou amigos. Na verdade, Theodore cria o texto e dita para o computador que escreve por ele.  Solitário após ter se separado da namorada (Rooney Mara), Theodore tem dificuldades em lidar com seus sentimentos e se relacionar com as pessoas. Os poucos que se aproximam dele é um colega de trabalho que admira seu talento de escritor (Chris Pratt) e o casal Amy (Amy Adams) e Charles (Matt Letscher), que tenta lhe arrumar uma nova namorada.  A solidão de Theodore começa a diminuir quando ele adquire um novo programa de computador que promete agir como uma pessoa de verdade. Rapidamente ele cria um laço com a voz feminina do programa que se a

Sem Identidade

Sem Identidade (Sin Nombre, México / EUA, 2009) – Nota 8 Direção – Cary Joji Fukunaga Elenco – Edgar Flores, Paulina Gaitan, Kristyan Ferrer, Tenoch Huerta Mejia, Luis Fernando Peña, Diana Garcia. Numa cidade no Estado de Chiapas no México, o jovem Casper (Edgar Flores) pertence a violenta gangue dos “Maras”, que tem como um dos “passatempos” perseguir e assaltar imigrantes ilegais que passam pela região em direção a fronteira com os EUA.  Em Tegucigalpa, capital de Honduras, Sayra (Paulina Gaitan) é convencida pelo tio e pelo pai que ela não via há anos, para atravessar o país até o México e assim entrar clandestinamente nos EUA. O destino faz com que os caminhos dos dois jovens se cruzem.  Dirigido pelo competente Cary Joji Fukunaga, responsável pela ótima série “True Detective” , este é um dos longas mais realistas sobre a imigração ilegal na América Central. Violência, preconceito, exploração e um mínimo de solidariedade são os ingredientes desta verdadeira saga d