terça-feira, 17 de julho de 2018

Gângster Sem Nome

Gângster Sem Nome (Bumchoiwaui Junjaeng: Nabbeunnomdeul Jeonsungshidae, Coreia do Sul, 2012) – Nota 7
Direção – Jong Bin Yoon
Elenco – Min Sik Choi, Jung Woo Ha, Jin Woong Cho, Dong Seok Ma.

Busan, Coreia do Sul, 1990. Com a eleição de um novo presidente, o governo deflagra uma ofensiva contra o crime organizado no país. O empresário Choi Ik Hyun (Min Sik Choi) é preso suspeito de ser o líder de uma organização em Busan. 

Em seguida, a narrativa volta para 1982 quando Choi era um fiscal alfandegário que recebia pequenos subornos no porto da cidade. Seu parentesco com um mafioso (Jung Woo Ha) e seus contatos dentro dos órgãos públicos abrem o caminho para seu crescimento no mundo do crime, utilizando hotéis para lavagem de dinheiro. 

Este longa sul-coreano bebe na fonte de filmes de Martin Scorsese como “Os Bons Companheiros” e “Cassino” para contar a saga de crescimento de um personagem dentro de uma organização criminosa. As cenas de violência com bastões de beisebol e outras de tortura e humilhações seguem o estilo do cinema daquele país, assim com as interpretações que parecem exageradas para o público ocidental, mas que funcionam muito bem no geral. 

Infelizmente este filme perde pontos pela total falta de empatia do protagonista. Por mais que o personagem tenha importância e seja um parceiro do chefão, o sujeito jamais é respeitado. As várias cenas em que ele é humilhado chegam a irritar. 

Não é um filme ruim, mas está um pouco abaixo da maioria dos longa sul-coreanos dos últimos anos.

4 comentários:

Luli Ap disse...

Estou gostando da distribuição dessa onda pop-K massss se vc diz que o protagonista chega a irritar, vou passar, é ruim não ter empatia justo com o personagem principal :/
Bjs Luli

Rodrigo Mendes disse...

Olá Hugo! O cinema coreano tem despontando na indústria. Há inúmeras produções de qualidade, porém, alguns beiram ao ridículo aos olhos ocidentais. Atuações exageradas, principalmente em produções trash de terror. Até mesmo no drama, mas tecnicamente são brilhantes. Ainda não vi esse.

Abraço.

Rodrigo

Liliane de Paula disse...

Não tenho interesse.
Muito violento (taco de beisebol)

Estou vendo a Série Trapped que vc indicou.
Muito boa.
As locações lindas coberta pela neve.
Nunca encarei uma neve assim

E ontem comecei a vê Bordertown, seriado que parece seu Dinarmaques, Irlandes, sei lá o que.

Hugo disse...

Luli - O personagem principal é irritante, o que atrapalha um pouco o filme.

Rodrigo - Eu sou fã do cinema sul-coreano. São muitos filmes bons.

Liliane - A série "Bordertown" é finlandesa. Eu pretendo ver em breve.

Abraço