quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Tese Sobre um Homicídio

Tese Sobre um Homicídio (Tesis Sobre um Homicidio, Argentina / Espanha, 2013) – Nota 8
Direção – Hernan Goldfrid
Elenco – Ricardo Darin, Alberto Ammann, Calu Rivero, Arturo Puig, Mara Bestelli.

Roberto Bermudez (Ricardo Darin) é um famoso advogado criminalista que se tornou escritor e que trabalha como professor de direito em um curso de mestrado. Extremamente vaidoso por sua inteligência, Bermudez é admirado pelos alunos e também utiliza seu charme para seduzir as alunas. 

No primeiro dia de aula com uma nova classe, uma jovem é encontrada violentada e assassinada no pátio da universidade. Curioso com o crime, Bermudez passa a desconfiar que o assassino é seu aluno Gonzalo (Alberto Ammann), um jovem arrogante filho de um amigo. A desconfiança surge nos diálogos com o jovem, que ao mesmo tempo em que mostra admiração pelo professor, faz citações que parecem ser pistas sobre o crime, como se estivesse testando a inteligência de Bermudez. O veterano advogado fica intrigado com a situação, acreditando ser um jogo onde o mais esperto será o vencedor. 

Este interessante drama policial segue a linha dos longas americanos sobre serial killers que desafiam a lei tentando cometer o crime perfeito, com o ponto positivo de manter um pé na realidade por quase toda a trama. 

O roteiro apresenta ótimos diálogos entre os personagens principais, criado um clima de disputa entre mestre e aluno permeado aparentemente pelo respeito a inteligência do oponente, pelo menos até a sequência final. 

Como sempre, vale destacar o ótimo Ricardo Darin, que novamente constrói um personagem complexo, inclusive com cenas onde mostra suas inseguranças, como no relacionamento com a ex-esposa (Mara Bestelli) e quando percebe que seu pupilo pode vencer a disputa. 

O jovem Alberto Ammann também merece destaque na construção do jovem petulante e desafiador. Ammann tem poucos trabalhos no cinema, mas vale destacar seu papel no ótimo longa espanhol “Cela 211” (clique aqui para ler sobre o filme)

Finalizando, mesmo num longa como este que é mais comercial do que autoral, o cinema argentino mostra que está pelo menos um degrau acima do cinema brasileiro em qualidade. 

3 comentários:

Marcelo keiser disse...

Preciso ver esse filme em breve. Me foi disponibilizado, mas ainda não tive a oportunidade de vê-lo. Um filme de serial killer argentino soa bem interessante.

abraço

renatocinema disse...

Concordo com os elogios ao ator e sobre o degrau do cinema argentino.

Só entendo que esse filme é nota 7 enquanto a atual safra argentina tem levado 10.

E isso não é desmerecer.

abraços

Hugo disse...

Marcelo - Acredito que irá gostar.

Renato - Tem vários outros filmes argentinos melhores, mas mesmo assim gostei. É um longa mais comercial, porém prende bem a atenção.

Abraço