Pular para o conteúdo principal

Utopia

 


Utopia (Utopia, Inglaterra, 2013 a 2014)
Criação – Dennis Kelly
Elenco – Neil Maskell, Adeel Akhtar, Paul Higgins, Fiona O’Shaughnessy, Alistair Petrie, Alexandra Roach, Nathan Stewart Jarrett, Oliver Woolford, Paul Ready, James Fox, Stephen Rea, Ruth Gemmell, Geraldine James, Ian McDiarmid, Sylvestra Le Touzel, Simon McBurney, Michael Maloney

Quatro nerds que se conhecem apenas pela internet descobrem o paradeiro de um famoso manuscrito escrito por um cientista que enlouqueceu. A informação os leva a um encontro pessoal, sem saber que uma dupla de assassinos que trabalha para uma organização secreta e uma estranha mulher também desejam o manuscrito. 

Em paralelo, um funcionário do governo inglês é pressionado para aprovar a compra de um lote de vacinas russas contra a gripe, em meio ao início de uma pandemia em uma região do Reino Unido que está isolada. 

Esta sensacional e praticamente desconhecida série inglesa dividida em duas temporadas de seis episódios cada é quase uma previsão de parte do que estamos vivendo nos dias atuais. 

A manipulação midiática para assustar a população, uma vacina sem comprovação científica sendo utilizada com objetivos sinistros por um grupo de poderosos e a perseguição contra aqueles que desejam revelar a verdade são mostradas de uma forma cínica e assustadora. 

Entre os destaques estão a marcante trilha sonora, as sangrentas sequências de violências e os personagens estranhos, principalmente o assassino vivido pelo totalmente maluco Neil Maskell e a obcecada por vingança interpretada por Fiona O’Shaughnessy. 

Aproveitando o tema atual, há poucos meses foi produzida uma versão americana que eu não conferi. 

O único ponto negativo é o final, que mesmo amarrando a maioria das pontas, ainda deixou um gancho para uma nova temporada que não saiu do papel. 

Finalizando, a temática desta série pode ser resumida na frase “eles mostram as verdades nos filmes e mentem na vida real”.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Departamento Q (3 Filmes)

Departamento Q: O Guardião das Causas Perdidas (Kvinden I Buret, Dinamarca / Alemanha / Suécia / Noruega, 2013) – Nota 7,5 Direção – Mikkel Norgaard Elenco – Nikolaj Lie Kaas, Fares Fares, Sonja Richter, Mike Boe Folsgaard, Soren Pilmark, Troels Lyby. Uma ação malsucedida da polícia resulta na morte de um informante e dois detetives baleados. Carl Morck (Nikolaj Lie Kass) sobrevive sem sequelas, enquanto seu parceiro (Troels Lyby) termina tetraplégico. Meses depois, ao retornar para o trabalho, Carl é designado para o Departamento Q que fica em uma sala no porão da delegacia. Seu trabalho será analisar e encerrar casos antigos que não foram solucionados. Para ajudá-lo, é enviado o detetive de origem libanesa Assad (Fares Fares). Os dois renegados cruzam com o caso de uma assessora política (Sonja Richter) que foi dada como morta, mas que jamais foi encontrado o corpo. Eles encontram várias falhas na investigação e reabrem o caso contra a vontade do próprio chefe (Soren Pil

Ela

Ela (Her, EUA, 2013) – Nota 8 Direção – Spike Jonze Elenco – Joaquin Phoenix, Amy Adams, Scarlett Johansson, Olivia Wilde, Matt Letscher, Rooney Mara, Chris Pratt. Num futuro próximo, Theodore (Joaquin Phoenix) trabalha em uma empresa escrevendo cartas para pessoas que não tem tempo ou criatividade para escrever mensagens para seus pares ou amigos. Na verdade, Theodore cria o texto e dita para o computador que escreve por ele.  Solitário após ter se separado da namorada (Rooney Mara), Theodore tem dificuldades em lidar com seus sentimentos e se relacionar com as pessoas. Os poucos que se aproximam dele é um colega de trabalho que admira seu talento de escritor (Chris Pratt) e o casal Amy (Amy Adams) e Charles (Matt Letscher), que tenta lhe arrumar uma nova namorada.  A solidão de Theodore começa a diminuir quando ele adquire um novo programa de computador que promete agir como uma pessoa de verdade. Rapidamente ele cria um laço com a voz feminina do programa que se a

Sem Identidade

Sem Identidade (Sin Nombre, México / EUA, 2009) – Nota 8 Direção – Cary Joji Fukunaga Elenco – Edgar Flores, Paulina Gaitan, Kristyan Ferrer, Tenoch Huerta Mejia, Luis Fernando Peña, Diana Garcia. Numa cidade no Estado de Chiapas no México, o jovem Casper (Edgar Flores) pertence a violenta gangue dos “Maras”, que tem como um dos “passatempos” perseguir e assaltar imigrantes ilegais que passam pela região em direção a fronteira com os EUA.  Em Tegucigalpa, capital de Honduras, Sayra (Paulina Gaitan) é convencida pelo tio e pelo pai que ela não via há anos, para atravessar o país até o México e assim entrar clandestinamente nos EUA. O destino faz com que os caminhos dos dois jovens se cruzem.  Dirigido pelo competente Cary Joji Fukunaga, responsável pela ótima série “True Detective” , este é um dos longas mais realistas sobre a imigração ilegal na América Central. Violência, preconceito, exploração e um mínimo de solidariedade são os ingredientes desta verdadeira saga d