terça-feira, 19 de novembro de 2013

Entre Segredos e Mentiras & O Reverso da Fortuna


Nesta postagem comento dois filmes produzidos com vinte anos de diferença, mas que guardam semelhanças ao contar histórias reais sobre crimes e escândalos no mundo dos milionários.

Entre Segredos e Mentiras (All Good Things, EUA, 2010) – Nota 7
Direção – Andrew Jarecki
Elenco – Ryan Gosling, Kirsten Dunst, Frank Langella, Lily Rabe, Philip Baker Hall, Michael Esper, Diane Venora, Nick Offerman, Kristen Wiig.

Em 1971, o jovem David Marks (Ryan Gosling) é o filho mais velho e herdeiro do poderoso especulador imobiliário Sanford Marks (Frank Langella). Diferente do pai, David deseja ter uma vida livre, sem preocupações com a administração da empresa, fato que cria sério conflito entre os dois.

A situação piora quando David conhece a bela jovem Katie (Kirsten Dunst), por quem se apaixona, decide se casar e juntos montam uma pequena loja de produtos naturais. O pai aparentemente aceita a situação, mas sua influência faz com que David se veja obrigado a trabalhar na empresa do pai. O desgosto do rapaz pela decisão, junto com alguns traumas do passado, transformam o casamento em um inferno para Katie, situação que termina em tragédia. 

Baseado numa sórdida história real, o longa cobre um período de vinte e dois anos na vida da família Marks, desvendando aos poucos os segredos e as mentiras que faziam parte do cotidiano daquelas pessoas. 

A parte final que se passa após o ano 2000 é tão absurda que se fosse um filme de ficção o roteirista nunca mais conseguiria emprego. É uma situação ridícula, quase surreal, que não agradou ao público e ajudou no fracasso na bilheteria, mesmo sendo algo real. 

O destaque principal é o bom elenco, onde praticamente todos os personagens apresentam algum desvio de caráter.

O Reverso da Fortuna (Reversal of Fortune, EUA, 1990) – Nota 7,5
Direção – Barbet Schroeder
Elenco – Glenn Close, Jeremy Irons, Ron Silver, Annabella Sciorra, Uta Hagen, Fisher Stevens, Jack Gilpin, Christine Baranski, Felicity Huffman, Julie Hagerty.

Em 1979, a milionária Sunny Von Bullow (Glenn Close) entra em coma irreversível e seu marido Claus (Jeremy Irons) é acusado pelo crime com a alegação da promotoria dele ter injetado uma exagerada dose de insulina na esposa.

O caso rapidamente se torna a notícia principal do país e para se defender, Claus contrata o famoso advogado Alan Dershowitz (Ron Silver). Praticamente condenado por parte da mídia, que vê a culpa no jeito aristocrata e arrogante de Claus, sem contar que para muitos seu casamento foi um golpe, já que o dinheiro era da esposa, o talento de Dershowitz se torna seu único trunfo para provar sua inocência.

Este ótimo drama baseado numa história real, tem como ponto principal o roteiro que em momento algum confirma se Claus Von Bullow é ou não o culpado, situação reforçada pela grande atuação de Jeremy Irons, que venceu o Oscar criando um personagem dúbio, que em alguns momentos parece ser o culpado, principalmente nos diálogos irônicos e na narração, enquanto em outros mostra total devoção à esposa.

Este é com certeza o melhor filme do iraniano Barbet Schroeder em Hollywood.

6 comentários:

renatocinema disse...

Engraçado........hoje li uma crítica da revista da 2001 vídeo elogiando o filme Segredos e Mentiras.

A sinopse realmente tinha me atraído. Agora fiquei na dúvida.

Kleiton Gonçalves disse...

Estou para ver o filme com Ryan Gosling há bastante tempo. E com essa menção ao final, fiquei ainda mais curioso.

Quanto ao Reverso da Fortuna, belíssimo. Para mim, um clássico.

Gustavo disse...

Filmes como O Reverso da Fortuna tem fator replay alto. Porque não se esgotam já na primeira assistida. O mistério não é facilmente solucionado - isso se houver solução.

Hugo disse...

Renato - O filme não é ruim, considero mediando.
O absurdo que citei é a própria parte final da trama. O que aconteceu na vida real é no mínimo ridículo, mas precisava ser contado.

Kleiton - É uma bela atuação de Jeremy Irons.

Gustavo - É daqueles filmes que valem uma segunda sessão.

Abraço

Amanda Aouad disse...

Ryan Gosling está muito bem no papel, e realmente a parte final é absurda, apesar de ter acontecido, fica quase inverossímel. Ainda assim acho que foi subestimado, acho um bom filme.

O Reverso da Fortuna, infelizmente, ainda não vi.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Esta parte final contribuiu para as críticas ruins, mesmo sendo verdadeira.

Bjos