segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

O Predestinado

O Predestinado (Predestionation, Austrália, 2014) – Nota 8
Direção – Michael & Peter Spierig
Elenco – Ethan Hawke, Sarah Snook, Noah Taylor.

Um desconhecido está tentando desarmar uma bomba quando é atacado por outro desconhecido e termina por ter o rosto todo queimado. O espectador não vê o rosto dos envolvidos. Na sequência, o sujeito que se queimou acorda em um hospital, onde é tratado por um determinado período, até que se recupera, porém seu rosto está totalmente modificado por causa das cirurgias de reconstrução. 

Em seguida, descobrimos que o sujeito (Ethan Hawke) é um tipo de agente que trabalha para uma estranha organização. Na sequência, ele está disfarçado como barman com o objetivo de localizar um terrorista. Um enigmático sujeito (Sarah Snook) chega ao balcão, os dois iniciam uma curiosa conversa e o homem aceita contar sua vida, confessando que nasceu mulher, mas teve de se transformar em homem. É o início de um dos filmes mais intrigantes dos últimos anos. 

É uma trama extremamente complexa, com um roteiro que mesmo dando pistas sobre o que realmente está ocorrendo, não deixa de ser surpreendente. É o tipo de filme que não vale a pena falar mais sobre a trama, o espectador é quem precisa ter a atenção redobrada para captar todos os detalhes. 

Quando um filme deixa o espectador pensando após a sessão, aguçando sua curiosidade para entender mais sobre a trama, com certeza ele atingiu um nível de qualidade acima da média. Para quem gosta de gastar os neurônios com uma ótima trama, este longa é imperdível. 

Como informação, os irmãos Spierig e o astro Ethan Hawke, trabalharam juntos em “2019 – O Ano da Extinção”, longa de 2009 que eu ainda não conferi, mas que já está na minha lista.

2 comentários:

Ubiracy Júnior disse...

De fato, o filme deixa dezenas de pistas, mas é dificil de alguem imaginar com precisão o que irá acontecer,

Hugo disse...

Ubiracy - A trama é muito complexa e extremamente bem amarrada.

Abraço