sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Factotum

Factotum (Factotum, EUA / Noruega / Alemanha / França / Itália, 2005) – Nota 6,5
Direção – Bent Hamer
Elenco – Matt Dillon, Lili Taylor, Marisa Tomei, Fisher Stevens, Didier Flamand, Adrienne Shelly, Karen Young.

Henry “Hank” Chinaski (Matt Dillon) escreve pequenos contos e os envia sempre para o mesmo editor ficando a espera de uma resposta. Neste meio tempo ele passa por vários empregos vagabundos, se relaciona com duas mulheres, a prostituta Laura (Marisa Tomei) e a complicada Jan (Lili Taylor), com quem divide a cama, os cigarros e as garrafas de bebida. 

O filme é uma adaptação de vários contos do escritor maldito Charles Bukowski (que já teve adaptado para o cinema “Barfly – Condenados pelo Vício” com Mickey Rourke) e que utiliza em grande parte de sua obra o personagem Henry Chinaski como seu alter ego, um escritor e também bêbado profissional. 

A transposição para o cinema acerta no clima criado pelo roteiro do próprio diretor, o noruguês Bent Hamer, que capta bem os quartos de motéis, bares e inferninhos por onde Chinaski vive. O ritmo lento casa perfeitamente com a interpretação de Matt Dillon, que cria um sujeito que se interessa apenas por sexo, bebidas e suas anotações, o resto nada vale no mundo criado por ele mesmo. 

Não é um filme para o espectador comum, pois ele não dá respostas, nem mesmo mostra culpa, remorso ou tenta criar alguma reviravolta, sendo apenas uma viagem pela vida de alguém que não está nem aí com a sociedade.

2 comentários:

Celo Silva disse...

pareceu um filme meio confuso, não assisti. Gostei do layout novo, ficou bem legal! Abs

Hugo disse...

Celo - É um filme diferente que deve agradar as leitores do escritor Charles Bukowski.

Abraço