quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Elle

Elle (Elle, França / Alemanha / Bélgica. 2016) – Nota 7,5
Direção – Paul Verhoeven
Elenco – Isabelle Huppert, Laurent Lafitte, Anne Consigny, Charles Berling, Virginie Efra, Judith Magre, Christian Berkel, Jonas Bloquet, Alice Isaaz, Vimala Pons.

Na cena inicial, Michele (Isabelle Huppert) é estuprada por um sujeito mascarado no chão de sua cozinha. O que normalmente seria um trauma que poderia até destruir sua vida, para Michele é apenas mais um obstáculo a ser ultrapassado. 

Aos poucos, o espectador passa a conhecer a complexa figura de Michele. Ela é dona de uma empresa que desenvolve games, onde desperta um misto de amor e ódio nos funcionários. Sua vida pessoal é conturbada. Ela se mostra decepcionada com o filho, manipula o ex-marido, utiliza o marido da melhor amiga como amante e ainda cria uma estranha relação com o vizinho casado. 

A vitória deste longa em Cannes está ligada a dois fatores: a interpretação de Isabelle Huppert e as polêmicas da história que envolvem sexo e traição. A ótima atriz francesa consegue transmitir com competência as complicadas atitudes da protagonista. Ela jamais se coloca como vítima, mesmo nos momentos em que relembra o estupro, suas atitudes são de reação. 

Ela manipula as pessoas ao seu redor, inclusive mostrando crueldade no trato com a mãe e ódio pelo pai, com quem é obrigada a carregar um pesado trauma de infância. O sexo é outra forma que a personagem utiliza para controlar as pessoas e conseguir o que deseja. Mesmo quando parece que estar sendo usada, na verdade ela está no comando. 

Não considero que seja um grande filme, na verdade é uma interessante obra que pode ser considerada um detalhado estudo sobre uma personalidade complexa e totalmente fora do comum, valorizada pela ótima interpretação de Isabelle Huppert.

9 comentários:

Pedrita disse...

não li em detalhes pq quero muito ver esse filme. estão elogiando demais. e eu amo essa atriz. beijos, pedrita

Marília Tasso disse...

Que filme! Desconfortante e fiquei de boca aberta com a atuação de Isabelle Huppert, um estudo de personagem complexo. Gostei muito!

Hugo disse...

Pedrita - É um bom com destaque para Isabelle Huppert.

Marília - Sem dúvida, uma personagem marcante, daquelas serão lembradas por muito tempo pelos cinéfilos.

Abraço

Amanda Aouad disse...

É isso, um grande estudo de personagem, com uma interpretação incrível de Isabelle Huppert. Tecnicamente bem feito, mas tenho problemas com ele. Daqueles filmes polêmicos.

bjs

Hugo disse...

Amanda - A maioria dos filmes do Paul Verhoeven tem algo polêmico. Este não é diferente.

Bjos

Liliane de Paula disse...

Estou com esse filme gravado e não vi.
Mas, se gravei é porque me interessei de vê.
Não sou fão de cinema francês.
Preciso de que tenha diálogos para eu entender.
Ou, não quero entender, sem diálogos.

Hugo disse...

Liliane - É um filme um pouco complicado, principalmente pela complexidade da protagonista.

Bruxa do 203 disse...

Também não achei maravilhoso como dizem, mas realmente a atriz é sensacional.

Hugo disse...

Bruxa - Sem dúvida, Isabelle Huppert carrega o filme.

Abraço