segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

007 Um Novo Dia Para Morrer

007 Um Novo Dia Para Morrer (Die Another Day, Inglaterra / EUA, 2002) – Nota 7
Direção – Lee Tamahori
Elenco – Pierce Brosnan, Halle Berry, Toby Stephens, Rosamund Pyke, Rick Yune, Judi Dench, John Cleese, Michael Madsen, Will Yun Lee, Kenneth Tsang, Samantha Bond, Kenneth Tsang, Colin Salmon.

James Bond (Pierce Brosnan) está em missão na fronteira entre as duas Coreias para tentar desvendar uma rede de comércio ilegal de armas e diamantes, quando acaba capturado pelos norte-coreanos. Bond fica preso durante meses sofrendo torturas, até que os ingleses aceitam trocá-lo por um prisioneiro perigoso chamado Zao (Rick Yune). No retorno, Bond precisa descobrir quem é o traidor dentro do serviço secreto inglês e para isso ele passará por Cuba até chegar à Islândia no castelo de gelo do vilão Gustav Graves (Tony Stephens). 

Esta foi o vigésimo filme oficial da série 007 e o último protagonizado por Pierce Brosnan, que ao que parece teve problemas em relação ao roteiro e entrou em conflito com os produtores. O filme segue o estilo da série, com uma sequência inicial eletrizante, vários gadgets a cargo do engraçado Q interpretado pelo ex-Monty Python John Cleese e as Bond Girls. Aqui temos a perigosa e bela Rosamund Pike e a estrela Halle Berry saindo do mar de biquíni e revivendo a entrada em cena de Ursula Andress no primeiro filme da série, o clássico “O Satânico Dr. No”. O ponto falho é o vilão sem graça do britânico Toby Stephens, mas isso não atrapalha a diversão. 

A saída de Brosnan da série (foi despedido) e o sucesso de filmes menos exagerados como a “Trilogia Bourne”, fizeram os produtores repensarem a série e escolherem o rústico Daniel Craig para o papel. A demora de quatro anos para a produção do filme seguinte foi boa, criou expectativa nos fãs e trouxe um Bond revigorado no ótimo “Cassino Royale”.  

5 comentários:

Pedrita disse...

jurava q já tinha comentado esse filme. são tão parecidos e os cartazes tão parecidos q nunca sei qual é qual. medíocres esses dois. beijos, pedrita

Gustavo H. Razera disse...

Achei esse filme meio ridículo e exagerado. Gosto muito de Brosnan, mas acho que essa produção chutou o pau da barraca. Pena.

Cumps.

Hugo disse...

Pedrita - Realmente estes dois últimos filmes com Brosnan são parecidos.

Gustavo - Naquele momento a série chegou num ponto que precisava mudar. Os filmes estavam repetitivos e pareciam misturar os absurdos dos longas com Roger Moore com a seriedade de Timothy Dalton.

Abraço

Liliane de Paula disse...

Acho que nunca assisti um filme de 007.
Não gosto de mentiras. Nem as sinceras.

Hugo disse...

Liliane - No cinema a mentira pode ser divertida. Sei que nem todos gostam de filmes de ação. Eu sou eclético, procuro assistir todos os gêneros.