terça-feira, 5 de junho de 2018

Marcando Território

Marcando Território (Standoff, EUA, 2016) – Nota 6,5
Direção – Adam Alleca
Elenco – Thomas Jane, Laurence Fishburne, Ella Ballentine, Jim Watson, Joanna Douglas.

Durante um funeral em um cemitério isolado, um assassino profissional (Laurence Fishburne) mata a viúva, o padre e dois seguranças que acompanhavam a cerimônia. 

Antes de fugir, ele percebe que uma garotinha (Ella Balletine) tirou fotos do crime. O assassino mata o tio da menina, que foge até chegar a uma casa numa pequena fazenda. 

A garota é recebida pelo dono (Thomas Jane), que a leva para o primeiro andar, enquanto o assassino chega a térreo. Os dois homens trocam tiros e ficam feridos, iniciando uma terrível disputa física e psicológica. 

A guerra entre apenas dois homens se tornou comum no cinema após o sucesso do clássico “Inferno no Pacífico” dirigido por John Boorman em 1968. O tema foi explorado com diversas variações, até mesmo em um conflito em outro planeta no ótimo “Inimigo Meu”. 

A simplicidade deste tipo de trama funciona de acordo com a criatividade do diretor e a qualidade dos diálogos. Neste filme que comento, o acerto está em colocar uma garota como estopim do conflito e inserir um trauma do passado na vida do personagem de Thomas Jane. 

As cenas de ação são bem filmadas, porém o pouco espaço do local limita a criatividade para algo diferente neste tipo de sequência. Os diálogos e o climax são previsíveis. 

O resultado é um filme que prende a atenção para quem não exigir muito.

4 comentários:

José Gomes disse...

É um bom filme. Da pra passar o tempo.

Hugo disse...

José - Isso mesmo.

Luli Ap disse...

Gostei do filme, principalmente da atuação da garotinha, dá medo a atuação do Fishburne com seu matador implacável rsrs
Bjs Luli

Hugo disse...

Luli - Fishburne tem uma presença ameaçadora no filme.

Bjos