terça-feira, 18 de maio de 2021

O Som do Silêncio

 


O Som do Silêncio (Sound of Metal, EUA, 2019) – Nota 8
Direção – Darius Marder
Elenco – Riz Ahmed, Olivia Cooke, Paul Raci, Lauren Ridloff, Mathieu Amalric.

Ruben (Riz Ahmed) é baterista e sua namorada Lou (Olivia Cooke) é a vocalista de uma dupla que toca heavy metal. Ao descobrir que está perdendo a audição, Ruben vê seu mundo desmoronar, sendo obrigado a tomar decisões indesejadas para tentar superar a situação. 

Este é um daqueles filmes em que as entrelinhas são tão importantes quanto o que vemos na tela. A saga do protagonista em enfrentar o novo mundo vai além do problema de saúde. O roteiro explora a questão da dificuldade das pessoas ao redor expressarem o que pensam, entenderem e aceitarem alguém que tem um problema sério. 

Outro ponto importante surge quando o protagonista toma uma decisão para tentar recuperar o que perdeu e acaba se tornando um estorvo para aqueles que pareciam o estar ajudando. Esta situação é como se fosse um corporativismo vitimista em que a pessoa que tenta mudar sua vida é vista como uma espécie de traidor por quem tem o mesmo problema. 

Destaque total para a atuação de Riz Ahmed, perfeito nas sequências em que explode de ódio e também naquelas em que engole o sofrimento para seguir em frente. 

Fica a mensagem de que a felicidade está em nós mesmos, quando aceitamos nossas condições e aproveitamos o que temos.

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Palmer

 


Palmer (Palmer, EUA, 2021) – Nota 7
Direção – Fisher Stevens
Elenco – Justin Timberlake, Ryder Allen, Alisha Wainwright, Juno Temple, June Squibb, Lance E. Nichols, J.D. Evermore, Deam Winters, Jesse C. Boyd, Molly Sue Harrison.

Após cumprir pena de doze anos de prisão, Palmer (Justin Timberlake) é libertado e tenta recomeçar uma vida normal. Ele vai morar com a avó (June Squibb), que cuida quase que diariamente do garotinho Sam (Ryder Allan), filho de uma vizinha (Juno Temple) que é viciada em drogas. Aos poucos, Palmer cria um laço semelhante ao de pai e filho com o sensível Sam. 

A história não tem surpresas, segue a dificuldade de um condenado em se readaptar a sociedade e o relacionamento inusitado que surge entre pessoas tão diferentes como o protagonista e o garotinho. 

Mesmo sendo clichês, isso acaba funcionando pela química entre a dupla de atores e com certeza agradará quem procura um drama simples.

domingo, 16 de maio de 2021

Legado Explosivo

 


Legado Explosivo (Honest Thief, EUA, 2020) – Nota 6,5
Direção – Mark Williams
Elenco – Liam Neeson, Kate Walsh, Jeffrey Donovan, Jai Courtney, Robert Patrick, Anthony Ramos.

Tom Doolan (Liam Neeson) é um ladrão de bancos especialista em abrir cofres. Após vários roubos de sucesso, Tom conhece Annie (Kate Walsh) e decide abandonar a “carreira”. 

Um ano depois, ele toma uma decisão ainda mais complicada. Se entregar ao FBI pedindo um pena mínima como punição, em troca de devolver o dinheiro roubado. O problema é que a fortuna chama a atenção de um agente corrupto (Jai Courtney). 

Mesmo sem a ação desenfreada de outros trabalhos protagonizados por Liam Neeson e com uma trama previsível, este longa prende a atenção pelo ritmo ágil e por algumas competentes sequências de violência. 

É um filme genérico, que agradará quem curte o gênero, mas que logo será esquecido.

sábado, 15 de maio de 2021

Casamento Sangrento & Segredos de Sangue

 


Casamento Sangrento (Ready or Not, EUA / Canadá, 2019) – Nota 7
Direção – Matt Bettinelli Olpin & Tyler Gillett
Elenco – Samara Weaving, Adam Brody, Mark O’Brien, Henry Czerny, Andie MacDowell, Melanie Scrofano, Kristian Bruun, Elyse Levesque, Nicky Guadagni, John Ralston.

Grace (Samara Weaving) imagina estar realizando o sonho de ter uma família ao se casar com Alex (Mark O’Brien). A alegria se transforma em desespero durante a noite de núpcias na enorme mansão da estranha família da marido. Ela é convidada a participar um jogo e descobre que será o alvo de um caçada, tendo de se esconder para tentar sobreviver até o amanhecer. 

Esta surpreendente comédia de terror explora o humor negro na medida exata. O bizarro jogo da caçada tem uma explicação ainda mais sinistra, que brinca com um específico tema clássico do terror. 

As sequências de violência são sangrentas e as de suspense também funcionam ao explorar com criatividade os cômodos da mansão. 

Destaque para a atuação de Samara Weaving, que vai do desespero ao cinismo, passando pelo ódio e a vingança.

Segredos de Sangue (Stoker, Inglaterra / EUA, 2013) – Nota 6,5
Direção – Chan Wook Park
Elenco – Mia Wasikowska, Nicole Kidman, Matthew Goode, Alden Ehrenreich, Jacki Weaver, Dermot Mulroney, Lucas Till, Phyllis Somerville.

Após a trágica morte do pai, a adolescente India (Mia Wasikowska) precisa lidar com a indiferença da mãe Evelyn (Nicole Kidman) e a chegada do desconhecido tio Charles (Matthew Goode), que estava afastado há anos do irmão. Seu retorno desperta a curiosidade e a desconfiança de India, que se assusta com suas estranhas atitudes. 

A estreia do diretor sul-coreano Chan Wook Park no cinema americano tem como destaques a caprichada produção e um sinistro clima de tragédia. O roteiro escrito pelo ator Wentworth Miller, astro da série “Prison Break”, guarda uma surpresa não tão difícil de descobrir, além de levar a um final que mesmo tendo sentido na explicação, se mostra exagerado na ação. 

A narrativa fria e irregular é outro ponto que atrapalha. O resultado é apenas razoável.

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Focus

 


Focus (Focus, EUA, 2001) – Nota 7
Direção – Neal Slavin
Elenco – William H. Macy, Laura Dern, David Paymer, Meat Loaf Aday, Kay Hawtrey, Michael Copeman, Kenneth Welsh.

Brooklyn, Nova York, 1943. Lawrence Newman (William H. Macy) tem uma emprego sólido e vive com a mãe em uma casa num bairro típico de classe média. Sua vida burocrática começa a virar de ponta cabeça quando alguns vizinhos criam um grupo para pressionar o comerciante judeu Finkelstein (David Paymer), que eles consideram um inimigo do país. Uma sucessão de eventos levará Newman a se tornar alvo, sendo obrigado a tomar um lado na disputa. 

Baseado em um livro do dramaturgo Arthur Miller, este longa explora a questão do antissemitismo nos EUA na primeira metade do século passado. A busca por um culpado para algo maior muitas vezes leva as pessoas a apontar o dedo para um grupo ou para alguém que represente seu “inimigo”. 

Utilizar a religião como estopim para este de perseguição também infelizmente é algo comum na história do mundo. O filme tenta fazer um paralelo entre a aparente vida perfeita das pessoas que vivem no bairro, com as terríveis atitudes que tomam em nome de um medo infundado. 

Destaque para a atuação atormentada de William H. Macy e para a sempre marcante Laura Dern como a mulher por quem ele se apaixona.

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Little Boy Blue

 


Little Boy Blue (Little Boy Blue, Inglaterra, 2017) – Nota 7,5
Direção – Paul Whittington
Elenco – Stephen Graham, Sinéad Keenan, Brian F. O’Byrne, Matthew Roberts, Sara Powell, Elizabeth Berrington, James Nelson Joyce.

Periferia de Liverpool, agosto de 2007. Uma rixa entre gangues de adolescentes resulta na morte de um garoto inocente de onze anos, que estava saindo de um treino de futebol e foi atingido por um tiro. 

Enquanto os culpados pelo crime utilizam um adolescente sem ligação com as gangues para esconder a arma, o detetive Dave Kelly (Stephen Graham) é encarregado de liderar a complicada investigação. 

Baseado em uma história real, esta minissérie em quatro episódios foca no sofrimento dos pais da vítima (Sinéad Keenan e Brian F. O’Byrne), nos detalhes da investigação e na tentativa dos envolvidos e suas famílias em encobrir o rastro do crime. Não espere sequências de ação ou violência, o drama é o ponto principal. 

É uma história que vale a reflexão para quem vive em um país violento como o Brasil. Um caso deste envolvendo uma criança e adolescentes criminosos é tratado como prioridade pelas autoridades em países sérios, enquanto que por aqui este tipo de crime ocorre quase que diariamente, muitas vezes ficando até mesmo sem solução.

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Pacto do Passado

 


Pacto do Passado (I Melt With You, EUA, 2011) – Nota 6,5
Direção – Mark Pellington
Elenco – Thomas Jane, Rob Lowe, Jeremy Piven, Christian McKay, Carla Gugino, Tom Bower, Arielle Kebbel, Sasha Grey, Melora Hardin.

Quatro amigos na casa dos quarenta anos se reencontram todos os anos para um final de semana de farra para relembrar os tempos de universidade. A alegria do reencontro e os excessos com bebidas e drogas aos poucos dão lugar as lamentações pelas frustrações do dia a dia. 

A primeira hora deste curioso filme é uma longa e barulhenta festa em que os protagonistas colocam para fora seus “demônios”, como se fosse uma sessão de expurgo de tudo de ruim que aconteceu com eles naquele ano. 

Um determinado fato transforma a hora final em um bizarro ritual sobre amizade. Esta situação totalmente incomum e extrema faz com que a proposta inicial do roteiro em mostrar como a meia-idade é uma época de crise para muitos homens se torne algo exagerado. 

Cada personagem carrega uma frustração e sabe que os sonhos ficaram no passado. O presente se mostra bem diferente dos que eles imaginavam quando eram jovens, algo bastante comum e muitas vezes de difícil aceitação. 

É um filme que vai ao extremo da amizade e da decepção.