quinta-feira, 8 de março de 2018

Sing Street: Música e Sonho

Sing Street: Música e Sonho (Sing Street, Irlanda / Inglaterra / EUA, 2016) – Nota 8
Direção – John Carney
Elenco – Ferdia Walsh Peelo, Kelly Thornton, Maria Doyle Kennedy, Jack Reynor, Aidan Gillen, Ian Kenny, Mark McKenna.

Dublin, 1985. Conor (Ferdia Walsh Peelo) é um garoto de quinze anos que decide montar uma banda para se aproximar de Ann (Kelly Thornton), uma jovem de dezesseis anos que vive em um orfanato em frente ao colégio católico onde ele estuda e que sonha em se tornar modelo. 

Com incentivo do irmão mais velho (Jack Reynor), Conor consegue montar a banda com alguns amigos, mas precisa enfrentar vários obstáculos. A rigidez com que os padres que dirigem o colégio tratam os garotos que se vestem com roupas ao estilo “new wave” é um deles. Outro problema é a crise no casamento dos pais (Maria Doyle Kennedy e Aidan Gillen), que parecem se odiar. 

O roteiro escrito pelo diretor John Carney faz um belíssimo retrato da juventude dos anos oitenta. Com sensibilidade, ele explora temas universais como primeiro amor, problemas familiares, sonhos e falta de perspectivas na vida. 

O ponto principal é mostrar que a juventude é a época para investir nos sonhos. São poucos anos para tentar alcançar algo e experimentar situações antes de enfrentar a difícil vida adulta. A sequência final é uma alegoria sobre como enfrentar nossos medos em busca de um sonho. 

As simpáticas atuações do protagonista vivido por Ferdia Walsh Peelo, da garota Kelly Thornton e do complicado irmão vivido por Jack Reynor são outro destaque. Não se pode deixar de citar a ótima trilha sonora recheada de canções pop da época e as músicas inéditas cantadas pela banda do protagonista. 

O resultado é uma agradável surpresa para quem gosta de uma história sensível e das músicas das anos oitenta.

6 comentários:

Liliane de Paula disse...

Não, não ouvi nem falar.
Tenho visto bons filmes e boas séries.

Uma História de Vingança, com Nicolas Cage tem mesmo na Net.
Comecei a vê.

Vc não disse quem lhe ensinou andar de bicicleta.
Como vc, acho que os ciclistas são irresponsáveis tanto quanto pedestre.
E bem pior que motoristas

Hugo disse...

Liliane - As opções são enormes.

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Mais um que não conhecia.
Eu gosto de filmes com referências musicais e esse tem a ótica de perseguir sonhos e a sensibilidade de tratar temas universais que deixa a narrativa ainda mais interessante e gera empatia
A propósito acho muito difícil ser adulto, é só responsabilidade!!!!
Além de que vc cita as boas atuações.
Vou procurar para assistir.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Hugo disse...

Luli - Realmente não é nada fácil ser adulto. Por isso que nos dias de hoje as pessoas demoram muito para sair de casa e enfrentar a vida sozinho ou mesmo em uma relação.

Além da história do filme ser bem legal sobre sonhos da adolescência, a trilha sonora é ótima para quem gosta de músicas dos anos oitenta.

Bjos

Amanda Aouad disse...

Que bom que gostou, Hugo.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Filme extremamente simpático.

bjos