quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Invocação do Mal 2

Invocação do Mal 2 (The Conjuring 2, Candá / EUA, 2016) – Nota 7,5
Direção – James Wan
Elenco – Patrick Wilson, Vera Farmiga, Frances O‘Connor, Madison Wolfe, Simon McBurney, Lauren Esposito, Benjamin Haigh, Patrick McAuley, Franka Potente.

Após um prólogo em que a paranormal Lorraine Warren (Vera Farmiga) e seu marido Ed (Patrick Wilson) participam de uma investigação sobre o conhecido caso de possessão em Amityville e em seguida decidem parar com o trabalho por algum tempo, a trama segue para Londres em 1977. 

Num bairro de subúrbio, a divorciada Peggy Hogdson (Frances O’Connor) luta para criar quatro filhos, sendo duas adolescentes e dois garotos menores. O inferno na vida da família começa quando a filha chamada Janet (Madison Wolfe) passa a sofrer com pesadelos e ataques de sonambulismo, seguidos de visões de um velho fantasma. O casal Warren é chamado e aceita voltar à ativa para ajudar a família. 

Assim como o filme original, esta sequência é baseada em um história real registrada pelas fotografias exibidas nos créditos finais. Mesmo o filme exagerando nos sustos, as fotos mostram que a situação real foi extremamente fora do normal, deixando em dúvida até mesmo os céticos sobre fenômenos sobrenaturais. 

O diretor James Wan novamente cria sequências assustadoras e um clima desespero que toma conta da família, confirmando seu talento como especialista no gênero. Mesmo sendo um pouco inferior ao original, este longa é uma ótima opção para que gosta de terror. 

9 comentários:

Rodrigo Mendes disse...

Gostei muito do primeiro, mas preciso urgentemente ver este segundo que deve ser realmente muito bom. Wan entende o terror e sabe preparar o clima para o derradeiro susto. O fato de ser uma série com os "Indiana Jones do paranormal", Invocação do Mal já entrou para a minha lista de grandes filmes de terror contemporâneo. Está disponível em meu google play e fiquei enrolando pra assistir! rs

Abraço.

Gustavo H. Razera disse...

Também achei este inferior, acho que usaram muitos efeitos especiais e um pouco de pieguice. Espero que reencontrem o equilíbrio no terceiro.

Cumps.

Hugo disse...

Rodrigo - Mesmo com alguns deslizes, James Wan é provavelmente o melhor realizador do gênero que surgiu nos últimos quinze anos.

Gustavo - Mesmo com estas falhas, o filme ainda está acima da média do gênero.

Abraço

Liliane de Paula disse...

Perdi de vê, porque me atrasei em visitar blogs.
Mas, certamente, vai repetir e vou gravar.
Não é um gênero que me interesse, porque sempre acho que é mentira.

Hugo disse...

Liliane - Este e o original são baseados em histórias, inclusive mostrando fotos dos personagens reais após os créditos. Lógico que a versão para o cinema é uma adaptação, jamais saberemos corretamente como foi a história real.

Amanda Aouad disse...

Inferior ao primeiro, de fato, mas funciona muito bem também. Gosto da forma como ele aprofunda o casal Warren também nos deixando mais próximos a eles e abrindo portas para novos filmes. Só me incomoda um pouco a resolução tão melhor trabalhada no anterior.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Perfeito, o final do primeiro foi melhor trabalhado.

Bjos

Pedrita disse...

acho que o que estraga é ser baseado em uma história que dizem real. enquanto o casal na ficção dá muita credibilidade, o sorrisinho da the nanny não convence. mas o filme é bom. não acho que exagera como ficção. é ótimo. o problema é q tenta dar veracidade ao que é absolutamente falso. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Este filme realmente ficou com cara de suspense hollywoodiano, deixando de lado os sustos e a sugestão do primeiro.

Bjos