terça-feira, 19 de abril de 2016

O Sistema

O Sistema (The East, EUA / Inglaterra, 2013) – Nota 6,5
Direção – Zal Batmanglij
Elenco – Brit Marling, Alexander Skarsgard, Ellen Page, Toby Kebbell, Shiloh Fernandez, Patricia Clarkson, Jason Ritter, Julia Ormond, Jamey Sheridan.

Jane (Brit Marling) é uma jovem que consegue emprego em uma grande empresa especializada em segurança corporativa. O primeiro trabalho de Jane é se infiltrar numa organização ecoterrorista denominada “The East”. 

Após rodar por algumas cidades como sem fosse uma jovem sem rumo, sempre se aproximando de outros jovens com o mesmo perfil, Jane cruza o caminho de Luca (Shiloh Fernandez), que se torna seu cartão de acesso a organização. 

Após ganhar a confiança do líder do grupo (Alexander Skargarsd) e dos outros integrantes, entre eles o médico Doc (Toby Kebbell) e a desconfiada Izzy (Ellen Page), Jane passa a fazer jogo duplo, ajudando os novos companheiros, ao mesmo tempo em que envia informações para sua chefe na empresa (Patricia Clarkson). 

A premissa do roteiro escrito em parceria pelo diretor Zal Batmanglij e a atriz Brit Marling é extremamente atual. Existem grupos que utilizam táticas de guerrilha para difundir suas ideias de protesto contra as grandes corporações, ao mesmo tempo em que empresas privadas de segurança crescem prestando os mais variados serviços, não se importando quem são seus clientes, apenas esperando receber uma bolada pelo contrato. 

Infelizmente o desenrolar da trama fica abaixo da premissa, um pouco pela narrativa irregular e muito pela ingenuidade do clímax. Além de explorar o clichê do infiltrado que cria laços afetivos com os investigados, a reviravolta final é voltada para agradar ao público politicamente correto. 

Outro ponto estranho, são as sequências em que o grupo de jovens se diverte, que são inspiradas claramente nas seitas que eram muito comuns nos anos setenta e que parecem destoar da proposta inicial do filme.  

6 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Sim, é bem morno e cheio de lugares-comuns.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - É uma boa premissa desperdiçada.

Abraço

Liliane de Paula disse...

Não faz meu gênero.

Mas, gravei Teia de Mentiras que vc, já comentou.

Hugo disse...

Liliane - Teia de Mentiras é bem fraquinho.

Marília Tasso disse...

Tinha tudo pra ser um ótimo filme, a Brit Marling é uma excelente roteirista, vide "A Outra Terra" e "A Seita Misteriosa", como atriz também gosto dela, é diferenciada.

Abraços!

Hugo disse...

Marília - Infelizmente o filme aquém da premissa. Estes dois filmes que vc citou eu ainda não assisti.

Abraço