sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

A Oitava Página & A Trajetória de Worricker


A Oitava Página (Page Eight, Inglaterra, 2011) – Nota 7
Direção – David Hare
Elenco – Bill Nighy, Rachel Weisz, Ewen Bremner, Michael Gambon, Judy Davis, Felicity Jones, Tom Hughes, Saskia Reeves, Ralph Fiennes, Alice Krige, Rakhee Thakhar, Kate Burdette, Marthe Keller.

Johnny Worricker (Bill Nighy) é um veterano analista do serviço secreto inglês, o MI5. Quando seu chefe e amigo de longa data Benedict Baron (Michael Gambon) recebe de um informante um documento que compromete o primeiro ministro inglês (Ralph Fiennes), os dois se tornam alvos de uma conspiração governamental. Ao mesmo tempo, Worricker se une a uma ativista (Rachel Weisz) que deseja vingança porque seu irmão foi assassinado em Israel. 

Este drama sobre espionagem tem como pontos positivos a trama bem amarrada com personagens escondendo segredos e criando alianças para sobreviverem no cargo, além da boa atuação de Bill Nighy como o sujeito frio e meticuloso. 

Por outro lado, o longa perde pontos pela total falta de ação. Até mesmo os poucos momentos de suspense se resolvem sem grande agitação. Acredito que esta escolha tenha ocorrido tanto por ser uma produção de tv, como pela presença do veterano Bill Nighy como protagonista. Com um ator mais jovem, com certeza o longa teria cenas de ação ou pelo menos sequências de suspense um pouco mais tensas. 

Caribe: A Trajetória de Worricker (Turks & Caicos, Inglaterra, 2014) – Nota 6,5
Direção – David Hare
Elenco – Bill Nighy, Helena Bonham Carter, Christopher Walken, Winona Ryder, Ewen Bremner, Rupert Graves, Dylan Baker, James Naughton, Zach Grenier, Malik Yoba, Meredith Eaton, Rajoh Fiennes.

Alguns meses após ter fugido da Inglaterra, o ex-agente Johnny Worricker (Bill Nighy) está vivendo no paraíso de Turks & Caicos. A aparente vida tranquila se torna perigosa quando um agente da CIA (Christopher Walken) o reconhece. O sujeito está espionando um grupo de empresários corruptos que pretendem construir um hotel no país. 

Com ajuda de um amigo jornalista (Ewen Bremner), Worricker descobre que os empresários tem ligações com um magnata inglês (Rupert Graves) que tem como seu braço-direito a antiga agente do MI5 Margot Tyrrell (Helena Bonhan Carter). 

Assim como no filme anterior, a trama aqui é complexa envolvendo poderosos e agentes do governo. Por mais que tenham coadjuvantes interessantes como Christopher Walken e Winona Ryder em papéis importantes, este longa tem ainda menos suspense que o anterior. É o tipo de filme que tudo se resolve com conversas, ameaças veladas e documentos. Faz passar o tempo, mais fica a clara impressão de que poderia ser bem melhor. 

Europa: A Trajetória de Worricker (Salting the Battlefield, Inglaterra, 2014) – Nota 6
Direção – David Hare
Elenco – Bill Nighy, Helena Bonham Carter, Ewen Bremner, Judy Davis, Felicity Jones, Saskia Reeves, Ralph Fiennes, Rupert Graves, Kate Burdette, Olivia Williams.

Neste final da trilogia, Johnny Worricker (Bill Nighy) está vivendo escondido na Europa com sua namorada Margot (Helena Bonham Carter), sempre preocupado com algum espião que possa encontrá-lo e também com sua filha (Felicity Jones) que ficou na Inglaterra e que está sendo vigiada pelo governo. 

Percebendo que não terá condições de fugir para sempre, Worricker utiliza seu amigo jornalista (Ewen Bremner) para divulgar documentos que comprometem seu maior inimigo, o primeiro ministro inglês (Ralph Fiennes). 

O roteiro explora novamente um emaranhado de intrigas políticas envolvendo várias autoridades e transporta a história por algumas cidades da Europa. O final em que tudo parece voltar a estaca zero resume bem essa razoável trilogia produzida para tv.

2 comentários:

Liliane de Paula disse...

Não vou anotar.
Não tenho interesse apesar dos bons atores.

Hugo disse...

Liliane - São filmes para quem gosta de tramas políticas.