sexta-feira, 9 de março de 2018

Sem Volta & Trilhos do Destino


Sem Volta (Meadowland, EUA, 2015) – Nota 6,5
Direção – Reed Morano
Elenco – Olivia Wilde, Luke Wilson, Giovanni Ribisi, Elizabeth Moss, Ty Simpkins, John Leguizamo, Kevin Corrigan, Merritt Weaver, Skipp Sudduth, Mark Feuerstein, Juno Temple, Ned Eisenberg.

O casal Phil (Luke Wilson) e Sarah (Olivia Wilde) viajam de carro com um filho pequeno. Ao pararem em uma loja de conveniência na beira da estrada, o garoto desaparece. Um ano depois, o garoto ainda não foi encontrado e o casal vive uma terrível crise. 

Phil é um policial que tenta superar o problema participando de um grupo de apoio. A professora Sarah vive depressiva a base de medicamentos. Seu complicado estado mental a leva a se aproximar de um solitário aluno (Ty Simpkins). 

Filmes sobre perdas são sempre dolorosos. Quando o ente querido desaparecido ou falecido é um filho, o casamento tende a desmoronar. O ponto principal do roteiro é focar neste terrível processo de sofrimento e esfacelamento da família. O filme exagera um pouco na forma como a personagem de Olivia Wilde radicaliza suas atitudes na parte final. 

Está longe de ser uma grande filme. É basicamente um drama independente com resultado mediano.

Trilhos do Destino (Rails & Ties, EUA, 2007) – Nota 6
Direção – Alison Eastwood
Elenco – Kevin Bacon, Marcia Gay Harden, Miles Heizer, Marin Hinkle, Eugene Byrd, Bonnie Root, Steve Eastin, Margo Martindale.

Uma mulher desesperada (Bonnie Root) estaciona o carro com seu filho Davey (Miles Heizer) nos trilhos de uma ferrovia. O garoto não tem forças para tirar a mãe do automóvel que é destruído por um trem. A tragédia afeta também o maquinista Tom (Kevin Bacon), que além de precisar explicar porque não parou o trem, ainda convive com a esposa Megan (Marcia Gay Harden) que sofre com um câncer terminal. As vidas de Davey, Tom e Megan se ligam por causa do acidente. 

Dirigido pela filha de Clint Eastwood, este drama lembra bastante as produções do gênero para a tv. A forma como os personagens se cruzam é um pouco exagerada, sem contar que rapidamente os três se acertam. A paixão por trens é outra coincidência para amarrar a trama. 

Não chega a ser um filme totalmente ruim, mas falta profundidade e realismo nas situações. 

4 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Pensei que Sem volta fosse um bom thriller investigativo, mas é um drama :/ acho que esses dramas ou afastam ou juntam os casais, infelizmente deve ser um horror a situação.
Esse vou passar.

Trilhos do destino querooooo ver!
Além de eu ser apaixonadamente apaixonada por trens tem o Kevin Bacon que faz tempo não assisto nada com ele e direção da filha do Clint Eastwood, não sabia que ela era diretora. Sei que o filho é ator.
Apesar de tudo se resolver rapidamente e ser raso, fiquei instigada.
Excelente fds pra ti
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Hugo disse...

Luli - Este "Sem Volta" é um drama, a investigação é deixada de lado no roteiro.

Este "Trilhos do Destino" tem uma premissa e um elenco melhor do que o filme. Vale conferir como curiosidade.

Bjos

Liliane de Paula disse...

Vi um filme semelhante, faz pouco tempo, em que a filha desaparece quando param numa lanchonete, na estrada.
Mas a filha aparece anos depois.
Estou toda enrolada em anotar os filmes que tenho visto na TV.

O com Kevin Bacon certamente vou gostar.
Gosto muito dele e parece ter um enredo interessante.

E o avental que lhe mandei, já usou(?)

Hugo disse...

Liliane - Minha esposa está usando bastante o avental.

Bjos