sexta-feira, 23 de março de 2018

Cavalos Domados & Caminhos Perdidos


Cavalos Domados (Broken Horses, EUA, 2015) – Nota 5,5
Direção – Vidhu Vinod Chopra
Elenco – Anton Yelchin, Vincent D’Onofrio, Chris Marquette, Maria Valverde, Thomas Jane, Harry Shotwell, Nicholas Neve, Sean Patrick Flanery, Jordi Caballero, Johnathon Schaech.

Numa pequena cidade na divisa com o México, um policial (Thomas Jane) é assassinado e deixa dois filhos órfãos. O mais velho é Buddy (Harry Shotwell), que tem um pequeno atraso mental e o pequeno é Jake (Nicholas Neve). Buddy termina sendo “adotado” pelo violento Julius Hench (Vincent D’Onofrio), que o manipula e o transforma em assassino. 

Quinze anos depois, Jake (Anton Yelchin) é um músico clássico que retorna à cidade para levar Buddy (Chris Marquette) ao seu casamento em Nova York. Jake se surpreende ao descobrir que o irmão continua cometendo crimes para Julius, que por seu lado não quer que Buddy deixe a cidade. 

O roteiro lembra um filme policial B. A premissa de transformar um jovem com dificuldades mentais em assassino é um tanto insólita. A forma como o personagem do falecido Anton Yelchin se torna alvo dos criminosos e depois monta um plano tentar salvar o irmão também é exagerada. O destaque fica para a expressiva atuação de Chris Marquette e para as locações. 

O resultado é um filme totalmente esquecível.

Caminhos Perdidos (Lost in the Sun, EUA, 2016) – Nota 6,5
Direção – Trey Nelson
Elenco – Josh Duhamel, Josh Wiggins, Lynn Collins, Emma Fuhrmann.

Após sair da cadeia, John (Josh Duhamel) aparece no enterro de uma mulher e se apresenta ao filho adolescente dela, Louis (Josh Wiggins). O garoto seguirá para o Novo México para viver com os avós, porém John se oferece para levá-lo de carro até o local. Louis aceita o convite e não imagina que o sujeito além de guardar um segredo, também precisa de dinheiro para pagar uma dívida com bandidos. 

Desde o início fica clara qual a ligação entre John e Louis. Partindo desta premissa, o filme se transforma num road movie em que John tenta criar um laço com o garoto, mas se perde completamente com suas atitudes impensadas. 

É uma história previsível, mas que prende a atenção e entrega uma narrativa fluída e agradável, resultando numa obra mediana.  

4 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Ounnn puxa que pena que os filmes não são tão bons, a premissa é interessante, o primeiro parecia ser um western e o segundo tratando de conflitos familiares.
Pelo menos Caminhos perdidos tem uma narrativa fluída e cumpre o prometido em entretenimento.
Ótimo domingo pra ti
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Hugo disse...

Luli - A premissa de "Caminhos Perdidos" é a mais interessante, mesmo explorando um tema batido.

Bjos

Liliane de Paula disse...

Parece que "Caminhos perdidos" é interessante.
Talvez as locações da viagem sejam boas de se vê.

Vincent D`Onofrio sempre foi um bom ator (eu acho) em seriados policiais.
Envelheceu feio.

Já assistiu i filme Com amor Van Gogh?

Hugo disse...

Liliane - Vincent D'Onofrio trabalhou por muito tempo em "Law & Order: Criminal Intent".

E realmente ele envelheceu bastante.