domingo, 11 de março de 2018

Até o Fim

Até o Fim (All the Way, EUA, 2016) – Nota 7,5
Direção – Jay Roach
Elenco – Bryan Cranston, Anthony Mackie, Melissa Leo, Frank Langella, Bradley Whitford, Stephen Root, Todd Weeks, Ray Wise, Ken Jenkins, Joe Morton.

No mesmo dia em que John Kennedy é assassinado, Lyndon Johnson (Bryan Cranston) é nomeado o novo presidente americano. 

Político sulista tradicional e um pouco bruto, Johnson surpreende a todos quando em seu primeiro discurso anuncia que apoiará totalmente a aprovação da Lei dos Direitos Civis. 

O fato faz com que muitos companheiros de partido se afastem dele, criando ainda a primeira desavença com seu padrinho político, o veterano senador Richard Russell (Frank Langella). 

Ao mesmo tempo, o líder dos movimentos negros Martin Luther King (Anthony Mackie) vê a chance de conseguir seus objetivos caso Johnson esteja realmente falando a verdade. 

O roteiro escrito por Robert Schenkkan divide a história em dois pontos principais que detalham os bastidores políticos. A primeira parte explora as negociações para a aprovação da lei e a segunda descreve a campanha de Johnson para a eleição em 1964. 

É interessante a forma como os detalhes dos bastidores são mostrados e como os personagens principais são desenvolvidos. Apesar de rude, Lyndon Johnson era craque no jogo político, discursando e se alinhando com alguém de acordo com seus interesses, enquanto Martin Luther King também é mostrado como um político que sabia jogar com os poderosos e manipular seus aliados. 

A atuação de Bryan Cranston é perfeita, com destaque ainda para a submissa esposa vivida por Melissa Leo. 

Para quem gosta de bastidores políticos, este filme é uma boa opção.

3 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Que interessante!
Nunca pensei nisso dessa maneira, o viés político de Martin Luther King e a carreira política de Lyndon Johnson.
Em se tratando de política as situações e as pessoas tem mesmo muitas nuances e camadas.
Quero assistir, vou procurar para ver.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Liliane de Paula disse...

Acho que é interessante, Hugo.
Uma parte da história com personagens reais.
E o Bryan Cranston que ficou marcado (para mim) pelo seriado Breaking Bad é mesmo um bom ator.

Hugo disse...

Luli - Muitos personagens históricos com fama de heróis também tem seu lado obscuro. A relação entre estes dois personagens é curiosa. São pessoas completamente diferentes que se aproveitam um do outro.

Liliane - Bryan Cranston será sempre lembrado por "Breaking Bad".

Bjos