segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Os Últimos Cavaleiros

Os Últimos Cavaleiros (Inglaterra / Coreia do Sul, 2015) – Nota 5,5
Direção – Kazuaki Kiriya
Elenco – Clive Owen, Morgan Freeman, Cliff Curtis, Aksel Hennie, Tsuyoshi Ihara, Sung Ki Ahn, Payman Maadi, Si Yeon Park.

Lorde Bartok (Morgan Freeman) é o justo líder de uma pequena vila e de um castelo. Com um grupo de soldados leais, tendo como seu braço-direito Raiden (Clive Owen), Bartok se nega a pagar suborno para o novo conselheiro do rei, o ambicioso e covarde Gezza Mott (Aksel Hennie). 

A desobediência faz com que Bartok seja executado e suas terras tomadas pelo rei (Payman Maadi). Os soldados e suas famílias são expulsos do local. Alguns deles preparam uma vingança, enquanto Raiden aparentemente se entrega a bebida. 

O diretor japonês Kazuaki Kiriya tenta explorar o estilo oriental de filmar, mas falha no excesso de cenas em câmera lenta, no ritmo arrastado e até na falta de ação. Uma cena aleatória de luta no inicio e as sequências no climax são até bem filmadas, mas é pouco. Infelizmente o restante do filme é extremamente cansativo e as cenas com Clive Owen bêbado beiram o dramalhão. 

A quantidade de personagens orientais é explicada pela co-produção sul-coreana e pela premissa que claramente é baseada nas histórias de samurais, aqui substituídos por cavaleiros da Idade Média. 

O único ponto realmente positivo é a interessante reviravolta que é revelada na meia-hora final.

6 comentários:

Pedrita disse...

nossa, esse filme é ruim não? eu daria uns 2 e ainda acho muito. acabei largando. desperdício de tudo. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Eu fui bonzinho na nota...rs

Liliane de Paula disse...

Não conheço nada desse filme.
E leio sempre sobre cinema.

O filme de Wim Wenders que tentei vê ontem (Os belos dias de Aranjuez) é assim com a câmara tão lenta de uma cena para outra que desisti.

Hugo disse...

Liliane - Este filme de Wim Wenders eu não vi.

Luli Ap. disse...

Olá Hugo
Aaaahhhhhh não achei ruim não :p
Gosto dessa premissa de cavaleiros e o jeito K de ser, todo o ar de samurais, honra e lealdade é tão fofis parece um conto de fadas reinventado <3
E tem o Clive Owen, quando comecei a assistir filmes e anotar num caderninho sobre eles, o CO era um dos meus crushs cinematográficos hihihi
Bjs Luli
Café com Leitura na Rede

Hugo disse...

Luli - A premissa é legal, mas achei o desenvolvimento da trama bem irregular. O diretor quis fazer algo diferente e errou a mão.

Bjos