segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A Rede Social


A Rede Social (The Social Network, EUA, 2010) – Nota 8
Direção – David Fincher
Elenco – Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, Justin Timberlake, Armie Hammer, Rooney Mara, Max Minghella, Jospeh Mazzello, John Getz, David Selby, Wallace Langham.

O ótimo diretor David Fincher usa todo seu talento para contar os bastidores do nascimento do Facebook e as disputas jurídicas que ocorreram após o sucesso do site. Apoiado no roteiro vencedor do Oscar de Aaron Sorkin (criador da série “The West Wing”) que foi baseado no livro de Ben Mezrich, que por sua vez teve a consultoria do brasileiro Eduardo Saverin, um dos envolvidos nos embróglio jurídico, tomamos conhecimento mais a fundo das brigas e traições entre Mark Zuckerberg e seus “amigos”.

O roteiro mostra duas situações: Primeiro o nascimento do Facebook, quando Zuckerberg (Jesse Eisenberg) após tomar uma merecido fora da namorada (Rooney Mara), pede ajuda a seu amigo Eduardo Saverin (Andrew Garfield) para hackear fotos de garotas de Harvard, univesidade onde eles estudam, criando uma espécie de concurso on-line para escolher a mais gostosa. 

O fato ajuda o rapaz ficar conhecido dentro da universidade e receber o convite dos irmãos Winklevoss (Armie Hammer em papel duplo) e de Divya Narendra (Max Minghella) para criação de uma rede social exclusiva para alunos de Harvard. Com seu dissimulado jeito de nerd, Zuckerberg engana o trio e se apodera da idéia, aumentando o raio de alcance e criando o Facebook. 

Em pararelo, vemos as disputas jurídicas em que Zuckerberg é o réu, com os irmãos Winklevoss alegando roubo da idéia e com seu ex-amigo e sócio Eduardo Saverin, que durante o filme veremos que foi passado para trás. 

O roteiro pinta Zuckerberg como um gênio da informática e ao mesmo tempo um sujeito desonesto e inseguro que toma atitudes vingativas extremamente infantis. 

As atuações de Esisenberg (que concorreu ao Oscar) e de Andrew Garfield são perfeitas, assim como a boa participação de Justin Timberlake como Sean Parker, o polêmico criador do Napster. 

A história é um grande exemplo do mundo em que vivemos, onde dinheiro e poder estão acima das amizades para uma geração que pouco se importa com relacionamentos verdadeiros, o que vale são as relações onde possam obter alguma vantagem, satisfazer seus desejos e conseguir sucesso.

7 comentários:

Celo Silva disse...

Gostei muito desse! Narrativa viciante.

Gabriel Neves disse...

Gosto do filme, Eisenberg fez um bom trabalho como Zuckenberg.

! Marcelo Cândido ! disse...

Muito bom e nada cansativo !

Equipe Cinema Detalhado disse...

Muito bom. Eisenberg é um ator que acho ter capacidade para produzir coisas interessantes futuramente. Timberlake é outro que manda muito bem. E falar bem de Fincher é ser redundante, espero que em algum momento ele ganhe algum Oscar como Diretor pois já merece a tempos.

KA disse...

É um filmão. Só não me envolveu o suficiente. Mas é ótimo mesmo.
abs

Hugo disse...

Celo - Fincher é craque na narrativa, por exemplo "O Zodíaco" seria um filme chato na mão de um diretor qualquer e ele pelo contrário, faz todo muito prender a atenção por quase três horas numa história que todos já conheciam o final.

Gabriel - Eisenberg está se mostrando um bom ator.

Marcelo - Para quem gosta da internet fica ainda mais atraente a história.

Cinema Detalhado - É legal citar Justin Timberlake, ele já feito um papel interessante em "Alpha Dog".

Ka - A história pode ser um pouco chato para quem não gosta de filmes com disputas judiciais, o longas de advogados. Mas a história por si só é muito interessante.

Abraço a todos

Silvia Freitas disse...

O filme é bom sim, principalmente por nos dar ideia de como surgiu o facebook, hj tão usado aqui no Brasil tbm. Mas o tal Zuckenberg é um chatinho de galocha, achei-o muito arrogante, mas inteligente.