sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Ghost Dog & Os Limites do Controle


Ghost Dog – Matador Implacável (Ghost Dog, França / Alemanha / EUA / Japão, 1999) – Nota 7,5
Direção – Jim Jarmusch
Elenco – Forest Whitaker, John Tormey, Cliff Gorman, Henry Silva, Tricia Vessey, Victor Argo, Isaach de Bankolé, Camille Winbush, Gary Farmer, Richard Portnow, Damon Whitaker.

O assassino professional conhecido apenas como Ghost Dog (Forest Whitaker) é um sujeito calado que vive de acordo com o antigo código dos samurais. Por este motivo ele acredita ter uma dívida eterna com Louie (John Tormey), um homem ligado a máfia que salvou sua vida anos atrás. Sua estranha vida se complica quando durante um assassinato ele é visto por Louise (Tracy Vessey), filha do chefão mafioso Ray Vargo (o veterano Henry Silva) e de assassino se transforma em alvo. 

Este longa é indicado para quem gosta dos trabalhos de Jim Jarmusch, que conta suas histórias sem pressa e com personagens que parecem viver em um mundo particular. Aqui o personagem de Whitaker negocia seus trabalhos através de mensagens por um pombo-correio e vive praticamente sozinho, cumprindo sempre uma rotina, que por sinal gera cenas interessantes nos diálogos com falante dono de um trailer de comida, interpretado pelo marfinense Isaach de Bankolé, figura comum nos filmes de Jarmusch. 

Os Limites do Controle (The Limits of Control, EUA / Japão, 2009) – Nota 6
Direção – Jim Jarmusch
Elenco – Isaach de Bankolé, Alex Descas, Jean Francois Stevenin, Luis Tosar, Paz de La Huerta, Tilda Swinton, Youki Kudoh, John Hurt, Gael Garcia Bernal, Hiam Abbas, Bill Murray.

Um sujeito (Isaach de Bankolé) é contratado por dois homens (Alex Descas e Jean Francois Stevenin) para assassinar alguém na Espanha. O assassino sem nome começa sua jornada em Madrid,  passa por algumas cidades até chegar num pequeno vilarejo para cumprir a missão. 

Este trabalho de Jarmusch é com certeza um dos seus filmes mais lentos e contemplativos, sendo de difícil digestão pelo público comum. O personagem principal tem poucas frases durante o filme, o espectador saberá apenas que ele gosta de beber dois cafés expressos em xícaras separadas e que não fala espanhol. 

Durante seu caminho ele cruza com diversos personagens que passam informações secretas sobre sua jornada e cada um deles disserta sobre temas filosóficos como moléculas, Schubert e o sentido da vida, além da estranha e desinibida personagem de Paz de La Huerta, que fica nua boa parte do filme. 

Acredito que o papel principal seja um presente ao ator marfinense Isaach de Bankolé, coadjuvente habitual nos longas de Jarmusch.   


3 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Jarmusch é um ótimo diretor injustamente esquecido.

O Falcão Maltês

Ciro Hamen disse...

Adoros os dois filmes, mas sou fã incondicional de Jim Jarmusch. Ghost Dog é incrível. Vejo e revejo mil vezes e cada vez gosto mais. Limites do Controle é um filme bem diferente de qualquer coisa que Jarmusch já fez, mas igualmente genial. Cheio de referências, uma verdadeira homenagem ao "fazer cinema". Dou nota 10 para os dois. hehehe

Hugo disse...

Antonio - Jarmusch é um diretor diferenciado.

Ciro - Gosto muito da carreira de Jarmusch, seus trabalhos são no mínimo originais.

Abraço