terça-feira, 16 de agosto de 2011

O Galante Mr. Deeds


O Galante Mr. Deeds (Mr. Deeds Goes to Town, EUA, 1936) – Nota 8
Direção – Frank Capra
Elenco – Gary Cooper, Jean Arthur, George Bancroft, Lionel Stander, Douglass Dumbrille.

Um milionário morre num acidente de carro e deixa sua herança para o distante sobrinho Longfellow Deeds (Gary Cooper), um sujeito simples que vive numa pequena cidade. 

O advogado John Cedar (Douglass Dumbrille) se anima acreditando que poderá enganar o ingênuo rapaz e se tornar o administrador da fortuna, porém se assusta quando percebe que Deeds é extremamente esperto. 

Como Deeds se tornou famoso, várias outras pessoas tentam morder um pedaço da herança do rapaz, sem sucesso, mas uma repórter (Jean Arthur) se faz passar por garota simples para se aproximar de Deeds, que logo se apaixona sem saber a verdade. 

Mesmo sendo inferior ao grande “A Felicidade Não se Compra”, este trabalho de Frank Capra novamente mostra com sensibilidade as virtudes e os defeitos do ser humano. Como Deeds é um sujeito puro e justo que não muda sua atitude após ficar rico, acaba sendo visto como otário por outras pessoa. 

Grande parte dos personagens são egoístas e corruptos, como os advogados que tentam provar que ele é maluco, os parentes do falecido que querem sua parte do dinheiro, uma organização que o pressiona por uma grande doação e os jornais sensacionalistas que desejam vender mais criando polêmica, fato ainda mais comum nos dias de hoje. 

Como em toda obra de Capra, a justiça acaba vencendo, principalmente porque sua carreira chegou ao auge durante a Depressão Americana nos anos trinta, quando a economia do país estava no buraco e seguiu durante a Segunda Guerra, o que fez com Capra fosse uma espécie da agente da esperança dirigindo filmes que faziam bem a alma das pessoas sofridas da época.

5 comentários:

KA disse...

Curto muito estes clássicos! Se não me engano tem um remake deste, né...acho que que é com o Adan Sandler..duvido que seja melhor do que o original!
abs

Hugo disse...

Ka - Isso mesmo, tem um remake bem fraquinho com Adam Sandler.

Abraço

alan raspante disse...

Concordo contigo, é o filme menos "expressivo" de Capra, mas é um bom filme e bastante simpático ;)

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Uma das maiores comédias do cinema!
Estou com o DOSSIÊ GRETA GARBO. Apareça! Abração,

O Falcão Maltês

Hugo disse...

Alan - Capra foi um diretor de sensibilidade única.

Antonio - Obrigado pelo convite.

Abraços