segunda-feira, 19 de março de 2018

Os Safados & Os Picaretas


Os Safados (Dirty Rotten Scoundrels, EUA, 1988) – Nota 7,5
Direção – Frank Oz
Elenco – Steve Martin, Michael Caine, Glenne Headly, Anton Rodgers, Barbara Harris, Ian McDiarmid, Dana Ivey, Frances Conroy.

Na Riviera Francesa, Lawrence Jamieson (Michael Caine) é um vigarista de classe que utiliza seu charme e inteligência para tirar dinheiro de mulheres ricas. Sua vida de esquemas fica ameaçada quando surge um golpista desconhecido batizado como “Chacal”. 

Para deixar a situação mais complicada, um americano chamado Freddy Benson (Steve Martin) chega na região aplicando pequenos golpes. A falta de fineza de Freddy chama a atenção de Lawrence, que acredita que o sujeito seja o tal Chacal. Lawrence se aproxima de Freddy como um mentor, para transformá-lo em um picareta de classe. O primeiro objetivo da dupla é enganar uma jovem herdeira (Glenne Headly). 

Clássico da comédia dos anos oitenta, este longa ganha pontos pela ótima química entre Michael Caine e Steve Martin. O roteiro explora as diferenças dos personagens para fazer rir em sequências criativas, incluindo a cena do jantar no restaurante, que hoje seria considerada politicamente incorreta. Vale destacar ainda a surpresa final. 

Os Picaretas (Bowfinger, EUA, 1999) – Nota 6,5
Direção – Frank Oz
Elenco – Steve Martin, Eddie Murphy, Heather Graham, Christine Baranski, Jamie Kennedy, Barry Newman, Terence Stamp, Robert Downey Jr, Kohl Sudduth.

Bobby Bowfinger (Steve Martin) é o dono de uma produtora falida que ainda não lançou filme algum. O sonho de fazer sucesso surge quando seu contador apresenta um roteiro de uma ficção sobre uma invasão alienígena. 

Para conseguir dinheiro, Bowfinger espalha a mentira de que contratou o astro Kit Ramsey (Eddie Murphy) para ser o protagonista. Quando a produção decola, Bowfinger resolve o problema filmando Kit sem ele saber e por fim contratando o irmão do astro, o bobalhão Jiff (Eddie Murphy novamente) para filmar o restante das cenas. 

O roteiro escrito por Steve Martin é uma paródia sobre a ambição de fazer sucesso em Hollywood a qualquer custo. Os personagens são clichês do mundo do cinema. O produtor que utiliza todo tipo de artifício para arrecadar dinheiro, o astro temperamental, a jovem atriz deslumbrada, ingênua e safadinha (Heather Graham) e a veterana decadente (Christine Baranski). 

Não chega a ser uma grande comédia, mas faz rir em algumas sequências em virtude do talento de Steve Martin e Eddie Murphy.

3 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Não assisti nenhum dos dois, vou levar a indicação, gosto de comédias, fazem a gente desestressar e se são criativas e cumprem o prometido de entreter e boas risadas, já quero!
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Liliane Paula Martins disse...

Não gosto de Comédias.
Raramente, gosto.

Hugo disse...

Luli - Estes dois filmes são passatempos indicados para quem quer ver algo leve.

Liliane - Tem muitas comédias sem graça realmente.

Bjos