domingo, 25 de março de 2012

Bombas - John Travolta Antes de Pulp Fiction

A história de John Travolta no cinema é um verdadeiro filme. Após pequenas participações na tv, Travolta teve algum sucesso no telefilme "O Menino da Bolha de Plástico" e como coadjuvante em "Carrie, a Estranha". A sua carreira explodiu com os sucessos de “Os Embalos de Sábado a Noite” e “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”, porém em seguida ele fez péssimas escolhas e afundou sua carreira, que renasceu apenas em 1994 graças a Quentin Tarantino.

Nesta postagem cito alguns filmes que antecederam sua volta por cima em "Pulp Fiction".

Cowboy do Asfalto (Urban Cowboy, EUA, 1980) – Nota 6
Direção – James Bridges
Elenco – John Travolta, Debra Winger, Scott Glenn, Madolyn Smith, Barry Corbin, Cooper Huckabee, James Gammon.

Após os dois sucessos citados no início da postagem, Travolta estrelou o fracassado drama “A Cada Momento” e tentou voltar aos trilhos com este longa sobre um operário de uma refinaria de petróleo no Texas, que a noite se veste de cowboy para conquistar garotas num bar. No local, ele se envolve com um bela dançarina (Debra Winger no auge da beleza) e também com um perigoso vigarista (Scott Glenn). O roteiro explora ainda o talento de Travolta com a dança em cenas ao estilo country. Não chega a ser um filme ruim, mas é apenas razoável, nada mais que isso. 

Embalos a Dois (Two of a Kind, EUA, 1983) – Nota 4
Direção – John Herzfeld
Elenco – John Travolta, Olivia Newton John, Charles Durning, Beatrice Straight, Scatman Crothers, Castulo Guerra, Oliver Reed, Ernie Hudson.

A carreira de Travolta parecia que poderia voltar ao eixos após o ótimo “Um Tiro na Noite” de Brian DePalma e o razoável “Os Embalos de Sábado Continuam”, porém este tentativa de reviver a parceira de “Grease” com a cantora australiana Olivia Newton John foi um grande fracasso de crítica. A trama mostra Deus ou uma entidade superior pretendendo criar um novo dilúvio por não acreditar na humanidade. Os anjos conseguem um acordo, terão de encontrar duas pessoas que provem que a humanidade pode ser melhor. Eles escolhem um fracassado inventor (John Travolta) que planeja assaltar um banco para resolver seus problemas financeiros e a caixa do próprio banco (Olivia Newton John). Repleto de clichês, o filme foi mais um passo em falso de Travolta. 

Perfeição (Perfect, EUA, 1985) – Nota 4
Direção – James Bridges
Elenco – John Travolta, Jamie Lee Curtis, Kenneth Welsh, Anne DeSavlo, Jann Wenner, Marilu Henner, Chelsea Field.

Com a carreira em declínio, Travolta apostou novamente numa parceria com o diretor James Brigdes, com que fez “Cowboy do Asfalto”, porém o enorme fracasso deste novo filme o afastou das telas por quatro anos. Travolta interpreta um repórter da revista Rollin Stone que vai para Los Angeles entrevistar um empresário que foi preso (Kenneth Welsh) e acaba se interessando pela febre das acadêmias de ginástica na época. Ele decide entrevistar uma famosa professora de ginástica (Jamie Lee Curtis), com quem se envolve, porém um problema no passado da moça cria uma situação de conflito. O filme foi detonado pela crítica, não rendeu sequer o que foi gasto com a produção e sumiu rapidamente das telas. 

Os Espertinhos (The Experts, EUA / Canadá, 1989) – Nota 2
Direção – Dave Thomas
Elenco – John Travolta, Arye Gross, Kelly Preston, Deborah Foreman, James Keach, Charles Martin Smith, Jan Rubes, Brian Doyle Murray.

Após quatro anos longe das telas, Travolta voltou no que pode ser considerado o fundo do poço de sua carreira. Este “Os Espertinhos” é uma comédia idiota sobre dois amigos (Travolta e Arye Gross) que são contratados para gerenciar uma casa noturna numa pequena cidade americana, porém na verdade o local é um esconderijo dos soviéticos que treinam seus agentes para conhecerem os costumes americanos. O filma não vale comentário algum, o único detalhe é que no set de filmagens Travolta conheceu a atriz Kelly Preston, com quem se casou e vive até hoje. 

Olha Quem Está Falando (Look Who’s Talking, EUA, 1989) – Nota 6
Direção – Amy Heckerling
Elenco – John Travolta, Kirstie Alley, Olympia Dukakis, George Segal, Abe Vigoda, Bruce Willis.

Acima do peso e com a carreira praticamente acabada, Travolta aceitou participar desta comédia em que interpreta um motorista de taxi que se envolve com uma jovem grávida (Kirstie Alley) que ele ajudou a socorrer no momento do parto. O pai da criança (George Segal) é casado é não quer assumir o filho. O detalhe é que o bebê participa da trama com comentários irônicos (voz de Bruce Willis) sobre tudo o que acontece a sua volta. A simples história fez sucesso e gerou duas continuações, dando uma sobrevida a carreira de Travolta.

Dois Corações, uma só Batida (Shout, EUA, 1991) – Nota 5,5
Direção – Jeffrey Hornaday
Elenco – John Travolta, Jamie Walters, Heather Graham, Richard Jordan, Linda Fiorentino, Scott Coffey.

Entre os três filmes da série “Olha Quem Está Falando” e a reviravolta na carreira em “Pulp Fiction”, Travolta trabalhou em filmes pequenos, como este drama ambientado numa pequena cidade do Texas nos anos cinqüenta, onde ele interpreta um professor de música contratado para dar aulas aos jovens de um reformatório. Percebendo o pouco talento da turma, ele resolve ensinar um novo ritmo, o rock’n roll, que desagrada o homem que o contratou (Richard Jordan). O sujeito fica ainda mais revoltado quando descobre que sua filha (Heather Graham) está envolvida com um jovem infrator (Jamie Walters). Apesar o nome de Travolta ser o chamariz, o roteiro foca na história de amor proibido do casal e se mostra até razoável, apesar de Jamie Walters ser muito fraco como ator. 

7 comentários:

Luís disse...

Minhas melhores recordações de Travolta realmente são pela série "Olha quem está falando" e pelo filmem de Tarantino, mas honestamente tenho simpatia pelo ator, mesmo que ele esorregue esporadicamente. Também me lembor de outro filme dele, pós-1994, "Fenômeno", que sempre passava no SBT.


Dá uma passada no meu blog pra conferir a Maratona de opiniões do Oscar 2012 que começou hoje.

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Hugo, como vai?
Gosto muito de Travolta na comédia Olha Quem esta Falando, na verdade gosto de tudo nessa comédia... adoro filmes de comédia com bebes...

O Menino da bolha de plástico vi quando era criança na tv, é legalzinho...

Mas sem dúvidas o ponto máximo de Travolta é Os Embalos de Sábado a noite, ao meu ver, seu melhor filme dentre todos...

Grande Abraço Parceiro

Alan Raspante disse...

Dos citados, lembro bem vagamente de "Olha quem está falando". É uma comédia simpática... Não imaginava que antes de Pulp, Travolta tinha feito tanta bomba assim!

Alysson Mello disse...

Ótimo post o John Travolta realmente deu uma boa sumida legal, depois de sucessos como grease e embalos de sabado a noite, acho que todo ator passa pelo que ele passou, deve ser muito dificil você escolher roteiros de filmes e confiar neles e saber se eles serão interessantes para a critica americana, mas eles mesmo procuram fazer filmes que os desafiem como pessoa e como ator e acho que é assim que deva ser! Eu gostei muito de Grease, Embalos de sabado a noite, Olha só quem esta falando, O justiceiro são os melhores filmes dele!

Hugo disse...

Luís - Assisti "Fenômeno", que é melhor do que os filmes eu citei, talvez no mesmo nível de "Olha Quem Está Falando".

Jefferson - Os Embalos de Sábado a Noite foi o filme que levou Travolta ao estrelado pela primeira vez e realmente é um filme divertido que foi lançado na época exata.

Alan - Da lista este é o melhor mesmo.

Alysson - A escolha de um roteiro é complicado, pois mesmo que ele seja bom, se cair na mão de um diretor fraco o resultado será ruim. Foi isso que aconteceu com alguns destes filmes que citei.

Abraço a todos

Amanda Aouad disse...

A maioria é uma pequena tragédia mesmo, mas o primeiro Olha quem está falando acho interessante, as continuações são apelativas, mas esse é divertido.

bjs

O Narrador Subjectivo disse...

Ainda gosto muito do Look Who's Talking e sequelas! Mas realmente o Travolta já fez mais filmes maus que bons :P

http://onarradorsubjectivo.blogspot.pt/