segunda-feira, 5 de março de 2012

Bravura Indômita - 1969 & 2010



Bravura Indômita – (True Grit, EUA, 1969) - Nota 7
Direção – Henry Hathaway
Elenco John Wayne, Glenn Campbell, Kim Darby, Dennis Hopper, Jeremy Slate, Robert Duvall, Strother Martin, Jeff Corey.

O veterano xerife caolho Rooster Cogburn (John Wayne) é contratado por uma garota (Kim Darby) para matar os homens que assassinaram seu pai. Porém ela quer participar da caçada.

Faroeste mediano mas competente feito já no final da era de ouro do gênero, dirigido pelo veterano e grande diretor Henry Hathaway que ainda gerou uma continuação em 1975 chamada "Justiceiro Implacável", com John Wayne repetindo o papel.

A curiosidade são as participações de Robert Duvall em início de carreira e Dennis Hopper vindo do clássico “Sem Destino”.

Bravura Indômita (True Grit, EUA, 2010) – Nota 7,5
Direção – Joel & Ethan Cohen
Elenco – Jeff Bridges, Hailee Steinfeld, Matt Damon, Josh Brolin, Barry Pepper, Paul Rae, Domhnall, Gleeson.

No velho oeste, a adolescente Mattie Ross (Hailee Steinfeld) busca vingança após o assassinato do pai. Para caçar o assassino, a esperta Mattie contrata o veterano xerife federal Rooster Cogburn (Jeff Bridges), um sujeito ranzinza e beberrão que aceita o trabalho. O problema é que Mattie deseja seguir junto na caçada, o que desegrada Rooster e principalmente o policial texano LaBouef (Matt Damon), que também persegue o mesmo criminoso. 

Esta incursão dos irmãos Cohen ao western é uma refilmagem de um longa estrelado por John Wayne em 1969, que acaba sendo até melhor que o original. A bonita fotografia e as interpretação de Jeff Bridges e da garota Hailee Steinfeld são os pontos altos do filme.

7 comentários:

Maxwell Soares disse...

Ainda não vi, este. Não sou tanto fã desse gênero, mas confesso que fiquei curioso ao ler teu texto, Hugo. Um abraço...

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Grande Hugo, como vai?
Cara, ótimo Post,
Gosto muito de faroestes, (bons faroestes)e Bravura Indômita é muito bom em qualquer uma dessas versões. A versão mais antiga com John Wayne tem um clima, um ar meio triste pois era um dos últimos grandes filmes estrelados pelo monstro do velho oeste, já o remake é interessante de se ver pois sabemos que hoje em dia o público não mais simpatiza com o gênero e mesmo assim o filme se sobressaiu, inclusive não entendo pq os faroestes não emplacam novamente, é um estilo de filme muito bom... enfim.... abração

Luís disse...

Ainda não vi o original, mas gostei bastante do remake, salvo a composição de Hailee Steinfeld, que me irritou bastante.

Emerson disse...

Ainda não assisti o remake, mas o original é muito bom, preciso assistir para poder comparar.
Raramente um remake é melhor que o original, pelo menos na minha opinião, por isso preciso conferir!!!

Abraço!!!

Amanda Aouad disse...

Não sei qual dos dois eu preferiria, de verdade, gosto muito dos dois, os Irmãos Coen trouxeram algo mais cru, até pela forma como resolveram a história.

bjs

Victor Ramos (Jerome) disse...

Não nego que nunca tive muita afeição pelo western americano. O Spaguetti é bem mais convidativo a atraente, para mim. Mas gostei muito do trabalho dos irmãos, trazendo uma estética quase morta para a atualidade. Já o clássico ainda não vi.

Injeção Cinéfila

Hugo disse...

Maxwell - O primeiro é um western clássico e a refilmagem tem a cara dos Irmãos Cohen.

Jefferson - Também não entendo porque o gênero foi deixado de lado em Hollywood. Como a indústria de cinema pensa em agradar primeiramente aos jovens, eles acreditam que o Western não seja o que este público deseja, já que o grande público (consumidor de cinema) prefere efeitos especiais, infelizmente.

Luís - A personagem da jovem Haille Steinfeld é mesmo irritante, porém a interpretação é boa.

Emerson - Neste caso é uma releitura dos Irmãos Cohen, que tem uma visão bem diferente do cinema clássico.

Amanda - Os Irmãos Cohen nunca entregam um filme comum.

Victor - Eu gosto dos grandes clássicos do gênero e sinto falta de filmes atuais.

Abraço