terça-feira, 6 de março de 2012

A Queda! As Últimas Horas de Hitler

A Queda! As Últimas Horas de Hitler (Der Untergang, Alemanha / Itália / Áustria, 2004) – Nota 10
Direção – Oliver Hirschbiegel
Elenco – Bruno Ganz, Alexandra Maria Lara, Corinna Harfouch, Ulrich Matthes, Juliane Kohler, Heino Ferch, Christian Berkel, Matthias Habich, Thomas Kretschmann.

Filmes sobre a 2º Guerra Mundial estão entre meus gêneros preferidos e este é sem dúvida o melhor longa de ficção já feito sobre um dos mais odiados personagens da história da humanidade, Adolf Hitler.

A trama se passa no bunker de Hitler durante os últimos dias de abril de 1945, pouco antes do suicídio do ditador, sendo narrado por sua secretaria Traudl Junge (a romena Alexandra Maria Lara), personagem principal do documentário "Eu Fui a Secretária de Hitler". Traudl conta sua vida desde quando tinha vinte e dois anos, fez um teste e foi contratada diretamente pelo Fuhrer, por quem ela tinha admiração e dizia não saber sobre o extermínio comandado pelo ditador.

O roteiro mostra que Hitler era ao mesmo tempo doce com sua amante Eva Braun (Juliane Kohler), com a secretaria Traudl, com Goebbels (Ulrich Matthes) e sua família, porém tinha ataques de raiva totalmente descontrolados contra seus generais, fúria que aumentava a cada notícia ruim sobre a guerra. Esta situação caótica fazia com que os generais fizessem um jogo de cena, aceitavam suas idéias absurdas, mas não colocavam nada em prática, já que sabiam que a guerra estava perdida e era uma questão de tempo os aliados chegarem em Berlim.

Um dos pontos altos do filme é o elenco encabeçado por Bruno Ganz, ele que quase vinte anos antes havia protagonizado a obra-prima “Asas do Desejo”, dirigida por Wim Wenders, aqui tem sua maior interpretação da carreira. Ganz cria um Hitler que mostra defeitos e até virtudes, o que muitos na época criticaram, mas vejo como algo próximo da realidade, já que mesmo sendo um monstro, Hitler era um ser humano. A interpretação de Ganz ainda deve ser valorizada pelos detalhes, como a aparência cansada, os ataques de fúria, a obsessão por esconder a mão esquerda que tremia provavelmente pelo Mal de Parkinson e o egocentrismo gigantesco, que o fazia acreditar que venceria a guerra de qualquer maneira.

Para completar o elenco, temos ainda como coadjuvantes atores alemães de primeira linha, como Thomas Kretschmann (hoje trabalhando em Hollywood), Matthias Habbich e Christian Berkel que trabalhou em outro grande filme de Hirschbiegel chamado “A Experiência”.

O resultado é uma obra-prima do cinema alemão.

7 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Um super filme e atuação de Ganz é incrível.

O Falcão Maltês

Gonga disse...

Adorei este filme, concordo ctg

Fabiane Bastos disse...

Ainda não consegui ver este! Preciso de mais horas nos meus dias! :(

Celo Silva disse...

Esse é um grande filme mesmo, preciso. A atuação de Ganz é marcante. O Hitler definitivo. Abs!

Hugo disse...

A todos - A interpretação de Bruno Gaz é fantástica.

Abraço

Amanda Aouad disse...

Realmente, uma obra-prima, toda a construção, a forma como vai desnudando Hitler, é incrível.

E ainda tem a cena mais parodiada da história do cinema, né? hehe.


bjs

Hugo disse...

Amanda - É um filme corajoso e obrigatório para cinéfilo e para quem gosta de história.

Bjos