quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Case

Case (Case, Islândia, 2015) – Nota 7
Direção – Baldvin Zophoniasson
Elenco – Steinunn Olina Porteinsdottir, Magnus Jonsson, Birna Run Eiriksdottir, Elma Stefania Agustsdottir, Bergur Por Ingolfsson, Johanna Vigdis Arnardottir, Porstein Bachmann, Halldora Geirharsdottir, Arnar Jonsson.

Reykjavic, Islândia. Uma adolescente é encontrada morta por enforcamento em um teatro. A perícia chega a conclusão de que foi suicídio, porém os policiais ao entrevistarem familiares e conhecidos percebem que existe algo de errado em relação a motivação da garota para acabar com a própria vida. 

Apesar de explorar uma investigação semelhante a premissa da série “Trapped”, também produzida na Islândia, este “Case” se passa numa cidade maior durante os longos dias de verão, enquanto a série anterior tinha como locação uma cidade pequena durante o rigoroso inverno repleto de neve e gelo. 

Enquanto “Trapped” apresentava uma complexa trama muito bem amarrada e um ótimo desenvolvimento dos personagens, “Case” acaba passando do ponto no emaranhado da história. O que era para ser complexo resulta em uma trama um pouco confusa, com um excesso de subtramas e de personagens que escondem segredos. 

A ousadia em “Case” é maior na questão de mostrar nudez total, sexo, drogas e até uma rede de pornografia adolescente, ou seja, o conteúdo é bem mais pesado. 

Infelizmente além das falhas na trama, a série também perde alguns pontos pela falta carisma do elenco. A protagonista Steinunn Olina Porteinsdottir interpreta uma detetive que segue sempre pistas erradas, toma decisões equivocadas e se mostra uma personagem até mesmo irritante. 

A série não chega a ser ruim, mas eu esperava algo a mais.

3 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Às vezes o excessivamente complexo acaba por perder a si mesmo num emaranhado que pende para o confuso.
Com furos e sem carisma dos personagens essa série vou deixar para o finalzinho da lista.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Liliane de Paula disse...

É Série da Netflix?
Pela sua resenha, não tive interesse.
Não gosto de coisas muito confusas (pistas) até porque certamente, vou me perder.
O bom é já termos conhecido cinema da Islândia.
Trapped é muito boa.

Estou com uma lista enorme de Seriados que vejo na Netflix.
E tenho visto alguns capítulos de cada uma delas, tentando não me perder. Ou não esquecer.

Hugo disse...

Luli - Eu esperava mais da série. Existem várias outras opções melhores.

Liliane - A série tem na Netflix.

Abraço