domingo, 9 de setembro de 2018

Kodachrome

Kodachrome (Kodachrome, Canadá / EUA, 2017) – Nota 7
Direção – Mark Raso
Elenco – Jason Sudeikis, Ed Harris, Elizabeth Olsen, Bruce Greenwood, Wendy Crewson, Dennis Haysbert.

Matt (Jason Sudeikis) é um caçador de talentos de uma gravadora que está prestes a perder o emprego. Sua última chance é conseguir convencer uma banda de rock a abandonar uma grande gravadora e assinar com ele. 

Em paralelo, Matt é procurado por Zoe (Elizabeth Olsen), que trabalha como enfermeira para seu pai, o famoso fotógrafo Ben Ryder (Ed Harris), que está doente e tem pouco tempo de vida. 

Pai e filho não se falam há dez anos. Ben deseja que o filho viaje com ele até uma pequena cidade no Kansas onde a empresa Kodak revela fotos tiradas em filmes, serviço que eles deixarão de prestar em poucos dias. Mesmo a contragosto, Matt aceita viajar com o pai e a enfermeira ao planejar encontrar no meio do caminho os músicos com quem precisa negociar. 

Sabe aquele filme que após quinze minutos você sabe exatamente como irá terminar? É o caso deste road movie que não apresenta novidade alguma. O roteiro quadradinho poderia estragar tudo, porém o diretor Mark Raso (“Copenhagen”) consegue imprimir uma narrativa agradável que transforma a premissa dramática em um filme leve. 

As atuações de Jason Sudeikis, Ed Harris e Elizabeth Olsen ajudam bastante. O primeiro como o filho que não sabe como lidar com a ausência do pai e o segundo entregando um sujeito detestável que busca um mínimo de redenção no final da vida.

É curioso ver também como Elizabeth Olsen atropelou suas irmãs no talento. As gêmeas Ashley e Mary Kate Olsen eram famosas quando crianças pelo trabalho no seriado "Full House" e hoje se tornaram subcelebridades, enquanto a caçula Elizabeth pavimenta uma carreira de sucesso.

4 comentários:

Luli Ap disse...

Olá Hugo
Gosto de road movies e mesmo sabendo que o roteiro não é uma novidade, as boas atuações e direção sem pesar a mão no drama devem ter entregue uma boa película, vou anotar aqui.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Hugo disse...

Luli - A narrativa é bastante agradável, mesmo com a história não tendo surpresas.

Bjs

Liliane de Paula disse...

Bem que lembrei desse sobrenome, Olsen mas não sabia que era irmã das gêmeas que atualmente trabalham com Modas (acho).
Gosto de filmes que tenha estórias possíveis.
Não é comum por aqui uma aproximação entre pais e filhos, numa viagem.
Acho que é um filme interessante de se vê.
Ed Harris está em plena forma, acho.


Hugo disse...

Liliane - Esse tipo de road movie é comum em filme americanos. No Brasil não existe este hábito de viagens para aproximação de pais e filhos.