sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Um Lugar Silencioso

Um Lugar Silencioso (A Quiet Place, EUA, 2018) – Nota 7
Direção – John Krasinski
Elenco – John Krasinski, Emily Blunt, Millicent Simmonds, Noah Jupe, Cade Woodward, Leon Russom.

No início do longa fica a impressão de que a filmagem tem algum problema no som. Os personagens sussurram ou conversam pela linguagem de sinais. 

Logo, descobrimos que é uma família que vive em um mundo pós-apocalíptico. Pai (John Krasinski), mãe (Emily Blunt), filha adolescente que é surda-muda (Millicent Simmonds), mais dois irmãos pequenos (Noah Jupe e Cade Woodward). 

Uma tragédia muda a vida da família e mostra que o barulho é o grande inimigo neste novo mundo. Qualquer som mais alto chama a atenção de terríveis criaturas que atacam os humanos. 

Este longa desperta mais a atenção por algumas curiosidades do que pelo resultado. Ver o ator especialista em comédias John Krasinski dirigindo e protagonizando uma ficção pesada e violenta é a grande surpresa. 

Seu trabalho na frente das câmeras é competente e como diretor apresenta acertos e erros. A falta de diálogos por medo de morrer e a forma como os personagens precisam se comunicar é extremamente criativa, assim como o clima de medo, solidão e tristeza que domina a narrativa. 

Por outro lado, a mesma narrativa é um pouco arrastada nos dois primeiros terços, muito também pela falta de história, que no geral é bem simples e típica de filmes B. A forma encontrada para enfrentar as criaturas na clímax é no máximo curiosa. 

Apesar dos muitos elogios dos cinéfilos, considero uma misto de ficção e suspense apenas mediano.

9 comentários:

Marília Tasso disse...

Considero um filme mediano, não me surpreendeu!
Tô esperta quando a propaganda é muita já nem crio expectativa, Hereditário é outro que fizeram um alvoroço, vou assistir bem tranquila e caso for tudo isso que ótimo!!

Rodrigo Mendes disse...

Olá Hugo. Bom, eu já gostei bastante do filme. É claro que ele não tem nada de absolutamente novo, mesmo assim, sou um entusiasta com relação ao cinema de gênero.

Abraço.

Liliane de Paula disse...

Estava tentando gravar mas ainda não conseguido.
Achei que era um filme de terror.
Mas pela sua resenha, acho que não vou gostar.

José Gomes disse...

Ah, eu gostei bastante. Foi de certa forma algo inovador para o gênero, e não abusa dos clichês. Mas, eu concordo que a narrativa tenha se arrastado, mas nada que comprometa a qualidade e a ideia apresentada. Abraço!

Hugo disse...

Marília - Isso mesmo, também achei que a propaganda foi grande demais para um filme mediano. Pretendo ver "Hereditário" em breve.

Rodrigo - O gênero tem uma legião de fãs.

Liliane - Mistura terror, suspense e ficção.

José - Eu esperava mais.

Abraço

Luli Ap disse...

Gostei, mas não amei o filme.
Prende a atenção e cumpre o prometido de entregar um bom entretenimento.
Acho que as minhas expectativas estavam altas.
Bjs Luli

Hugo disse...

Luli - Eu também esperava mais.

Bjs

Pedrita disse...

mais um filme superestimado como bird box. é bom. mas como a maioria do gênero. nada novo. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - Ainda não vi "Bird Box" para comparar.

Bjs