quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vício Frenético


Vício Frenético (The Bad Lieutenant: Port of Call – New Orleans, EUA, 2009) – Nota 7
Direção – Werner Herzog
Elenco – Nicolas Cage, Eva Mendes, Val Kilmer, Fairuza Balk, Xzibit, Shawn Hatosi, Jennifer Coolidge, Tom Bower, Vondie Curtis Hall, Brad Dourif, Denzel Whitaker, Irma P. Hall, Michael Shannon.

O policial Terence McDonagh (Nicolas Cage) fere a coluna no resgate de um presidiário que iria se afogar durante o Furacão Katrina em New Orleans. Tendo de tomar remédios para suportar a dor, ele acaba ficando viciado, utilizando inclusive outros tipos de drogas. Sua vida se complica quando uma famíla é assassinada por traficantes e sua equipe precisa prender os responsáveis, sendo que ao mesmo tempo Terence está envolvido com a prostituta Frankie (Eva Mendes) e deve muito dinheiro em apostas para o agenciador Ned (Brad Dourif). 

O longa é um refilmagem de uma obra de mesmo título dirigida por Abel Ferrara em 1992 e com Harvey Keitel no papel principal. O curioso é que Herzog e Ferrara são diretores de personalidade forte, retratando isso em seus filmes, sendo que uma refilmagem não é algo comum na carreira dos dois e talvez por isso o longa tenha resultado numa troca de farpas pela imprensa. De um lado Herzog dizia que faria uma nova versão do filme sem mesmo ter visto o original e do outro Ferrara bradava que seria um absurdo refilmar sua obra. Eu ainda não assisti ao filme de Ferrara, mas por tudo que li, a nova versão de Herzog copia apenas o título e o policial protagonista viciado em drogas, no restante parece ser bem diferente. 

O resultado é no mínimo interessante, valorizado pela performance de Cage como o policial que vai do céu ao inferno em pouco tempo e a cada novo passo parece se afundar ainda mais, além do estranho andar que ele criou para o personagem, mostrando bem o problema físico que afundou sua vida e carreira. Acredito que o papel do parceiro nervoso de Cage, vivido por Val Kilmer, poderia ser melhor aproveitado, além disso o filme perde pontos na parte final da trama que parece um pouco forçada, mesmo com uma cena final que pode gerar uma interpretação dupla.

5 comentários:

alan raspante. disse...

Eu gostei do filme, mas acho que teve uma narrativa meio que diferenciada demais, não sei explicar ... mas o filme poderia ser bem melhor. Mas, sem sombras de dúvida é uma salvação na recente filmografia de Nicolas Cage que só vinha pegando 'bucha'.

M. disse...

Taí Hugo, um filme que preciso assistir. Gosto do Nicolas Cage!

Hugo disse...

Alan - Concordo, a narrativa é diferente dos filmes policiais normais, isso porque o diretor alemão Wermer Herzog gosta de impor seu estilo.
Estava na hora de Cage escolher um papel num filme bom.

M - Cage é um ator, pena que muitas vezes escolha papéis em filmes ruins.

Abraço

pseudo-autor disse...

Finalmente o Cage pegou um papel decente pra fazer. Pior é que estão dizendo que ele está cotado para a refilmagem da Mosca. Será?

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com

Rui Francisco Pereira disse...

Acho que vale mesmo só por Nicolas Cage...

Deixas-me o teu email num comentário lá no Cinemajb por favor?
Tenho um convite ;)

Abraço