terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sexo, Mentiras e Videotape & Confissões de uma Garota de Programa



Vinte anos separam estes dois trabalhos do diretor Steven Soderbergh. Em 1989 ele estreou no cinema como o polêmico e premiado "Sexo, Mentiras e Videotape", ganhador da Palma de Ouro em Cannes, que tinha como protagonistas personagens com problemas sexuais, um tema pouco explorado pelo cinema naquela época. Em 2009 novamente ele voltou a filmar um longa tendo como ponto principal o sexo, mas desta vez misturando o tema com dinheiro, fato comum nos dias atuais.


Sexo, Mentiras e Videotape (Sex, Lies and Videotape, EUA, 1989) – Nota 8
Direção – Steven Soderbergh
Elenco – James Spader, Andie MacDowell, Peter Gallagher, Laura San Giacomo.

No filme o casal John (Peter Gallagher) e Ann (Andie MacDowell) passam por problemas conjugais. Ela é fria e não consegue se relacionar com o marido, que por outro lado resolve seu problema tendo um caso com a irmã de Ann, a fogosa Cynthia (Laura San Giacomo). Este complicado triângulo ficará ainda mais confuso com a chegada de Graham (James Spader), amigo de infância de John, que tem o hábito de filmar mulheres falando sobre sua vida sexual, o que afetará muito a complicada Ann. 

Hoje o filme pode parecer datado para a geração que fala abertamente de sexo e tem informações aos milhões na internet, porém no final dos anos oitenta ainda não era comum está conversa tão aberta e um filme como está era considerado polêmico. Além do tema e da direção, o sucesso se deve também as ótimas interpretações de Andie MacDowell, que faz um personagem doce e reprimida, que consegue se libertar durante as gravações e de James Spader como voyeur, que vê nestas mesmas gravações sua única forma de ter prazer.

Confissões de uma Garota de Programa (The Girlfriend Experience, EUA, 2009) – Nota 6
Direção – Steven Soderbergh
Elenco – Sasha Grey, Chris Santos.

Pela tradução do título, o espectador poderia esperar um filme sensual ou algo do gênero, mas na realidade o longa é uma diferente experiência cinematográfica de Steven Soderbergh. A história se passa em alguns dias na vida da garota de programa Chelsea (Sasha Grey), que é uma espécie de namorada de aluguel. Os sujeitos a contratam não apenas para sexo, mas como acompanhante e ela se veste discretamente e age como um verdadeira namorada com cada cliente, conversando, sorrindo e utilizando o sexo apenas como complemento. Mesmo nesta profissão, Chelsea vive com o namorado Chris (Chris Santos), um personal trainer de sujeitos ricos. A relação do casal sofre um abalo quando Chelsea acredita que um cliente queira algo mais que um programa e resolve viajar com o sujeito. 

A escolha da bela estrela pornô Sasha Grey para interpretar a personagem principal se mostra um acerto, ela está bem a vontade no papel da jovem inteligente e que vê sua carreira de acompanhante com uma forma de ganhar muito dinheiro, por sinal dizem que bem parecida com a Sasha na vida real, tanto pela profissão, quanto por sua inteligência. 

Soderbergh conta a pequena história destes dias de modo não linear e com uma certa frieza, muito parecida com o frieza com que os personagens principais tratam o sexo. Alguns detalhes deixam claro que o casal leva este tipo de vida apenas pela dinheiro, pelo lado de Chris quando ele percebe que pode perder a namorada e Chelsea em suas respostas durante uma entrevista que ela concede a um repórter. No fundo os dois procuram amor e carinho também. 

Em paralelo a história de Chelsea, o filme se passa durante a campanha presidencial americana, em que Obama venceu John McCain e quando o país passava por uma crise financeira, fato que aparece em diversos diálogos entre os endinheirados que aparecem no longa.

3 comentários:

Pedro Henrique disse...

Não gosto de nenhum dos dois, mas Videotape marcou uma geração, e por isso vejo sempre que posso.

Emmanuela disse...

Pena que não posso dizer algo concreto sobre o mais recente "Confissões de uma Garota de Programa", mas o anterior me agradou demasiadamente, um filme verdadeiramente estimulante!

Um beijo!

Hugo disse...

Pedro e Emmanuella - Com certeza o filme de 1989 é melhor.

Abraço