quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Violência Gratuita

Violência Gratuita (Funny Games, Áustria, 1997) – Nota 7,5
Direção – Michael Haneke
Elenco – Susanne Lothar, Ulrich Muhe, Arno Frisch, Frank Giering.

O casal Georg e Anna (Ulrich Muhe e Susanne Lothar) viajam para sua casa de veraneio junto com o filho pré-adolescente. Chegando no local, eles percebem uma atitude estranha do vizinho, que tem dois jovens ao seu lado.

Após algum tempo estes dois jovens (Arno Frisch e Frank Giering) entram na casa e transformam a família em refém, dando início a um jogo de poder e humilhação, utilizando violência física e psicológica para aterrorizar o casal e seu filho. 

O cinema do diretor austríaco Michael Haneke não é para todos, adepto de um ritmo lento e algumas sequências em silêncio, onde a sugestão e os pequenos detalhes são importantíssimos, ele cria um clima quase insuportável, em que a dupla de psicopatas sem motivo algum, inventa jogos doentios com frieza e crueldade. De modo cínico, um deles ainda conversa com a câmera, como que dizendo para o espectador que a tragédia ainda não acabou. 

O próprio Haneke refilmou a história numa versão americana, porém ainda não conferi para poder comparar.

5 comentários:

Dan disse...

Oi Hugo,

Filme muito bom, mostra o absurdo da violência.

Abraços

Jenifer Torres disse...

Caramba! Acho que não me arriscar a ver!

Dezito disse...

Sem dúvida um filme repugante e execrável. Para pessoas mais sensíveis não é recomendado.

Cumprimentos

Roberto F. A. Simões disse...

Muito bom, mesmo, eu atribuia-lhe mais uma décimas. É um filme que, às tantas, se revela difícil e doloroso de assistir.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD – A Estrada do Cinema «

Hugo disse...

Dan - A violência física e psicológica.

Jenifer e Dezito - É um filme perturbador.

Roberto - Apesar do tema forte e polêmico, o longa é muito bom.

Abraço