segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Anticristo


Anticristo (Antichrist, Dinamarca / Alemanha / França / Suécia / Itália / Polônia, 2009) – Nota 4
Direção – Lars Von Trier
Elenco – Willem Dafoe, Charlotte Gainsbourg.

Um casal (Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg) sofrem uma terrível perda, o pequeno filho pula da janela do apartamento onde vivem enquanto o casal faz sexo e não percebe a situação. Após a tragédia, a mulher que é escritora entra em depressão, enquanto o marido psicanalista tenta ajudá-la. No meio deste processo, o casal resolve se mudar para uma cabana no meio da floresta de um local chamado Eden, mas ao invés de melhorar a situação, esta mudança leva a esposa a insanidade total, terminando em outra tragédia. 

Antes deste, assisti apenas a outros dois filmes de Lars Von Trier, o polêmico “Os Idiotas”, produzido na época do “Movimento Dogma” criado por ele e outros cineastas escandinavos e posteriormente o musical “Dançando no Escuro”. Apesar de serem filmes que fogem do lugar comum, foram obras interessantes, diferente deste “Anticristo” feito especificamente para chocar, exarcebando o lado marqueteiro de Von Trier, que começou ainda no “Movimento Dogma”. 

O cinema já mostrou várias vezes as conseqüências de uma perda, seja filho, companheiro ou pais, tema com o qual Von Trier inicia bem o longa, mesmo sendo lento em excesso, mas ao levar os personagens para a floresta, ele transforma aquela relação em um filme de terror sádico e exagerado, com cenas desnecessárias criadas para chocar o público. Uma pena, pois a sinistra trilha sonora é inquietante e os enquadramentos de cenas e o visual são de um cineasta talentoso, mas que prefere ser reconhecido pela polêmica.  

6 comentários:

alan raspante. disse...

É um filme que não sei o que pensar, apesar de achar 'inútil' de um certo modo, eu consigo gostar ....

vai entender, hehehe.

M. disse...

Eu não assisti esse filme, mas fiquei curiosa. Falavam de uma tal inquietação que essa película passa ao público. Se mexe com o público deve ser interessante de alguma forma.

thicarvalho disse...

Hugo concordo com o seu texto. Acho completamente desnecessária esta tentativa de tentar chocar o espectador com cenas fortes. Acho q a trama, por si só, seria chocante. Ainda não vi o filme, mas pelo q muitos falaram, é a típica obra q passo longe. Grande abraço Hugo.

Visitem

www.cinemaniac2008.blogspot.com

Hugo disse...

Alan - Complicada sua teoria...rs

M - Concordo que o filme mexa com o público, mas não gostei, mesmo sendo apreciador de filmes com temáticas diferentes.

Thiago - Eu não indicaria o filme.

Abraço a todos

Marcio Melo disse...

Não gostei nem um pouco deste filme. Na época que assisti não consegui sequer classificá-lo.

Não recomendo a ninguém.

Rodrigo Mendes disse...

TENSO!

Abs.
Rodrigo