quarta-feira, 29 de maio de 2013

Olhos de Serpente

Olhos de Serpente (Snake Eyes, EUA, 1998) – Nota 7,5
Direção – Brian De Palma
Elenco – Nicolas Cage, Gary Sinise, Carla Gugino, John Heard, Stan Shaw, Kevin Dunn, Mike Starr, Luis Guzman, Michael Rispoli, Tamara Tunie.

O policial falastrão Rick Santoro (Nicolas Cage) é convidado pelo amigo Kevin Dunne (Gary Sinise) para assistir a uma grande luta de boxe em um cassino. Kevin é o responsável pela segurança de um ministro que está na plateia. Os problemas começam quando no momento em que um dos lutadores vai a nocaute, um tiro acerta o ministro, dando início a um grande tumulto. Rick inicia a investigação e aos poucos descobre uma conspiração que envolve várias pessoas. 

Com toda a trama se passando dentro do cassino/hotel, tendo uma premissa instigante e um sensacional plano-sequência inicial, é uma pena que o roteiro falhe ao criar um clímax fraco. Isso tira alguns pontos do filme, mas a citada sequência inicial é uma das melhores da história do cinema. A câmera segue o personagem de Nicolas Cage pelo hotel, que pelo caminho cumprimenta amigos, distribui sorrisos e fala com várias pessoas até chegar ao local da luta, finalizando com o nocaute e o assassinato. Consta que esta sequência teve dois cortes quase imperceptíveis, porém não atrapalham em nada o resultado. 

Este tipo de sequência filmada nos mínimos detalhes é uma marca da carreira de Brian De Palma e na minha opinião tendo seu auge no sensacional “Os Intocáveis. Aqui, além desta sequência, vale destacar outra parte do filme, quando o espectador verá os mesmos acontecimentos pelos olhos do personagem de Cage, que percebe o duvidoso nocaute, a misteriosa mulher de peruca, entre outros pequenos detalhes que formam o quebra-cabeça. 

É uma pena que o roteiro não acompanhe o fantástico trabalho técnico de De Palma e a ótima montagem. Mesmo com a história se encaixando, fica a impressão de que poderia ter resultado um grande filme.  

5 comentários:

Marcelo keiser disse...

É uma pena que não exista nenhum suspense de quem é o verdadeiro vilão. Seria ótimo, já que o desfecho do dilema de caráter do protagonista é demasiadamente previsível.

abraço

marcelokeiser.blogspot.com.br

Hugo disse...

Marcelo - Faltou um melhor roteiro, principalmente para o final.

Abraço

! Marcelo Cândido ! disse...

Realmente as sequências iniciais são ótimas, mas depois fica tudo muito chato...

Kleiton Gonçalves disse...

Brian De Palma e Nicolas Cage! Adoro esse filme.

Hugo disse...

Marcelo - O início passa a impressão de ser um filmaço.

Kleiton - Pena que o final seja fraco.

Abraço