terça-feira, 1 de março de 2011

Blade Runner - O Caçador de Andróides


Blade Runner – O Caçador de Andróides (Blade Runner, EUA, 1982) – Nota 8,5
Direção – Ridley Scott
Elenco – Harrison Ford, Sean Young, Rutger Hauer, Edward James Olmos, M. Emmet Walsh, Joanna Cassidy, Daryl Hannah, Brion James, William Sanderson, James Hong, Joe Turkell.

Num futuro próximo, uma grande corporação cria robôs semelhantes aos humanos, conhecidos como replicantes. Este robôs tem força e agilidade superiores aos humanos e são usados como mão de obra escrava em planetas colonizados, porém a presença deles na Terra é proibida, sendo criado uma equipe de policiais para removê-los (matá-los), os Blade Runners. Quando um grupo de replicantes se rebela e foge para Terra, o ex-Blade Runner Rick Deckard (Harrison Ford) é chamado de volta à ativa para resolver a situação. O problema é que além da dificuldade em enfrentá-los, Deckard sente-se atraído por Rachael (Sean Young), uma replicante que acredita ser humana, o que faz com que ele comece a ver os robôs com outra perspectiva, o que ficará claro na clássica cena final entre Deckard e o replicante Roy Batty (Rutger Hauer). 

Este grande filme é baseado num livro de Philip K. Dick (autor também de “O Vingador do Futuro”) e traz interessantes questões filosóficas sobre humanidade e tecnologia. Estas entrelinhas até certo ponto complexas, ajudaram o longa a fracassar no cinema na época do lançamento, sendo descoberto a fundo poucos anos depois com a explosão do VHS e com uma releitura por parte da crítica, o que alçou o longa a um clássico cult e indispensável. 

O filme tem outros destaques, como a direção de Ridley Scott, o belo desenho de produção e a marcante trilha sonora do grego Vangelis. O elenco também é perfeito, com Harrison Ford criando um ex-policial frio que aos poucos descobre sua humanidade, a bela Sean Young em seu melhor papel da carreira, além do temível vilão interpretado pelo holandês Rutger Hauer e o sinistro policial de Edward James Olmos.

7 comentários:

Dilberto L. Rosa disse...

Gostei muito de suas resenhas, concordando com todas, de Wes Anderson com seu superestimado Rushmore, passando pela fraquíssimo e enfadonho Wonderland, até o clássico BladeRunner, sem dúvida um divisor de águas no gênero... Só acho que ficaste muito superficial com um filme que merecia mais comentários! De todo modo, parabéns pelo ótimo blogue! Abração!

Jack, The Ripper disse...

Filme muito bom, apesar de eu ser meio suspeito para comentar, afinal, sou paga pau da maioria das obras de Harrison Ford.

Kahlil Affonso disse...

tenho a edição tripla desse filme e acredita que eu nunca vi ele... erro meu

Amanda Aouad disse...

Tenho que confessar que adoro esse filme. Ridley Scott surgiu para mim nessa obra e a felicidade foi comprar o DVD da versão do diretor no balaio das Americanas, hehe.

bjs

Silvano Vianna disse...

Um verdadeiro clássico. Muito bom mesmo, marcou muito e ainda marca quando revejo as dúvidas constantes que me atormentam.

Ju Maffia disse...

Amo Blade Runner! Talvez mais por causa do Harrison Ford do que qualquer outra coisa rsrs...

Uma coisa que me incomoda é a taxação de filme neo-noir, acho que apesar de ser um filme fodástico e de ter elementos do noir, Blade Runner não é um filme noir. Talvez cybernoir hahahaha

Gostei da resenha!

Abs,
Ju Maffia (A Moviola)

Hugo disse...

Dilberto - Obrigado pelo elogio e a visita.

Jack - Harrison Ford foi o grande campeão de bilheteria dos anos oitenta. Foi sua melhor fase.

Kahlil - Aproveite e veja todos os detalhes.

Amanda - Nas Lojas Americanas tem muitos filmes bons por R$ 12,90...rs

Silvano - É o tipo de filme que gera discussões eternas.

Ju - O roteiro bebe na fonte do estilo do noir na composição do personagem de Ford, mas no geral é uma ficção científica profunda.

Abraço a todos