terça-feira, 29 de março de 2011

Jogo de Poder


Jogo de Poder (Fair Game, EUA, 2010) – Nota 7,5
Direção – Doug Liman
Elenco – Naomi Watts, Sean Penn, Sam Shepard, Noah Emmerich, David Andrews, Bruce McGill, Michael Kelly, Nicholas Sadler, Jessica Hecht, Ty Burrell, Thomas McCarthy.

Após os atentados de 11 de setembro, o governo americando deu início a chamada “Guerra ao Terror” e logo invadiu o Afeganistão, porém o presidente Bush e seus aliados tinham em mente invadir o Iraque, derrubar Sadam Hussein e tomar posse das reservas de petróleo do país. Como não havia fato algum que ligasse Sadam aos atentados das Torres Gêmeas, o governo Bush pressionou suas agências de inteligência para provarem existir armas de destruição em massa e um plano do governo iraquiano para construir uma bomba atômica. 

Neste cenário, a agente da CIA Valerie Plame (Naomi Watts) é encarregada junto com outros agentes de analisar provas da venda de um carregamento de urânio em Niger na África. Para isso, os superiores pedem ajuda ao marido de Valerie, o ex-embaixador Joe Wilson (Sean Penn), que viaja para Niger, usa seus contatos e descobre que a venda nunca existiu. Mesmo com vários provas, o governo americano utiliza a mídia e declara guerra ao Iraque alegando que as armas existem, o que faz Joe escrever um texto desmascarando o governo e enviar para um jornal, fato que dará início a um perseguição contra ele e sua esposa. 

Este interessante drama é baseado num fato real e segue a linha dos longas que mostram todas as maquinações que o governo Bush utilizou para colocar a mídia a seu lado na invasão ao Iraque. 

O diretor Doug Liman comanda bem o filme, sem apelar para os clichês de perseguição e tiros, mantendo o pé na realidade e mostrando os personagens bem próximos do real. 

Ao final do longa vemos a verdadeira Valerie Plame numa cena que fecha com maior veracidade ainda este bom filme.

6 comentários:

diego disse...

Ano passado eu vi alguns blogs colocando esse filme entre os indicados ao Oscar pela trama...ainda não assisti, mas as opiniões sobre ele são positivas! Quero ver logo!

Clenio disse...

Acho a segunda parte desse filme muito mais interessante do que seu início, conforme a resenha em meu blog. Quando Naomi Watts e Sean Penn finalmente conseguem ser maiores que a trama o filme cresce.

Abraços
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

Rodrigo disse...

Adorei o filme. O elenco tem sintonia, e o tema é brilhante, e ainda atual. Só apontaria a câmera de Liman que nunca para, até atordoando um pouco. Mas vale a pena, sim. Abraços.

Wendell Borges disse...

Obrigado pela visita ao ArquivoxdeCinema.

Hugo disse...

Diego - É um drama, mas nem tanto para ser indicado ao Oscar.

Clênio - A segunda parte é mais tensa, quando a história começa a influenciar o relacionamento de Sean Penn e Naomi Watts.

Rodrigo - Gosto dos trabalhos de Liman e este é mais um bom exemplo.

Abraço

Femi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.