quinta-feira, 3 de março de 2011

Conspiração do Silêncio


Conspiração do Silêncio (Bad Day at Black Rock, EUA, 1955) – Nota 8
Direção – John Sturges
Elenco – Spencer Tracey, Robert Ryan, Anne Francis, Dean Jagger, Walter Brennan, Lee Marvin, Ernest Borgnine, John Ericson, Russell Collins, Walter Sande.

Em 1945, dois meses após o final da Segunda Guerra, John J. Macreedy (Spencer Tracy), um sujeito de apenas um braço, desce do trem na estação da minúscula Black Rock. Como o trem não parava naquela estação há quatro anos, os moradores ficam surpresos e curiosos. Quando Macreedy diz que está procurando o japonês Komoko, algumas pessoas ficam assustadas e chamam Reno Smith (Robert Ryan), espécie de chefão da cidade, que guarda um segredo sobre o desaparecimento de Komoko. Sentindo que o forasteiro possa descobrir o que houve, Reno tenta intimidar o homem utilizando dois capangas (Ernest Borgnine e Lee Marvin), o que levará a um final trágico. 

Este pouco conhecido filme de John Sturges ("Sete Homens e um Destino") é competente ao dosar drama, policial e suspense, numa história que prende a atenção e um elenco de primeira. A curta duração (menos de uma hora e meia) casa perfeitamente com o tamanho da cidade, deixando concisa a história que se passa num único dia. 

Como curiosidade, o diretor cria um sequência de luta onde provavelmente pela primeira vez o kung fu tenha sido usado num filme americano com grandes atores.

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Parece interessante.

bjs

Paulo Néry disse...

Olá Hugo

Até que enfim alguém lembrou de um dos que considero uma dos 100 maiores obras da Sétima Arte, clássico absoluto saído de Hollywood.

Foi o último filme de Spencer Tracy para a Metro, e destaque para o vilão interpretado por Robert Ryan, para mim um dos maiores talentos do cinema que fez de tudo na tela e sempre com muita competência.

Ótima Lembrança. Grande abraço

Paulo Néry

Hugo disse...

Amanda - É um bom filme que merece ser conhecido.

Paulo - É filme conciso com um ótimo roteiro e elenco primoroso. Você citou bem, Robert Ryan hoje praticamente esquecido, foi um dos grandes atores de Hollywood.

Abraço