quarta-feira, 26 de junho de 2013

Rock Brasília - Era de Ouro

Rock Brasília – Era de Ouro (Brasil, 2011) – Nota 8
Direção – Vladimir Carvalho
Documentário

Muitos da nova geração que escutam quem viveu nos anos oitenta comentar sobre o rock brasileiro da época não imaginam a força daquele movimento. Hoje muitos podem não levar a sério ao ver o Ultraje a Rigor como banda de programa de tv, chamar o Lobão de maluco a cada nova opinião polêmica ou nem saber quem foram “Inocentes”, “Garotos Podres”. “Zero” e “Plebe Rude”, entre várias outras bandas da época, porém o conteúdo das letras das músicas e a vontade de confrontar o sistema ajudaram a mudar a mentalidade da juventude. 

Um pouco desta mudança é retratada neste ótimo documentário que foca nas bandas de Brasília, principalmente “Legião Urbana, “Capital Inicial” e “Plebe Rude”. O documentário conta a história a partir do final dos setenta, quando um grupo de jovens amigos que ficariam conhecidos como a “Turma da Colina”, resultou na criação das três bandas. 

A colina era um condomínio dentro da Universidade de Brasília onde professores, funcionários públicos e diplomatas moravam com suas famílias. Quando os filhos destes chegaram a juventude, encontraram um país que ainda vivida a ditadura e a repressão. Eram todos filhos de famílias com bons recursos financeiros, porém a repressão e a própria cidade de Brasília que pouco oferecia para os jovens, se tornaram inspiração para criação das bandas. 

Tudo começou no encontro de Fê Lemos, hoje baterista do Capital Inicial e Renato Russo. Os dois adoravam o movimento Punk e junto com o sul-africano André Pretorius criaram o “Aborto Elétrico”, banda que durou algum tempo numa espécie de embrião e principalmente inspiração para as três bandas que surgiriam em seguida. A partir daí o doc conta toda a trajetória das bandas, como a inesperada chegada ao sucesso, os problemas que elas enfrentaram e como cada um segue a vida nos dias atuais. 

Fato muito citado durante o doc e extremamante importante é a questão da época, sendo que até 1994 o país sofria com a recessão e a inflação galopante, fatos que influenciaram muito a indústria fonográfica e o desempenho das bandas, lembrando que não existia Internet e a divulgação era feita apenas pelas gravadoras. A decadência do gênero no Brasil começou nos anos noventa, quando as gravadoras passaram a priorizar os sertanejos e as bandas de pagode. 

Voltando ao doc, vale destacar a importância dos Paralamas do Sucesso que abriram caminho para as bandas de Brasília nas gravadoras, com Herbert Viana e seu irmão Hermano, que é jornalista, levando as chamadas fitas demo para as gravadoras. Herbert, Hermano e Bi Ribeiro eram de Brasília e conviveram com a turma da colina antes de irem para o Rio de Janeiro. 

Os depoimentos de Dado Villa Lobos, Dinho Ouro Preto, os irmãos Fê e Flávio Lemos, de Phillip Seabra e André Mueller, as cabeças do “Plebe Rude”, são sensacionais, sem contar um depoimento datado de 1994 onde Renato Russo conta toda a história dos amigos. Os pais de vários destes personagens também dão seus depoimentos, com destaque para Briquet de Lemos,  pai dos irmãos Lemos que se emociona como criança no final do doc. 

Hoje pouco se fala na “Plebe Rude”, mas a importância da banda no cenário nacional foi enorme, quem estiver com curiosidade procure ouvir suas músicas, principalmente o primeiro disco chamado “O Concreto Já Rachou”. 

Como sugestão para quem gosta rock, procure ler o ótimo livro “Dias de Luta”, escrito pelo jornalista Ricardo Alexandre que conta toda a história do rock nacional dos anos oitenta, leitura imperdível para os fãs do gênero.

5 comentários:

Kleiton Gonçalves disse...

Opa! Esse promete.

Amanda Aouad disse...

Acho apenas que o documentário poderia ser um pouco mais musical. E aquelas duas cenas encenadas poderiam não existir. Mas, no geral, é mesmo um bom doc.

bjs

Hugo disse...

Kleiton - É ótimo para quem gosta de rock dos anos oitenta.

Amanda - Boa lembrança, as duas cenas citadas realmente ficaram fora de contexto.

Abraço

Kleiton Gonçalves disse...

Legião Urbana, em especial, foi muito importante para mim. Em casa, tínhamos discos de vinil e, depois, CDs. Saudade de música boa!

Hugo disse...

Kleiton - O Legião marcou uma geração e faz parte de uma grupo de bandas levou o rock brasileiro ao auge nos anos oitenta.

Abraço