domingo, 24 de julho de 2011

Plata Quemada


Plata Quemada (Plata Quemada, Argentina / Espanha / Uruguai, 2000) – Nota 6
Direção – Marcelo Piñeyro
Elenco – Leonardo Sbaraglia, Eduardo Noriega, Pablo Echarri, Leticia Brédice, Ricardo Bartis, Hector Alterio, Dolores Fonzi.

Baseado num fato real ocorrido em 1965, o filme conta a história de um dupla de ladrões conhecidos como “Os Gêmeos” que junto com outro comparsa argentino, Fontana (Ricardo Bartis), roubaram um carro forte em Buenos Aires e fugiram com o dinheiro para Montevidéu no Uruguai, onde a situação acabou em tragédia. 

Além do assalto, o filme foca principalmente no relacionamento homossexual entre a dupla de assaltantes. São eles Nene (Leonardo Sbaraglia), o lado inteligente da dupla e Angel (Eduardo Noriega), jovem inseguro e um pouco infantil, que sente remorso por ser bandido e também homossexual. 

A primeira parte do longa que mostra o assalto e a fuga são interessantes, sempre destacando o complicado relacionamento da dupla. Já na segunda parte em Montevidéu quando a dupla e o terceiro assaltante se escondem na casa de um veterano ladrão (o ótimo Hector Alterio), o filme peca pelo exagero nas brigas entres os bandidos e na relação doentia de Nene e Angel, transformando a história num dramalhão com muita violência. 

Apesar de ter sido muito elogiado pela crítica, considero um filme exagerado. Prefiro outros dois trabalhos do diretor Piñeyro, o drama sobre a ditadura argentina “Kamchatka” com Ricardo Darin e o interessante “O Que Você Faria?” sobre um grupo de pessoas disputando uma vaga de emprego.

6 comentários:

Amanda Aouad disse...

Parece interessante. Não conhecia.

bjs

Elton Telles disse...

Me sentia até um peixe fora d'água por não gostar tanto de "Plata Queimada", todos elogiavam efusivamente, mas eu também o enxergo como uma fita esculpida em situações exageradas. Como vc citou, "O Que Você Faria?" foi o grande acerto do diretor.

abs!

Celo Silva disse...

um filme um pouco chato, mas q tem seus momentos.

Hugo disse...

Amanda - É interessante até certo ponto, mas se torna exagerado na segunda metade.

Elton - Pelas críticas eu esperava bem mais do filme.

Celo - Alguns momentos apenas.

Abraços

Rodrigo Mendes disse...

Gosto mais do Eduardo Noriega nesta fita do que na versão original de "Abre Los Ojos" (e lembro mais da Cruz do que dele, rsrs). Faz tempo que conferi ambos os filmes. Bom lembrar.
Abs.
Rodrigo

Hugo disse...

Rodrigo - Ainda não assisti "Abre los Ojos", que acredito ser melhor que a versão americana "Vanilla Sky".

Abraço