domingo, 3 de julho de 2011

Disque M para Matar


Disque M para Matar (Dial M for Murder, EUA, 1954) – Nota 8
Direção – Alfred Hitchcock
Elenco – Ray Milland, Grace Kelly, Robert Cummings, John Williams, Anthony Dawson.

O ex-tenista Tony Wendice (Ray Milland) após descobrir que sua bela esposa Margot (Grace Kelly) tem um caso com o escritor americano Mark Halliday (Robert Cummings), planeja minuciosamente durante um ano o assassinato da mulher. Tony recorre a um ex-colega de universidade, o golpista C. A. Swan (Anthony Dawson) para assassinar a esposa enquanto o próprio amante da mulher, o escritor Mark será o álibi de Tony. Como não existe crime perfeito, algo dá errado e o inspetor Hubbard (John Williams) entra na investigação dando início a um jogo de xadrez para descobrir quem é o mentor do plano. 

Este clássico de Hitchcock tem todos os ingredientes da filmografia do diretor, temos a inocente sendo acusada (“O Homem Errado” e “O Homem que Sabia Demais), o assassino estrangulador (“Frenesi”) e a trama complexa cheia de reviravoltas (“Festim Diabólico”). 

O ótimo roteiro é valorizado principalmente pelas interpretações de Ray Milland como o sujeito frio que planeja o crime nos mínimos detalhes e do pouco conhecido John Williams como o inspetor ardiloso que não descansa enquanto não desvenda o crime. 

É uma sessão de cinema que vale como aula de como se fazer um filme de suspense sem sangue, tendo apenas uma sequência de violência e praticamente todo baseado em diálogos afiados.

7 comentários:

Celo Silva disse...

Hugo, filme foda mesmo, q ganhou um remake com Michael Douglas, chamado Um Crime Perfeito, q até é interessante, mas q não atinge a execelencia da obra do Mestre Hitchcock. Vlw.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Hugo, esse filme é perfeito. Um dos melhores de Hitchcock.
Apareça!

O Falcão Maltês

Rodrigo Mendes disse...

O melhor de Hitch em seu ápice criativo e a melhor fita do mestre com Grace Kelly. o filme tbm é dela. linda!
Deu vontade de rever.
Abs.
Rodrigo

Emmanuela disse...

Eu vi este filme ontem! O desfecho é incrível! Mais uma obra-prima do mestre.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Hugo disse...

Celo - Assisti esta nova versão com Michael Douglas e considero um bom filme, mas ainda bem longe do original.

Antonio - Um dos muitos clássicos do mestre.

Rodrigo - Grace Kelly era lindíssima, por isso o príncipe de Mônaco se encantou com ela.

Emmanuela - O roteiro é perfeito.

Abraço a todos

Amanda Aouad disse...

Adoro esse filme, acho o roteiro genial. Apenas de não ser um dos meus preferidos de Hitchcock. Pena que mataram ele na nova versão com Michael Douglas.

bjs