sexta-feira, 8 de julho de 2011

Bombas - Comédias com Ashton Kutcher

Desta vez meu "homenageado" na sessão "Bombas" é o astro Ashton Kutcher. O ator ficou conhecido pelo papel do bobalhão Michael Kelso em "That 70's Show", migrou para o cinema e direcionou praticamente toda sua carreira para comédias, em sua maioria filmes fracos com piadas sem graça.

O único diferencial na carreira de Kutcher foi o interessante "Efeito Borboleta". Ele tentou um papel mudar no razoável "Anjos da Vida" ao lado de Kevin Costner, mas fracassou.

As comédias que cito aqui são veículos voltados para o público jovem, aquele mesmo que acompanha Kutcher desde o seriado de tv, passando pelo programa de pegadinhas Punk'd e que o seguem no Twitter, ferramenta que ele usa para se promover.

Até mesmo seu casamento com Demi Moore pode ser visto por muitos como uma jogada de marketing. Demi tem dezesseis anos a mais que ele e uma carreira melhor, mesmo que também irregular.

Recém-Casados (Just Married, EUA / Alemanha, 2003) – Nota 5
Direção – Shawn Levy
Elenco – Ashton Kutcher, Brittany Murphy, Christian Kane, David Moscow, David Rasche, Veronica Cartwright, Raymond J. Barry, Monet Mazur, George Gaynes.

A história começa com o locutor de rádio Tom (Ashton Kucther) e a jovem rica Sarah (Brittany Murphy) voltando de lua-de-mel e brigando como cão e gato. Logo em seguida conheceremos a história do casal em flashback, desde quando eles se conheceram na praia quando Tom acerta uma bolada na cabeça de Sarah, passando pelo casamento que a família dela não aceitava, até a desastrosa lua-de-mel. A história é esquemática, garoto pobre se casa com menina rica e passa dificuldades até tudo se acertar, além disso as piadas são em sua maioria sem graça, com algumas de extremo mal gosto. A falecida Brittany Murphy não compromete, mas Kutcher praticamente repete o papel de Michael Kelso da série “That ‘70s Show”, utilizando todos os tiques possíveis. No final o longa é uma grande perda de tempo.

A Filha do Chefe (MyBoss’s Daughter, EUA, 2003) – Nota 5,5
Direção – David Zucker
Elenco – Ashton Kutcher, Tara Reid, Terence Stamp, Andy Richter, Michael Madsen, Molly Shannon, Jon Abrahams, Carmen Electra, Jeffrey Tambor.

O jovem Tom (Ashton Kutcher) tem a ambição de conseguir uma promoção no emprego e para agradar seu chefe (Terence Stamp), aceita tomar conta da casa deste enquanto ele viaja. Tom também tem o objetivo de conquistar a Lisa (Tara Reid), a filha do chefe. O plano infalível se torna uma tragédia após uma sequência de confusões. Apesar de ser um pouco melhor que o fraco “Recém-Casados” que Kutcher estrelou no mesmo ano, o resulto é pífio quando vemos o outrora ótimo diretor de comédias David Zucker (”Apertem os Cintos, o Piloto  Sumiu”, “Por Favor, Matem Minha Mulher”) sendo responsável por este filme previsivel e de algumas poucas risadas.

A Família da Noiva (Guess Who, EUA, 2005) – Nota 6
Direção – Kevin Rodney Sullivan
Elenco – Bernie Mac, Ashton Kutcher, Zoe Saldana, Judith Scott.

Simon Green (Ashton Kutcher) começa a namorar Theresa (Zoe Saldana) e quando é convidado para conhecer a família da moça, as coisas se complicam. Ele é branco e a família da noiva negra, sendo que principalmente o pai (Bernie Mac) não aceita o namoro. Diversas confusões, desentendimentos e algumas piadas são os ingredientes deste longa que se revela uma cópia bem inferior do clássico “Adivinhe Quem Vem Para Jantar”, que também era uma comédia que criticava os costumes e as diferenças raciais. O melhor do filme é o falecido comediante Bernie Mac, que faz um papel bravo e ao mesmo tempo de coração mole.

11 comentários:

alan raspante disse...

Dos citados, eu gosto de "Recém Casados", que no caso é o mais fraco, rs Acho que a Srta. Murhy consegue salvar o filme da mediocridade... Enfim, concordo contigo: Kutcher não é um bom ator.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

O cara ainda não encontrou o seu caminho...

O Falcão Maltês

Rafael W. disse...

Além da maioria de seus filmes serem ruins, ainda é um péssimo ator.

http://cinelupinha.blogspot.com/

M. disse...

É ele vai ter que se acertar um dia...

Andreia Mandim disse...

Ele é chamado a estrela que não precisa de se esforçar. Basicamente qualquer coisa que faça vai gerar dinheiro e as fãs vão adorar porque é o Ashton. Ele sabe disso. Todos sabem disso. E por isso faz o tipo de filme que quer. O último com a Cameron Diaz também não estava mal.

Cumprimentos,
http://cinemaschallenge.blogspot.com/

Amanda Aouad disse...

É, acho que o negócio dele é continuar no twitter. hehe. Mas, realmente Efeito Borboleta é bom.

bjs

Thomás R. Boeira disse...

Posso ser tachado de louco pelo que vou dizer, mas não acho Ashton Kutcher um ator ruim.

Acho que quando o personagem é legal, Kutcher consegue ser carismático. Ele está bem em filmes como Sexo Sem Compromisso e De Repente é Amor, e surpreendeu em Efeito Borboleta, um filme thriller envolvente no qual ele se arriscou em um papel mais dramático.

Se Kutcher for um bom substituto de Charlie Sheen em "Two and a Half Men", ele tem chances de levar um Globo de Ouro em breve.

Abraço,
Thomás
http://brazilianmovieguy.blogspot.com/

Hugo disse...

Alan - Do que eu assisti dele, considero bom trabalho apenas em "Efeito Borboleta".

Antonio - Infelizmente ele encontrou um caminho fácil...rs

Rafael - Como escrevi assim, ele ainda não me mostrou grande talento.

M - Quem sabe...rs

Andreia - Não assisti este último filme e você tem razão, ele tem um público cativo.

Amanda - No Twitter ele é forte mesmo...rs

Thomás - Se o personagem que ele for interpretar no lugar de Charlie Sheen for o sujeito bobalhão e atrapalhado, provavelmente fará sucesso. Como a Andreia escreveu, ele tem um público que o acompanha.

Abraço a todos

Natalia Xavier disse...

Tantos atores bons disperdiçados com essas comedinhas zuadas né? rs

Anônimo disse...

Não concordo que ele seja um ator ruim. A questão é que ele virou figurinha carimbada em filmes de comédia romântica, o que não explora todo o potencial dele. Este gênero de filmes são legais pra distrair, são "neutros", mais que nunca vou considerar um filme de comédia romântica um "filmaço". Em Efeito Borboleta ele mostra que é um ator talentoso com grande potencial para drama, e acho que ele deveria investir o talento dele neste tipo de filme.
Um exemplo é a Angelina Jolie, ela só faz filme no estilo Sr. e Sra. Smith, isto é, filmes de ação onde ela faz papel de agente secreto. Ela mesma em uma entrevista disse que ela até poderia fazer uma comédia romântica mas que ela não faria tão bem como outras atrizes, pois não é o estilo dela.
Acho que é isso que acontece com o Ashton Kutcher, ele investe muito naquilo que não valoriza o talento que ele tem.

Hugo disse...

Natalia - É um caminho fácil que o ator escolhe.

Anônimo - Pode até ser que ele tenha talento, mas precisa escolher produções melhores para mostrar algo a mais.

Abraço