sábado, 30 de julho de 2011

Olho por Olho & Medidas Desesperadas



Olho por Olho (Eye for an Eye, EUA, 1996) – Nota 7
Direção – John Schlesinger
Elenco – Sally Field, Ed Harris, Kiefer Sutherland, Joe Mantegna, Beverly D’Angelo, Charlayne Woodard, Philip Baker Hall, Keith David, Alexandra Kyle.

Karen McCann (Sally Field) vive feliz com o marido Mack (Ed Harris) e suas duas filhas, porém sua vida vira de ponta cabeça quando num dia enquanto conversa pelo celular com a filha mais velha que está em casa, esta diz que alguém invadiu a residência antes de silenciar. Desesperada, Karen volta para a casa e encontra a filha violentada e morta. Logo a polícia identifica como assassino o psicopata Robert Doob (Kiefer Sutherland), mas por um detalhe técnico ele acaba absolvido. Totalmente inconformada, Karen resolve aprender artes marciais, consegue uma arma e passa a vigiar o assassino, em busca de vingança, o que afetará totalmente sua vida. 

O filme joga para o espectador a pergunta, até que ponto vale a pena a vingança? Sendo curioso ver a franzina Sally Field no papel da mãe vingadora. Não é dos melhores filmes de Schlesinger, mas ainda vale pelo bom elenco. 

Medidas Desesperadas (Desperate Measures, EUA, 1998) – Nota 5
Direção – Barbet Schroeder
Elenco – Michael Keaton, Andy Garcia, Brian Cox, Marcia Gay Harden, Erik King, Joseph Cross, Efrain Figueroa, Richard Riehle, Tracey Walter.

O policial Frank Conner (Andy Garcia) tem um filho (Joseph Cross) com leucemia e encontra como único doador compatível o assassino condenado Peter McCabe (um exagerado Michael Keaton) e faz de tudo para conseguir que o bandido aceite ser o doador sem pensar nas conseqüências. O assassino vê a situação como uma chance de fugir. 

Esta história inverossímil tem um roteiro absurdo cheio de furos, que nem mesmo bons atores como Andy Garcia e Brian Cox conseguem salvar. Uma pisada na bola do diretor Barbet Schroeder, que fez bons filmes como “Cálculo Mortal” e “O Reverso da Fortuna”.

3 comentários:

Celo Silva disse...

são dois filmes q prendem a atenção. Funcionam como trillers. Gostei de olho por olho e MEdidas poderia ter sido mais bem aproveitado mesmo.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Não conheço nenhum dos dois filmes, mas gosto de ambos os diretores. O de Schlesinger deixei de ver uma ou duas vezes por estar sem paciência para Sally Field.
Cumprimentos cinéfilos!

Hugo disse...

Celo - Considero "Olho por Olho" melhor, apesar de exagerar um pouco não é tão maluco como "Medidas Desesperadas".

Antonio - São dois diretores com boas carreiras, principalmente Schlesinger.

Abraço