sexta-feira, 1 de julho de 2011

O Sucesso a Qualquer Preço


O Sucesso a Qualquer Preço (Glengarry Glen Ross, EUA, 1992) – Nota 8
Direção – James Foley
Elenco – Al Pacino, Jack Lemmon, Alec Baldwin, Ed Harris, Alan Arkin, Kevin Spacey, Jonathan Price, Bruce Altman, Jude Ciccolella.

Em Chicago, na filial de uma grande empresa de venda de imóveis, um grosseiro representante da matriz (Alec Baldwin) comanda uma reunião com quatro vendedores experientes (Al Pacino, Jack Lemmnon, Ed Harris e Alan Arkin), onde joga na mesa as regras do jogo. 

Durante um curto período o grupo terá de fechar negócio utilizando apenas contatos antigos, pessoas que se interessam por imóveis mas por algum motivo desistiram da compra. Aquele que conseguir o maior número de vendas ganhará um Cadillac, terá direito a um polpuda comissão e ainda receberá contatos novos de possíveis compradores, o “Glengarry Glen Ross” do titulo original, o segundo melhor vendedor um conjunto de facas, enquanto o que vender menos perderá o emprego. 

Nesta disputa a empresa não levará em conta o currículo de vendas do sujeito, o tempo de serviço ou mesmo a situação pessoal, a única saída para garantir o emprego é vender, não importa de qual forma. Esta terrível pressão dá início a uma corrida para garantir o emprego, onde os veteranos vendedores usarão de todas as táticas possíveis para convencer os clientes, mesmo que tenham de mentir, enganar ou ainda derrubar algum colega de trabalho, deixando a ética completamente de lado. 

O diretor James Foley precisou de poucos cenários para criar um clima de angústia e disputa entre os concorrentes, utilizando o ótimo roteiro de David Mamet, que enfoca o lado obscuro do ser humano, o que de pior as pessoas mostram quando se sentem pressionadas ou quando desejam lucrar. O roteiro também apresenta diversas técnicas utilizadas pelos vendedores para persuadir os clientes, sempre pressionando, não deixando o cliente refletir com calma e mostrando apenas parte da verdade. 

Outro ponto forte do filme é o ótimo elenco que interpreta com talento os diálogos cortantes de Mamet escritos há quase vinte anos e que hoje em dia estão ainda mais atuais.

3 comentários:

Ácido na Tela disse...

Vi esse filme faz muito tempo,mas é demias.O elenco é sem comentarios,só fera

Rodrigo Mendes disse...

Preciso relembrar assistindo. Ótimo resgate Hugo. Seu blog é expert nisso!
Pacino é sempre bom, mesmo se o filme as vezes seja irregular.
Abs.
Rodrigo

Hugo disse...

Ácido - É um elenco primoroso.

Rodrigo - Se você gosta de drama com diálogos tensos, este é um belo filme.

Abraço