quarta-feira, 26 de maio de 2010

Lost - O Final

Lost (EUA, 2004 a 2010)
Criação: J. J. Abrams, Jeffrey Lieber e Damon Lindelof
Elenco - Matthew Fox, Jorge Garcia, Josh Holloway, Evangeline Lilly, Naveen Andrews, Daniel Dae Kim, Yunjin Kim, Terry O'Queen, Michael Emerson, Henry Ian Cusick, Emily de Ravin, Elizabeth Mitchell, Nestor Carbonell, Ken Leung, Titus Welliver, Mark Pellegrino, Harold Perrineau, John Terry.

Pensei muito sobre o final de "Lost" e apesar de algumas cenas emocionantes e do final reunindo todo o elenco principal na igreja, (cena que me deu a impressão de ser uma despedida em homenagem ao elenco) ainda acredito que a solução poderia ter sido diferente e melhor.

Em resumo geral, a série começou como um furacão, tendo uma primeira temporada sensacional, desde o espetacular episódio piloto que já mostrava como aquela ilha era diferente. O nível se manteve na segunda temporada com o aparecimento de novos personagens, principalmente os sobreviventes da outra metade do avião, porém a história empacou na terceira temporada quando alguns personagens (Sawyer, Jack, Kate) se tornaram prisioneiros dos "Outros". Dois fatores ajudaram na queda, a greve dos roteiristas que fez com a temporada tivesse poucos epísódios e o produtor J. J. Abrams que se afastou por um tempo para dirigir "Missão Impossível III". Na quarta e na quinta temporada a história voltou mais ou menos aos eixos, mesmo eu tendo a opinião que nunca mais chegou ao nível da temporada de estréia.

Analisar o final da série é complicado, não me agradou totalmente, mas o que ficará na mnha memória serão os cativantes personagens. A ilha e os mistérios foram um dos bons ingredientes, mas sem bons personagens a série não teria ido tão longe. Todos tiveram seu valor, mas eu destacaria a simpatia de Hurley, os poderes de Desmond, a beleza guerreira de Kate, o heroísmo canalha de Saywer e até o manipulador Ben, que no final procurou se redimir. Jack e Locke foram os personagens que uniram cada um a seu modo os sobreviventes, enquanto Jack era o líder relutante, mas que no fundo não aceitava seguir ninguém, Locke era o sujeito desiludido com a vida que descobriu a fé naquela ilha e por acreditar tanto acabou morto, tendo seu corpo usado pela "fumaça negra", o mal encarnado na ilha.

Um detalhe curioso é em relação ao nome do personagem do pai de Jack. Christian Shephard seria uma espécie de trocadilho traduzido para Cristo Pastor. Ele Christian seria em tese o pastor que estava na história para mostrar o caminho do além vida para os personagens ao final da série.

7 comentários:

O Cara da Locadora disse...

O trocadilho de Christian é interessante mesmo, e eles deveriam ter explorado mais o personagem...
Fora isso, te convido a ler minha análise sobre a Ilha e opiniões sobre o último episódio lá no Cara da Locadora =)
Eu gostei do último episódio, e não esperava mais que isso mesmo. É uma despedida, um final feliz em homenagem aos personagens. Alguns mistérios continuam mistérios, mas é assim que a vida é.

Wally disse...

Também achei uma sacada divertida o nome do pai do Jack. Até a Kate deu uma boa risada. Achei magnífico o fim, tal como a série é.

Amanda Aouad disse...

Interessante mesmo essa questão do nome do pai de Jack.
Quanto à série, também acho que nada será melhor que as duas primeiras temporadas, mas eu gostei do desfecho. Achei que foi uma homenagem bonita. Eu só achei que na sexta temporada, eles mudaram muito o foco, esquecendo a questão da ilha e jogando tudo para a tal luz a ser protegida. Escrevi mais sobre isso no CinePipocaCult, veja lá.

fini disse...

Olá Hugo, bom dia! Parabéns pelo Blog.

Somos a equipe responsável pela divulgação da campanha Dance com Fini.
Esta campanha é uma iniciativa cultural das guloseimas Fini, onde os participantes serão premiados com viagens para Disney, videogames Nintendo Wii, Iphones e produtos da empresa.
Enviaremos a matéria da campanha e o logo oficial por e-mail, caso haja interesse em publicá-la no blog.

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa Dance com Fini
Leonardo Luis
campanhafini@gmail.com
www.dancecomfini.com.br

bruno knott disse...

Olá Hugo. Gostei da sua análise, mas ao contrário de você, eu curti pra caramba esse series finale.

A terceira temporada foi a mais fraca, mas o que me incomdou mais foi o comecinho dela, com eles presos e tudo o mais. No decorrer, ela foi melhorando bastante.

Ao contrário do Cara da Locadora, eu não achei que o final foi feliz não... afinal, ele mostra um fato do qual ngm escapa: a morte.

Gostei por você não ter reclamado sobre mistérios não resolvidos.

Acho de uma ignorância tremenda decidir se o fim foi bom ou não pela quantidade de mistérios resolvidos.

Quem curte Lost e seus personagens não pensaria dessa forma.

Você deu argumentos interessantes para explicar o motivo de não ter gostado.

Abraços!

bruno knott disse...

" Você deu argumentos interessantes para explicar o motivo de não ter gostado TANTO.

Hugo disse...

Nespoli - Estava claro que nem todos os mistérior seriam resolvidos. Vou visitar seu blog para ler sua análise.

Wally - Foi uma idéia bem bolada pelos roteiristas.

Amanda - Os roteiristas quiseram amarrar o final da série com a luz que apareceu nestes últimos episódios. Estou indo visitar seu blog tb.

Leonardo - Obrigado pela visita.

Bruno - Eu fiquei no meio do caminho quanto ao final, como já escrevi acredito que poderia ter sido diferente.
Na minha opinião ficou claro que o sucesso da série não foi apenas pelos mistérios, mas principalmente pelos personagens.

Abraço a todos