domingo, 15 de fevereiro de 2015

Zona de Risco

Zona de Risco (Gongdong Gyeongbi Guyeok JSA, Coreia do Sul, 2000) – Nota 8
Direção – Chan Wook Park
Elenco – Yeong Ae Lee, Byung Hun Lee, Kang Ho Song, Tae Woo Kim, Ha Kyun Shin, Christoph Hofrichter, Herbert Ulrich.

Na fronteira entre as duas Coreias, um tiroteio deixa dois soldados norte-coreanos mortos, um ferido (Kang Ho Song) e outro soldado sul-coreano também ferido (Byung Hun Lee). O governo da Coreia do Sul alega que seu soldado fora sequestrado e reagiu matando dois inimigos. Enquanto isso, as autoridades da Coreia do Norte acusam que o inimigo invadiu seu território e deliberadamente atacou os três soldados. 

Para tratar o caso com imparcialidade e chegar a um consenso, os governos coreanos aceitam que a Suíça e a Suécia façam a intermediação do conflito, enviando a oficial Jean (Yeong Ae Lee) para interrogar os sobreviventes. A jovem que tem a nacionalidade suíça, sendo filha de mãe suíça e pai coreano, fala a língua do pai, mas jamais havia visitado o país. Logo, a jovem oficial percebe que as versões dos soldados sobreviventes tem várias inconsistências e que os dois governos não tem interesse algum em descobrir a verdade. 

Este belíssimo drama foi o primeiro trabalho do diretor Chan Wook Park (“Old Boy”) a chamar atenção da critica internacional. A primeira parte é instigante, deixando a impressão de que seria um filme de pura investigação policial, porém antes da metade, Park passa a inserir flashbacks com pistas do que realmente ocorreu entre os soldados. Num determinado momento, a trama deixa de lado a investigação e se joga totalmente nos acontecimentos da fronteira, até retornar à investigação e chegar ao contundente final. Park já demonstrava aqui seu talento na narrativa ao amarrar muito bem as idas e vindas da trama, que aos poucos montam um perfeito quebra-cabeças. 

Além de inteligente, o roteiro também questiona o absurdo que é a divisão da Coreia em dois países, separando pessoas da mesma nacionalidade, as transformando em inimigos por causa de política e poder. Ver a fronteira dividida por uma pequena ponte e a chamada “área desmilitarizada” demarcada por uma risca de tinta no chão, chega a ser surreal. 

Vale destacar ainda o elenco, em especial o trio principal, que estão em os melhores atores do cinema coreano. A bela Yeon Ae Lee voltou a trabalhar com Park em “Lady Vingança”, Byung Hun Lee foi o protagonista do ótimo “Eu Vi o Diabo” e Kang Ho Song se tornou o ator coreano mais conhecido internacionalmente após trabalhar em vários filmes como “Mr. Vingança” do próprio Park, os ótimos “Memórias de um Assassino” e “O Hospedeiro”, além do curioso “Expresso do Amanhã”.

2 comentários:

Ubiracy Júnior disse...

Vou adicionar esse filme na lista dos que tenho que assistir.
Dos filmes que o diretor fez, eu só assisti Old boy e Lady vingaça.

Hugo disse...

Ubiracy - Não é tão pesado como "Old Boy", mas tem uma história muito interessante.

Abraço