terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Operação Sombra: Jack Ryan

Operação Sombra: Jack Ryan (Jack Ryan: Shadow Recruit, EUA / Rússia, 2014) – Nota 7
Direção – Kenneth Branagh
Elenco – Chris Pine, Kevin Costner, Keira Knightley, Kenneth Branagh, Lenn Kudrjawizki, Alec Utgoff, Peter Andesson, Nonso Anozie, Colm Feore, Gemma Chan.

Em 2001, Jack Ryan (Chris Pine) é um jovem estudante de economia que fica estarrecido com os atentados de 11 de Setembro e decide abandonar a universidade para se alistar no exército. Após ser ferido com gravidade em um ataque no Iraque, Jack é enviado para um centro de recuperação onde é visitado pelo agente Thomas Harper (Kevin Costner), que o convida para trabalhar na CIA. Jack aceita, retorna os estudos e tem como objetivo conseguir um emprego em Wall Street, para ter acesso a dados de movimentações bancárias internacionais e assim descobrir possíveis financiamentos de ataques terroristas. 

Dez anos depois, Jack percebe uma enorme movimentação de dinheiro feita por uma corporação russa comandada por Viktor Cherevin (Kenneth Branagh). Para investigar o que está por trás dos negócios do magnata russo, Jack e Harper seguem para Moscou e descobrem que um novo ataque terrorista está prestes a acontecer. 

Este é o quinto filme do personagem Jack Ryan criado pelo escritor Tom Clancy, sendo que Chris Pine é o quarto ator a interpretar o herói. Antes disso, Alec Baldwin, Harrison Ford em dois filmes e Ben Affleck encarnaram o agente da CIA. Esta novo longa é um recomeço do personagem no cinema, que mostra um inexperiente Ryan em sua primeira missão como agente de campo. 

O filme é correto, tem uma primeira parte morna, com apenas uma boa sequência de ação na luta entre Ryan e o grandalhão interpretado por Nonso Anozie. O filme esquenta na segunda metade, com algumas boas sequências de suspense e a correria habitual, inclusive com uma perseguição automobilística. 

Quanto ao elenco, Chris Pine é apenas razoável, não vejo grande talento ou mesmo carisma no ator. O veterano Kevin Costner está bem como o mentor do agente e a bela Keira Knightley se mostra uma personagem dispensável, tendo sido inserida na trama apenas para ser o obrigatório par romântico do protagonista.

No geral é um filme correto, que prende a atenção, diverte, mas não apresenta surpresa alguma.

4 comentários:

Kahlil Appel disse...

Tenho curiosidade em ver este filme, mas sei que é melhor não ter muita espectativa.

http://filme-do-dia.blogspot.com.br/

Hugo disse...

Kahlil - É divertimento sem compromisso, nada mais que isso.

Abraço

Red Dust disse...

Não é um filme top. Cumpre sem surpresas. O que, por si, também não é mau... :)

Um abraço!!!

Hugo disse...

Red - É um bom filme de ação, mesmo sem surpresas.

Abraço