terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Jack Reacher: O Último Tiro

Jack Reacher: O Último Tiro (Jack Reacher, EUA, 2012) – Nota 7
Direção – Christopher McQuarrie
Elenco – Tom Cruise, Rosamund Pike, Richard Jenkins, David Oyelowo, Robert Duvall, Werner Herzog, Jai Courtney, Vladimir Sizov, Joseph Sikora, Alexia Fast.

Um atirador dispara vários tiros de um estacionamento matando cinco pessoas que estavam em um parque. Um sujeito é preso (Joseph Sikora), mas ao invés de confessar, pede que chamem um tal de Jack Reacher (Tom Cruise). Reacher é um ex-investigador do exército que abandonou tudo e hoje vive como um fantasma. 

Reacher vê na tv o sujeito que foi preso, o reconhece e decide se apresentar aos promotores (Richard Jenkins e David Oyelowo). Ao descobrir que o suspeito fora espancado na prisão e está em coma, Reacher a princípio pensar em ir embora, mas acaba convencido pela defensora pública (Rosamund Pike) a ficar e investigar o que realmente ocorreu. 

Esta segunda incursão do roteirista Christopher McQuarrie na direção (a primeira foi o interessante “À Sangue Frio” em 2000) começa de forma instigante. A forma como ocorrem os assassinatos do início demostram que existe uma trama complexa, que infelizmente perde a força conforme a história avança, muito pelo roteiro previsível recheado de clichês e os personagens coadjuvantes ruins. 

Mesmo escolhas interessantes como a de colocar o diretor alemão Werner Herzog no elenco e a participação de Robert Duvall como um excêntrico personagem não funcionam. Por sinal, o personagem de Duvall tem um bom diálogo com Cruise, mas a sequência em que ele ajuda o astro se mostra inverossímil. 

O longa ganha pontos com as boas cenas de ação, inclusive uma interessante perseguição de automóveis, pelo ritmo ágil da narrativa e pela competente primeira parte, mas no geral fica aquém do que poderia render.

3 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Acho que o maior atrativo do filme é Herzog escalado como vilão, mas também acho que o roteiro não aproveita bem o personagem. Pena.

Hugo disse...

Gustavo - A escolha de Herzog aparentemente foi uma boa sacada, mas na prática na funcionou tão bem.

Abraço

Pedrita disse...

o brasil e os nomes inventados. parece que é o último da série, mas é o primeiro. o nome original é só jack reacher. nossa, foi bonzinho. deu 7. no imdb eu dei 3. eita filminho ruim. ridícula a corrida de automóveis. patética. beijos, pedrita